{Olimpo} Capitulo 3


                O local em que se encontravam era completamente diferente do que se esperava. Quando se pensa sobre uma casa de um semideus, colunas e estátuas parecia ser a primeira coisa a se passar na mente dos meninos, porém aquele vilarejo era simples e rústico não tinha nenhum toque grego ali. Os gêmeos estavam simplesmente admirados com aquilo tudo, o filho de Apolo apenas sorria estendendo de sua mão em um cumprimento aos dois.

            - Sejam bem vindos. - Sorria Hangeng enquanto andava pela sua tenda se sentando em uma poltrona de couro marrom. - Creio que começaram a busca.

            - Ah sim. - Sungmin respondeu se aproximando. - Somos novos nisso então...

            - Ah claro. - Hangeng esticara a mão. - Ahn... herdar o Olimpo não é uma tarefa fácil de se realizar e claramente significa que todos nós teremos de deixar o mundo dos humanos.

            - Se temos todos de ir então por que temos de ir atrás dos artefatos? - Sungmin se sentara em uma cadeira trazida por alguns ajudantes de Hangeng.

            - É muita responsabilidade, é muita informação. Sou filho de Apolo e a única coisa eu sei é sobre o que meu pai e eu representamos. Para herdar o Olimpo tem que saber sobre todos nós.

            - É muita coisa. - Sussurrava Donghae que olhava ao redor. - E por que somos os únicos a estarem atrás?

            - Bom. - Hyukjae sorria se sentando enquanto servia de água. - Vocês não cresceram nesse meio, na verdade vocês são cobertos pelo cheiro dos humanos, e isso dá a perspectiva de um humano.

            - Entendemos como semideuses e como humanos. - Sungmin assentira.

            Ser um semideus naquele estado era intenso, por mais que pareça ser algo totalmente lendário havia um pedaço de burocracia. Sungmin suspirava enquanto olhava o mapa vendo onde estavam os artefatos necessários para poder ter a posse do Olimpo. Donghae se sentara ao lado do irmão enquanto observava Hangeng conversar com seus serventes, o moreno apenas baixara os ombros totalmente cansados, sentia sono e não fazia ideia do motivo de estar lá.

            - Pedi para prepararem seus aposentos. - Hangeng sorria. - E um banquete, depois podemos conversar sobre os artefatos.

            Hyukjae assentira agradecendo ao amigo pela hospedagem, Sungmin e Donghae seguiam um dos serventes que caminhava para fora da tenda. As pessoas que residiam aquele vilarejo pareciam calmas e alegres, o céu era sem nuvens e na verdade o sol estava brilhando intensamente, típico de um deus da luz. As roupas típicas do povoado eram finas e com cores claras, bonitas e poucos adornos, algo simples, as mulheres andavam com cabelos presos e os homens com armaduras, parecendo estarem prontos para uma batalha.

            Adentraram a uma barraca, dentro havia três camas e um banheiro privado, assim como os aposentos do semideus Hangeng, a barraca era imensa por dentro, tal como um passe de mágica. Em cima da cama encontrava roupas limpas para os garotos, que apenas agradeceram e se ajeitavam.

            Donghae deixara sua mochila em cima de uma das camas, olhara para seu irmão que se encontrava sentado na cama enquanto observava algum caderno. Não estava tão interessado assim no que o mais velho pensava, na verdade sentia uma imensa curiosidade sobre aquele vilarejo, aquele povoado. Entrou no banheiro e sentiu o cansaço em seus ombros, claramente precisava de um descanso, olhou-se no espelho e riu em ver as olheiras embaixo de seus olhos. Estava completamente estampado ali.

            O moreno voltara ao quarto e se deitou na cama, adormecendo rapidamente, o que resultou em uma risada abafada de Sungmin. O gêmeo mais velho cobrira o caçula e pediu silencio á Hyukjae quando o mesmo adentrou na barraca. Parecia que estava cuidando de seu filho, parecia ter voltado á infância quando cuidava de seu irmão na escola.

            Imaginava como era difícil para Donghae passar por aquela situação, havia acabado de descobrir sobre seus poderes, sobre sua vida, e agora tinha que correr contra o tempo. Sungmin se deitara ao lado do irmão o abraçando protetoramente, queria proteger seu irmão de todo o mal que poderia ocorrer naquela aventura, queria poder proteger sempre a inocência de seu caçula.

ψ
            Anoitecia no vilarejo de Apolo, Donghae despertava aos poucos se sentindo renovado depois de tantas horas de sono. Levantou-se e viu que estava sozinho no quarto, por um momento sentiu medo afinal não conhecia aquele lugar e poderia se perder facilmente, porém balançou a cabeça pensando se aquele poderia ser um belo momento para um pequeno passeio pelo vilarejo.

            Levantou-se depressa indo ao banheiro para se banhar, imaginando que para entrosar com as pessoas teria de parecer com elas. Colocou as vestimentas deixadas em sua cama quando chegou, e ficou longos minutos para poder vestir-se corretamente. A calça era longa, porém sem ser apertada, suas tonalidades eram frias sem serem pesadas e calorosas para o corpo, a camisa era branca e tinha uma capa em sua volta com a cor amarelada, sentiu-se despido de tanta leveza que tinha aquelas roupas.

            Saindo da tenda viu que as pessoas estavam perto do centro do vilarejo, se aproximando não deixou de sorrir ao ver uma fogueira e musicas para dançarem. Ficou parado em um canto apenas observando enquanto batia palmas animado, mas não deixou de ser observado por olhos curiosos de uma garota pequena. A garota usava um vestido amarelo e seus olhos eram castanhos claros, se aproximou timidamente de Donghae, puxando de sua capa para chamar a atenção do semideus.

            - Ah, oi. - Donghae corava ao ver o sorriso da garota.

            - Vamos dançar.

            Não deixou de rir ao ser puxado pela pequena garota para ir ao centro da roda e participar da dança. A musica aumentara e as pessoas se animaram mais ainda, o garoto não deixara isso para trás e ficou mais encantado em participar daquele momento tão relaxante. Hyukjae observava de longe com um sorriso largo no rosto, claramente sua preocupação com o menor se fora quando aquele sorriso tão contagiante surgira diante de seus olhos claros. Donghae olhara ao redor e encontrara aquele ser sorrindo para si e aquilo resultou em uma vermelhidão em seu rosto.

            Donghae saíra da roda esticando a mão para pegar a de Hyukjae, o mesmo a segurou e foi puxado para a roda de dança participando. Mais risadas eram ecoadas pelo vilarejo, mais memórias eram criadas. Ao fim da dança os dois passaram a caminhar ao redor do vilarejo onde encontraram uma pequena feira de culinária, passando por ela provando dos alimentos típicos da região.

            - Se divertiu bastante. - Ria Hyukjae enquanto se sentava em um tronco de arvore, um tanto quanto longe do povoado.

            - É foi legal. - Donghae corava enquanto bebia água. - Nunca imaginei que existiam coisas assim.

            - Bom pelo menos foge um pouco dessa loucura.

            - É...

            O silencio se pousou entre os dois sem deixar de ser algo constrangedor. Donghae olhava o céu escuro com estrelas brilhantes, e as admirava silenciosamente. Hyukjae tentava se concentrar no céu, mas o brilho dos olhos do caçula chamava sua atenção. Passava a admirá-lo por sua beleza e aquilo era simplesmente suspeito. Por que se sentir daquela maneira? Por que seu corpo insistia em admirá-lo? Talvez por ser filho de Zeus, o deus mais conhecido em todo o mundo.

            - Sabe - Donghae sussurrava, fazendo Hyukjae desviar o olhar e rir por ser quase pego. - Acho que se tirarmos o fato de ter sido atacado, estou gostando dessa viagem.

            - Ainda é difícil de acreditar?

            - Um pouco. - Donghae esticara a mão vendo um pequeno raio surgir ali. - Mas é um difícil excitante, algo que me instiga a querer mais.

            - É, imagino.

            Os dois riram e se olharam para rirem mais, era uma situação constrangedora, porém gostosa de ser vivida. Com certeza aquilo estava se tornando uma aventura para além do trono do Olimpo.

ψ
            Hangeng observava seus servos servirem o jantar para seus hóspedes, os garotos pareciam curiosos sobre o Olimpo e aquilo deixava o semideus do sol com o ego nas alturas.

            - Podemos começar com respostas ás perguntas. - Declarou enquanto bebia algum licor.

            - Para que serve esses artefatos? - Donghae perguntara.

            - Os artefatos representam uma arma principal para cada deus. - Hangeng assentira enquanto olhava a mesa de forma pensativa. - Digamos que um objeto que represente cada deus seja a prova para herdar o trono.

            - Ninguém nunca herdou o trono, então criaram essa regra agora?

            - Pensem como uma prova. - Hangeng apontara. - Estão viajando por terras procurando os artefatos, porém ao mesmo tempo estão lutando e aprendendo.

            - Os artefatos são como comprovantes. - Hyukjae continuara. - De que os demais semideuses estão de acordo com o herdeiro.

            - Quer dizer que nos... aprovam?

            - Menos o filho de Hades. - Sussurrava Sungmin. - Ele vai roubar os artefatos no final, disso eu tenho certeza.

            - Por isso o uso dos artefatos. Vocês vão usar eles em algum momento, ao usarem e terem êxito o trono será de vocês.

            Donghae deixara de prestar atenção na conversa e passara a comer cuidadosamente do jantar servido, via seu irmão estar compenetrado no assunto, talvez ele realmente queira herdar o trono, e aquilo passava em sua mente. Teria de separar de Sungmin? O que aconteceria consigo quando aquilo tudo terminar? Como ficaria sua mãe? Balançava a cabeça negando aquilo, era angustiante demais, apenas queria desfrutar de seu presente, o futuro poderia esperar um pouco.

            Sungmin terminara o assunto ao ver o desconforto do gêmeo, olhou Hyukjae que comia calmamente e Hangeng observava todos ali. Claramente era o primeiro local e aquilo seria discutido novamente mais tarde.

            - Bom... pelo menos não estamos sem rumo.

ψ
            Estavam no portal por entre a mata quando Hangeng puxou uma sacola de couro tirando de dentro dela uma lanterna. Sungmin arqueava a sobrancelha sem entender o motivo, e esperava por uma explicação. Estavam para ir embora, não podiam ficar muito tempo no vilarejo já que estavam sendo seguidos pelo filho de Hades, que poderia matar o povoado inocentemente.

            - É uma lanterna, mas não comum. - Ria o semideus ao ver o olhar curioso de Sungmin. - Se estiverem em algum lugar escuro e sem saída, acendam e apontem para uma parede, irá criar um portal e poderão sair.
            - Ah siga a luz. - Ria Hyukjae.

            - Obrigado por acreditar em nós. - Sungmin sorria pegando a sacola de couro.

            - Creio que teremos um ótimo herdeiro.

            O olhar de Hangeng foi para Donghae, o sorriso que carregava derivados significados não foi notado por Hyukjae e nem por Sungmin.  O caçula apenas assentira temendo o que aquilo poderia significar, não acreditando que poderia ser algo ruim mesmo assim mantinha sua suspeita.

            Despedindo-se do semideus Hangeng, os três garotos olharam para o mapa encontrando o segundo ponto que se encontrava do outro lado de um rio, não era muito longe, já que havia necessidade dos deuses estarem por perto para casos de emergência.  Assim se iniciava uma nova caminhada silenciosa.

            Claramente Donghae estava animado com a viagem, e passara a prestar atenção em suas mãos e nos raios que surgiam, Sungmin resolveu ensinar pequenas lições enquanto Hyukjae liderava o caminho.

            - Tem que esvaziar a mente e focar na sua respiração. - Dizia Sungmin que empurrava Donghae para caminhar. - Vamos lá eu te ajudo a caminhar enquanto você tenta.

            - Tudo bem.

            Donghae fechara os olhos deixando seu corpo totalmente entregue ao seu irmão, passou a respirar fundo com a mão esticada e se focava no movimento de seus pulmões. Conseguindo se desligar do seu corpo e focar no ar, os olhos de Donghae se abriram mostrando a brancura total em sua visão, o céu que estava claro e azulado passou ter nuvens carregadas e trovoadas baixas.  O caçula soltava o ar de seu pulmão e sua mão mantinha-se estendida, fazendo um raio cair ao chão em frente á Hyukjae, fazendo o loiro se assustar e cair no chão.

            - Hae Hae acorda.

            Sungmin balançava o irmão que despertara e olhara o irmão sem entender o que acontecera, olhou para sua mão estendida vendo um pequeno raio ali.

            - Olha hyung eu consegui.

            - É-É c-conseguiu. - Gaguejava Hyukjae tremulo.

            Sungmin apenas rira ajudando Hyukjae a se levantar, olhando ao redor notaram o rio perto. Animados os meninos correram indo á margem do rio encontrando um pequeno bote, não demoraram em entrar enquanto Hyukjae empurrava para adentrarem no rio. O loiro não adentrara no bote e mergulhara na água indo para baixo da madeira, Donghae notando a ausência do novo amigo olhara ao redor com os olhos arregalados.

            - Hyukjae? Hyukjae onde você está?

            O loiro emergira na água fazendo os gêmeos arregalarem os olhos, sua pele estava brilhante e tinha guelras em seu pescoço, não deixou de rir em ver a reação dos meninos, voltou a empurrar o bote que começava a flutuar no rio para a travessia.

            - Por que está assim? - Donghae se aproximara da borda do bote olhando Hyukjae que nadava o lado.

            - Filho de Poseidon. - Sorria envergonhado vendo os gêmeos novamente surpresos. - Minha mãe era meio humana e meia... peixe.

            - Uma sereia? - Donghae olhava animado.

            - É... acho que podemos chamar assim. – Ria enquanto movia o corpo para acompanhar os gêmeos. - Ainda estou procurando uma forma confortável quando entro na água... então... não sou tão feio assim ok?

            - Ok pequenos pombos, eu entendi. - Ria Sungmin jogando água nos dois.

            O rio era extenso, fazia longos minutos que os três garotos estavam atravessando, ninguém falava e apenas observavam a margem que se aproximava aos poucos, podendo imaginar o que encontrariam em seguida. No topo de uma nuvem, ele os observava, o filho de Hades mantinha os braços cruzados e mirava os gêmeos enquanto mexia o indicador fazendo o vento deixar o rio perigoso.

            Hyukjae notara aquilo e olhava para o céu não encontrando nada além de nuvens carregadas. Seus olhos ficaram mais claros do habitual suas mãos tocavam no rio deixando a água doce calma para a travessia. O filho de Hades mordia os lábios descontente com aquilo, mas não estava animado para continuar com aquela brincadeira, queria partir para a parte final onde tirava proveito dos garotos, onde recebia o seu premio. Ele sabia que iria ganhar de qualquer forma, era um destino já previsto.

            Resolvendo deixar aquilo para uma próxima tentativa de por medo nos garotos, o moreno saiu das nuvens com as mãos no bolso pulando para a terra indo para o meio da floresta. Enquanto isso Hyukjae puxava o bote para fora do rio enquanto voltava a sua aparência humana.

            - Então quem encontraremos aqui? - Donghae perguntava enquanto olhava ao redor.

            - Siwon, filho de Hera.


-------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário