{AYNIL} Prologo


Apenas sentado em cima de uma arvore, vendo o dia sumir e a noite surgir. Estava me sentindo entediado e invejoso. Olhava para aqueles humanos á minha volta, vendo que cada um deles, tinha alguém para segurar a mão e beijar-lhe os lábios.

Suspirei indignado. Chanyeol, aquele humano que me fizera perder minha mente e meu tempo, apenas para pensar em si. Aquele humano que entrara em minha vida no meio do nada, me fazendo olhar em seus olhos negros e me aprofundar no mar de sensações. Estava me sentindo perdido.

O que deveria fazer para poder, me aproximar daquele ser, que tanto amava? Não sabia. E só teria uma pessoa, nesse mundo inteiro que poderia me ajudar. Omma.

Descera da arvore e pulara no parapeito de um prédio grande. Escalara sua estrutura até chegar á cobertura, assim pulando para o prédio seguinte, podendo seguir sucessivamente. Logo as ruas que ficavam perto da rodovia, era encontrado um prédio. Subira nele, indo até o ultimo andar, onde a janela sempre se encontrava aberta.

Chegara no apartamento, encontrando os gêmeos, dormirem no sofá enquanto a televisão se mantinha ligada. Sooyoung aparecera, sorrira para mim de forma bondosa, desligando o aparelho. Entrei com cuidando e estalei um beijo na vampira mais velha.

- Onde está omma? – Perguntei em um sussurro.

- Está em seu quarto com o Appa. – Dissera a garota que logo seguia para seu quarto.

Andei até o final do corredor, encontrando a porta fechada. Entrara no cômodo, podendo ver ambos meus pais, abraçados enquanto aproveitavam de suas próprias presenças. Sentira meu peito doer em inveja. Queria aquilo também.

Omma logo abrira os olhos e sorrira de forma gentil. Estendera a mão como convite. De forma dengosa, fui até a cama dos dois e me deitei na barriga de meu pai, que começara a mexer em meus cabelos, enquanto omma me abraçava.

- Diga meu querido, o que te aflinge. – Dizia o mais velho.

- Omma gosto de um humano. Fiz de tudo para que ele gostasse de mim. – Respondi formando um bico nos lábios.

- Seria o tal de Chanyeol? – Perguntara Appa. Levantei o rosto e assenti-lhe. – Ele descobriu, não foi?

- Appa, ele vai me odiar? – Perguntei sentindo medo de que aquilo pudesse acontecer.

Omma, protetor como sempre fora, apenas me abraçara, mexendo em meus cabelos enquanto estalava seus lábios em minha testa. Era aquilo que acalmava, omma e Appa juntos era uma harmonia e tanto. Problemas, seja La quão grave forem, sempre serão apaziguado sob suas presenças.

- Meu querido, dê tempo á ele. fora o mesmo conosco. – Dissera Omma. – Seu pai fez coisa pior comigo.

- Oras, já disse que não fora a minha intenção. – Rira Appa. – Tabom foi a intenção botar fogo no orfanato, mas não sabia que iria cair de amores.

- Appa você não está ajudando. – Reclamei.

- O que importa, é que uma hora ou outra vocês terão de se entender. Sabe que seu tio Ryeowook não pode ficar parado quanto á isso.

- A sede caçadora irá atrás dele? – Perguntei me sentindo preocupado com aquele humano. Por mais que ele me ignore, não consigo deixar de lado o meu lado protetor.

- Só se ele fizer algo contra nós. – Acalmara omma. – meu pequeno, ele irá conversar contigo. Enquanto isso, não desista. Se ele te ama, então cedo ou tarde irá saber disso.

- Tem razão. Então não devo ficar tão preocupado, certo? – Perguntei vendo o casal assentir.

A porta do cômodo fora aberta por Sooyoung que segurava o telefone na mão.

- Principe. – Chamara ela, era engraçado como ela gostava de mimar todos os irmãos. Talvez fosse seu carinho de noona. – Telefone para você, é um tal de Chanyeol.

Sentira o coração bater acelerado. Finalmente uma resposta dele, depois daquele desencontro. Finalmente ouviria sua voz e uma possível resposta vinda dele. saira correndo da cama de meus pais e fora direto para a a porta, pegando o telefone e o colocando no ouvido.

- Alô?

Nenhum comentário:

Postar um comentário