{LBR} Capitulo 9


Não acreditava no que via, Sehun estava parado á minha frente com um pequeno sorriso nos lábios, e pelos céus que belo sorriso ele tem. Balancei a cabeça enquanto olhava ainda surpreso por encontrá-lo ali, desci da cerca indo a sua frente o olhando de cima a baixo, pela primeira vez via ele arrumado, ultimamente eu tenho me surpreendido demais com ele, aparecendo do nada e me dando dicas sobre os treinos, sem falar que ele ajuda Chanyeol e Baekhyun.

-Surpreso? – Sua voz era baixa, ele mantinha as mãos no bolso, tudo o que consegui fazer foi apenas assentir sentindo minhas bochechas ficarem coradas, e isso era algo que ocorria muitas vezes nesses últimos dias. Minha vulnerabilidade está crescendo ou estou ficando louco de vez. Tudo o que Sehun fez após minha afirmativa, foi rir em um baixo tom. – Pensou que era o Yixing não?

- O-O que? – Olhava surpreso para o mais alto, acabei por rir baixo tentando esconder meu nervosismo, mas não dera certo. Sehun sabia que eu tinha uma pequena queda pelo treinador. – O que faremos?

- Disse que te levaria para um restaurante italiano. – O mais alto começou a tatear as calças como se procurasse algo, o observei atento mordendo o lábio inferior, uma repreensão mental por eu me sentir tão idiota nesse momento, poderia ser viável mais tarde. – Ah esqueci a chave do carro, espere aqui que eu já venho.

Apenas assenti novamente o vendo se afastar, por um momento tentei ligar Rink á Sehun, ambos são loiros e gostam de gelo. Então quando ele me perguntou sobre o ocorrido do jogo, ah... Como me sinto um imbecil nesse momento, ele tentou se aproximar de mim e a minha reação foi totalmente ridícula, ele queria saber o que aconteceu comigo e até mesmo saber o que eu achava em relação á ele mesmo. E claro que eu fiquei parecendo um completo idiota á sua frente, porém me sinto aliviado por não ser uma pessoa estranha querendo me matar, na verdade eu me sentia um pouco confortável com a ideia de Sehun ser Rink. Por isso que Chanyeol disse conhecer a pessoa, será que ele sabia sobre tudo mesmo?

Balancei a cabeça, ouvira um som de risadas, olhando em volta procurando por alguém que pudesse ser a origem do som, aproximei da porta do celeiro ouvindo as risadas cessarem em seguida. Abrindo da porta via a escuridão novamente, caminhei pelos estábulos olhando em volta tendo a única iluminação a luz do luar, logo parei no terceiro estábulo arregalando os olhos surpreso com o que via. Yi Xing estava ali, nos braços de outro, espreitei os olhos para reconhecer quem era e logo percebo ser o capitão do time de futebol, Joon Myung. O mesmo percebera a minha presença, cutucou Yi Xing que me olhava surpreso.

- Luhan o que faz aqui? – Não consegui dizer nada apenas via os dois abraçados daquela forma tão intima, apenas abracei meu braço pensando em alguma resposta provável, mas naquele momento minha cabeça parecia não ter se recuperado do primeiro choque da noite, e então meus olhos foram cobertos por uma mão e meu corpo foi abraçado por alguém.

- Ah desculpa atrapalhá-los – Ouvia a voz de Sehun me arrepiando levemente.

- Não foi nada. – Me mantive em silencio ainda pensativo suspirando baixo puxando a blusa do mais alto. – Mas acho que deveria...

- Não deveria, estamos indo ao nosso jantar, prometo o fazer comer coisas leves pra manter o peso.

Sehun me puxara mantendo meus olhos vendados com sua mão e seu braço em torno de minha cintura, sentindo o ar mais leve foi quando retirou sua mão o olhei ainda surpreso vendo suas feições frias novamente.

- D-Desculpa eu ouvi risadas e acabei por ver...

- Não precisa se desculpar, deve estar surpreso não? – Sehun começou a caminhar a frente apenas o segui olhando curioso para si – Yi Xing e o Joon Myung namoram já faz uns três anos.

- N-Namoram? – Olhei surpreso, via Sehun aproximar de um carro abrindo a porta do passageiro então me olhando, umedeci os lábios entrando no carro ainda digerindo daquelas informações. – Então eu nunca teria uma chance.

A porta fora fechada pelo mais alto, enquanto isso passei a mão no rosto soltando um suspiro longo e baixo, mantendo os olhos na janela. O mais alto adentrara no carro ligando o mesmo, naquele instante eu nem tinha coragem de perguntar se havia idade para dirigir, apenas me aconcheguei no carro passando a olhar a paisagem rural daquela região. A atmosfera no carro fora silenciosa, estava com tanta vergonha de mim mesmo que não tinha coragem em começar uma conversa, mas logo me lembrei do fato de estar ansioso para conhecer Rink, a pessoa das mensagens secretas cuja identidade me era um segredo. Agora ele estava ali do meu lado me levando para um jantar, apenas por eu ter dito meus pratos favoritos.

- Como conseguiu meu numero? – Sussurrei olhando para Sehun, mantendo de sua feição fria, ele apenas suspirou baixando o volume do rádio que havia ligado.

- Pedi ao Chanyeol para ver sua ficha de inscrição para entrar na escola. – Logo o cenário urbano se fez presente, mesmo assim mantive meu olhar sobre o mais alto que apenas fitava a rua.

- Por que esconder sua identidade? – Ele rira por um momento, ao parar no semáforo encostou a cabeça no banco e me olhou calmamente sorrindo levemente.

- Não sabia como me expressar a não ser por mensagens, a primeira eu enviei por engano sem o meu nome, e acabei por achar melhor. – Voltara sua atenção para a rua enquanto dirigia pelas ruas movimentadas da pequena cidade. – E também a sua curiosidade em saber quem eu era me fez permanecer no anonimato.

Sentira minhas bochechas, mais uma vez, ruborizarem. Convenci-me em não fazer todas as perguntas naquele momento, permaneci em silencio preparando a lista das perguntas em minha mente, sendo assim mal vira quando chegamos ao estacionamento. Ao sair do carro sorri brevemente com a brisa gélida bater em meu rosto, estava começando a gostar do clima coreano. Caminhei ao lado do maior para dentro do restaurante, ele havia reservado uma mesa afastada e privada, que foi mostrado pelo garçom gentil e estrangeiro.

Sentamos-nos nas cadeiras e agradeci ao garçom por sua gentileza, segurei do menu olhando os pratos daquela noite oferecidos, me animei ao ver um prato com almôndegas e acabei por pedir aquele, sendo imitado por Sehun que escolheu de nossas bebidas, como somos de menores foi pedido uma jarra da suco de laranja natural. Deixando o menu de lado passei a olhá-lo mais curioso, claro que ele apenas sorrira de lado cruzando os braços.

- Por que eu? – Era a pergunta numero um, uma pergunta que me rodeava a mente desde a primeira mensagem que recebi dele.

- Por causa de Chanyeol. – Cerrei o cenho demonstrando minha confusão sobre aquilo, inclinando a cabeça fiz sinal que continuasse. – Eu tentei de todas as maneiras tentar controlar ele em relação ao Baekhyun, e então quando chegou ele explodiu pensando que vocês estavam juntos. Mas então tudo começa a se resolver.

- Sério? – Soltei uma risada baixa, o garçom aproximava-se deixando a jarra com o suco e os copos no centro da mesa, os serviu e então se retirou, bebi um gole do suco então voltando a olhar o mais alto. – Eles só precisavam conversar só isso.

- É eu pensei nisso, mas fiquei meio acanhado em pensar que Chanyeol poderia machucar Baekhyun. E acredite já tenho rixas demais pro time de hóquei.

- E essa é a sua resposta? – Indaguei ainda mais curioso, ele apenas negou com a cabeça.

- Depois de te ver na sala do vice-diretor passei a lhe observar de longe, até mesmo o jeito como luta foi algo que me chamou atenção. Então no jogo do Baekhyun resolvi mandar a mensagem.

- Então... Se interessou pelo meu jeito de lutar? – Arqueei a sobrancelha ainda confuso com suas palavras, ele apenas ria bebendo do suco.

- Posso dizer que você me chamou atenção, e foi um acidente não ter assinado a mensagem, suas reações me divertiam e resolvi deixar por assim até hoje.

Soltei uma risada baixa assentindo satisfeito com a resposta. Conversávamos livremente sobre as mensagens no geral, Sehun mantinha a aparência calma, tanto na tonalidade da voz quanto em seus gestos, já eu não ria nervoso, mexia as mãos, e dificilmente o olhava nos olhos por muito tempo, acabava por desviar o olhar coçando a nuca. Não demorou para que os pratos chegassem, começamos a comer em um silencio calmo, me deliciava com as almôndegas as comendo como um perfeito carnívoro. O mais alto apenas ria limpando o canto de minha boca achando graça da minha fome. Estava em treino e naquele momento eu comia massa, Yi Xing iria brigar comigo no dia seguinte.

Ah me recordara do treinador, as cenas vistas anteriormente vieram a tona com rapidez. Bebi do suco olhando apenas meu prato vazio, suspirando em lembrar com tamanha exatidão o abraço que eles estavam, parecia um braço apertado e carinhoso. Novamente tocava em meu braço, suspirando baixo.

- Queria que ele estivesse aqui não é? – Ergui o rosto vendo Sehun novamente com os braços cruzados e o cenho franzido com o olhar frio.

- Não, estou apenas surpreso. – Sorri me ajeitando na cadeira.

- Gosta dele tanto assim?

- Uma afeição apenas, por ele ter me ajudado quando cheguei, e me treinar como eu queria.

- Hum entendi. – Sehun se remexera olhado para o lado chamando do garçom, suspirei baixo mordendo o lábio inferior o olhando.

- Sehun, eu... – Ao ver seus olhos me fitarem as palavras sumiram de minha mente, me sentia pelado no meio de uma nevasca do Alasca. O garçom de aproximou entregando uma pequena prancheta com a conta, fiz menção em pagar metade da conta, mas o mais alto negara dando o cartão.

- Está tudo bem, fui eu quem te convidei então eu pago.

- Irei retribuir o valor então.

- Não será necessário.

Levantamos-nos saindo da lanchonete, novamente me repreendia por ter sido idiota o suficiente em estragar o clima ao lembrar de Yi Xing. Não é como se eu gostasse dele, acho que eu tinha afeto por ele, talvez começando a gostar, e agora eu me sinta frustrado por não ter ganhado isso. Então não posso confundir isso com sentimentos mais profundos como o amor, é apenas algo da imaginação mesmo. Caminhamos de volta para o carro onde o silencio reinava novamente.

- Sabe – O silencio fora quebrado por Sehun que mantinha os olhos na rua. – eu sei que está um pouco chateado e tudo mais, mas não pode reconsiderar?

- Reconsiderar o que? 

- O fato de eu te mandar mensagens e te convidar para sair, - Sehun me olhava por uns instantes antes de voltar a olhar para a rua. – Não significa nada?

- Oh. – Assentia compreendendo seu ponto de interrogação, apenas olhei para minhas mãos repousadas em meu colo. – Não pense que eu tenha sentimentos por Yi Xing, como eu disse antes é um afeto que criei e que me surpreendi. E não vou ficar comparado esse encontro com o meu treinador, já que são coisas diferentes.

- Ah, então considera isso um encontro?

O vi arquear a sobrancelha e sorrir de lado, o olhei corando naquele mesmo momento, desviei o olhar pra janela resmungando ouvindo o maior rir de minha reação. Voltamos a falar de assuntos corriqueiros enquanto seguíamos o caminho para a casa decimal, ao estacionar entre as arvores e ter aquele silencio, fiquei a imaginar o que aconteceria a seguir. Tirei do cinto, imitando a ação do maior que se virara olhando para mim, me ajeitei no banco mordendo o lábio inferior imaginando que naquele momento poderia ser o meu primeiro beijo. Pensar nisso obviamente me deixou mais nervoso.

- Fico pensando se agora acabou a magia das mensagens.

- Ah acho que uma nova magia pode estar começando. – Sussurrei o olhando mexendo os dedos na manga da blusa. – Agora sei que é você e assim posso pensar melhor quando dizer alguma curiosidade sua.

- É faz sentido. – Ria ele, ah naquela noite ele sorrira tanto de cada besteira que eu dizia, sinceramente eu estava gostando de ver ele sorrir comigo. – Mas agora acho que podemos conversar mais confortável, ao invés de eu me aproximar fingindo não saber de nada.

- Isso é verdade, não poderá mais judiar da minha curiosidade. – Ria baixo olhando as luzes da casa decimal. – Por que as pessoas se escondem para se encontrar?

- A diretora acha que namoros podem distrair os atletas em seus objetivos de entrar para os grandes times nacionais. – Sehun me olhara e abrira um largo sorriso. – Obviamente discordamos disso.

- Achei que essa regra se aplicasse ao filho dela apenas. – Sussurrei pensativo, então o olhei e fiquei mais uma vez preso em seu olhar.

Da primeira vez que aquilo ocorrera foi após a partida de hóquei, foi naquele momento que reparei de forma diferente em Sehun. Mas naquele dia o som do celular dele foi o que me dispersara, e agora estávamos dentro de um carro onde ele novamente se aproximava de mim, enquanto eu era vitima de seus olhos frios e misteriosos. Aos poucos ele se aproximava, já sentia meus lábios formigarem lentamente e o coração bater rapidamente. Porém meu celular tocara em baixo tom, desviei o olhar para a tela após o suspiro do mais alto que se ajeitava no banco novamente.

- A-Alô? – Ah que maravilhada minha voz sai rouca e ainda gaguejo.

- Onde você está? A diretora está aqui e logo vai passar nos quartos pra ver se todos estão aqui.

- O que? Mas justo hoje? – Suspirei bagunçando meus cabelos. – Não se preocupe eu to indo já.

Desliguei o celular bufando alto jogando o aparelho no fundo de meu bolso. Sehun me olhava curioso enquanto saíamos do carro.

- O que foi?

- A diretora está fazendo chamada, é melhor irmos antes que seja pegos.

●••●

- O QUE? COMO ASSIM NÃO SE BEIJARAM?

Baekhyun sabia muito bem como não reagir de forma escandalosa, estávamos em meu quarto junto com os demais garotos, tirando Yi Xing. Tive que entrar com ajuda de Min Seok e Kyung Soo, e ainda tive sorte de não ser pego pela diretora que já estava no quarto, apenas dei a desculpa de estar na cozinha ajudando meu irmão a fazer a janta, ela acreditou. Havia contado aos meninos sobre o encontro e quem era Rink, Kyung Soo ria baixo abraçando a almofada enquanto ouvia tudo atentamente.

- Não importa se eles ficaram ou não, algo está acontecendo e isso é empolgante.

- A ultima vez que nos empolgamos foi quando Jong In deu uma carta pra você, mas nem nos contou o que aconteceu depois. – Tao se pronunciava enquanto comia de um doce que trouxe escondido em sua blusa. – Vocês nem me contam mais sobre suas vidas amorosas.

- Quem é Jong In? – Perguntei curioso, Baekhyun apenas ria me cutucando com o braço.

- É o artilheiro do meu clube. – Soltei um Ah quase mudo em ver que o nosso garoto prodígio tinha as bochechas coradas.

- Enfim, Luhan está sendo paquerado, e mal chegou no colégio. – Baekhyun ria bebendo do refrigerante que trouxera, se encostou em meu peito cutucando minha barriga. – Cuidado pra não engravidar hein.

- E-Engravidar? Como assim? – Cerrei o cenho ouvindo os demais rirem da minha ingenuidade.

- Tao engravidou do técnico de hóquei.

- Ah por favor, se eu pensar naquele corpo eu me sinto possuído aqui mesmo. – O mais alto se revirava no chão causando risos em nós, apenas assenti fingindo entender o que eles falavam. –Ah e outra, tem alguém aqui muito quietinho, mas que me parece fervilhar na cama.

Todos olharam para Min Seok que escondera o rosto no travesseiro e ria abafado, jogamos almofadas no menor que apenas ria e contava sobre seu relacionamento com outro jogador de futebol e amigo de Sehun. Conta que seu relacionamento com Jong Dae era calmo e sadio e que seus pais sabiam disso e o apoiavam.

- Sério minha mãe gosta mais dele do que de mim. – Bufava o menor.

- Bom eu acho que a minha mãe me mata se souber que estou com Chanyeol.

- Vixi se ela pirar com você que é o xodó da casa, imagina eu. – Ria bagunçando meus cabelos. – Mas só eu que estou solteiro então?

- É só você, e por enquanto – Tao se ajeitava no chão deitando a cabeça no colo de Kyung Soo. – Essa é a parte legal de ser novinho na escola, rola uma disputa de machos alfas pra ficar contigo.

- É, mas no caso do Luhan não foi qualquer macho alfa. – Kyung Soo se pronunciara. – É a segunda pessoa que mais tem influencia na escola.

- Como assim? Quem é o primeiro? Espera o que?

Os meninos riram da minha confusão, me senti uma garota na festa do pijama enquanto fofocava sobre garotos. Não sabia que todos ali namoravam, e pelo o que entendi é normal eles se relacionarem já que os passivos competem a atenção com as garotas.

- Kris, o técnico do time de hóquei...

- E MEU BOY MAGIA – Gritava tão rindo, levando um tapa de Kyung Soo.

- Se aquieta ai, o Kris é o mais cobiçado, ele é do time nacional e foi considerado o mais novo a entrar no time. Na época ele tinha 15 anos então um monte de técnico iam até ele pedindo por contratos exclusivos.

- Uau, então levam bem a sério aqui.

- Sehun é o próximo da lista. – Baekhyun me abraçava pela cintura enquanto eu acariciava seus braços. – Sehun é o jogador perfeito pro time, é tipo do Kris, só que bem mais valioso.

Assenti imaginando esse grande potencial. De fato no jogo daquele dia ele parecia bem concentrado e jogava com maestria, mas não imaginei que fosse para tanto assim. Acredito nunca ter percebido isso por conta de meu baixo conhecimento sobre os jogos e suas regras. Isso demonstra que sou focado demais no Box, devo me distrair com outros esportes de vez em quando.

- De qualquer forma Sehun é o garoto, os garotos tem medo dele, os que já desafiaram para um combate, até em outros esportes, sempre perdem. – Comentara Min Seok. – E as meninas babam por ele.

- Ouvi dizer que uma estudante invadiu a casa dele, e que o quarto era cheio de itens sado masoquistas.

- Ta...cade a parte assustadora? – Tao apenas fora acertado com outro travesseiro.

- Digamos que o fato de ter recebido um aceno de cabeça, as meninas piram na dele – Baekhyun cutucou de minha barriga. – Imagina receber mensagens e ainda sair com ele, com direito a dois quase beijos, e ainda por cima ele interessado em você? Você ganhou na loteria.

- Quer um conselho? – Tao segurou minhas mãos, apenas assenti o olhando curioso. – Não sou muito emotivo, gosto mais do sexo do que sentimentos, mas o que eu te aconselho é, espere um pouco e veja como ele pretende te abordar nos próximos dias. Homens que querem sexo vão tentar te beijar, te encostar, agora um homem que quer ter algo sentimentalmente profundo contigo, vai te conquistar a cada dia com coisas pequenas. E acredite se ele tiver um quarto com coisas sado masoquistas então ele é o escolhido divino.

Os meninos novamente tacavam travesseiros no maior, rimos grande parte da noite enquanto conversávamos sobre assuntos alheios. Naquela noite Yi Xing não estivera conosco, o motivo eu nem perguntei. Porém descobri mais sobre Sehun, ele é um garoto talentoso e cobiçado, tão cobiçado que há lendas sobre o seu respeito. E agora... Parecia que Oh Sehun era o meu centro de atenções.

❖----------------------------------❖

Nenhum comentário:

Postar um comentário