{The Ghost Of...} Capitulo 3 - Eclipse Lunar


Saí do jardim com as palavras de Kyuhyun rodando meus pensamentos. O que ele queria de mim? Por que todo mundo fica me cercando sendo que eu sou apenas um novato, que está dividindo o quarto com um cara que gosta de atormentar almas? Deve ser por isso, deve ser por que todos estão curioso em saber como aquele cara consegue se divertir com suas traquinagens. Não irei mentir á mim mesmo, também tenho uma ponta de curiosidade em saber como ele faz para ver as pobres almas, e se era verdade tal ato, mas algo dentro de mim diz que eles fazem isso apenas para chamarem atenção.

Andei pelo colégio, vendo que aos poucos ficava escuro, tinha andar rápido se não entraria em pânico. Corri pelos corredores a procura do elevador, assim que o achei apertei o botão uma centena de vezes, olhava para os lados tendo a certeza de todo o lugar estaria iluminado. Assim que o elevador chegou entrei nele apertando botão do quinto andar, por estar ficando nervoso, não notei na musica sonolenta que tocava, ao abrir a porta corri feito louco até a porta, abrindo o quarto e ascendendo a luz, seguido por um suspiro de alivio.

Olhei em volta, vendo que não tinha de interessante em se fazer, faltava alguns minutos para o jantar, até eu teria que me manter ocupado. Peguei meu notebook, e olhei ao redor do quarto a procura de algum lugar onde pudesse me sentir mais á vontade. Notei que havia uma janela por detrás ás escadas que levavam ao segundo andar. Perto dessa janela tinha uma espécie de estofado, me parecia perfeito.

Sentei-me com o notebook em meu colo, vendo a tarde ir embora aos poucos. Assim que me conectei na internet, pude ver vários sites falando sobre o eclipse lunar que haveria esta noite. Fiquei entusiasmado com tal noticia, sempre adorei o eclipse lunar, era uma de minhas fascinações prediletas. Procurei pelos sites a hora exata, talvez devesse comer mais rápido, não gosto de perder um minuto se quer daquela maravilha celestial.

Olhei no relógio, talvez já esteja na hora do jantar. Desliguei o computador, resolvi tomar banho, já que depois de assistir o eclipse iria dormir, por ser tarde. Peguei uma muda de roupas e me dirigi ao banheiro, sentindo a delicia da água morna escorrer por meu corpo. Tentei não pensar em Kyuhyun, mas fora em vão. Seu sorriso malicioso sempre invadia meus pensamentos junto com suas palavras proferidas mais cedo, isso me deixara um tanto pensativo novamente, ele realmente queria ser meu amigo? Parece pensamento de criança, mas eu não me sentia muito confortável com ele, parece que tem uma aura ao redor dele, que diz que eu deveria ficar longe. Será que fui grosseiro com ele? Minhas palavras saíram frias demais? Por que eu deveria me preocupar com isso, seu olhar e seu jeito são duas vezes mais frios do que as palavras que eu proferi á ele.

Desliguei o chuveiro, logo me vestindo. Quando tive a certeza de que estava bem confortável, fui em direção do refeitório, encontrando alguns alunos que também falavam sobre o eclipse lunar. Sorri bobo, não era o único a gostar de tal efeito, isso deixou meu coração quente, confortável.

Cheguei ao refeitório, peguei uma bandeja preparando um belo prato, estava com fome já que passara a tarde sem comer. Era sempre assim eu comia e nunca engordava, vai entender. Encontrei-me com Ryeowook, vendo ele se sentar na mesma mesa de antes. Acredito que ele deve saber quem senta atrás dele, por isso vem aqui. Pelo menos foi o que eu pensei.

- Sungmin, ficou sabendo do eclipse? 

- Sim, por isso vim mais cedo.

- Quando têm esses tipos de coisas, como chuva de meteoro, eclipse solar e lunar, fenômenos celestiais, a escola deixa os alunos irem para pátio observarem. Você vai?

- Bom, parece uma boa ideia.

Continuamos o jantar falando sobre como era festejado o eclipse solar. Achei estranho a escola comemorar os fenômeno como esses, pelo o que meu novo amigo me dissera, parece que eles servem os alunos de forma cortesia, para que nos sintamos em casa. Tudo bem os alunos gostarem disso, mas não era considerado exagerado?

Terminamos de jantar, como iria ver o eclipse com Ryeowook, nós fomos direto para o pátio, para pegar lugar, parecia que era competitivo. Sentamos na grama mesmo, vendo o céu ficar estrelado. Ryeowook saiu por um tempo e voltou com uma toalha, para que não sujássemos nossas roupas. Quando me senti confortável, eu me deito sobre a toalha tendo a perfeita visão da lua.

Aos poucos o pátio ficou cheio, vários alunos me imitaram, aproveitando da bela visão, muitos deles apenas estavam ali para festejarem, ignorando totalmente o motivo de tanta gente. Assim que a sombra de nosso planeta começara a ser projetada na lua, todos ficaram maravilhados, muitos cochichos de como era lindo e flashes de câmeras digitais, começaram a ficar bastante visíveis. Senti-me feliz em ver tanta gente reunida, mas estava ansiando quando a lua estivesse totalmente coberta pela lua, Ryeowook me dissera que aí sim a festa ia começar.

Estava tão absorto na beleza da lua, que me assustei quando senti um par de braços cercarem minha cintura. Olhei para o lado vendo um joelho, alguém estava se aproveitando de mim. Olhei para trás encontrando aqueles olhos frios novamente. Ele realmente cumpria o que falava eu me afastei e ele me segue novamente.

- O que faz aqui? – Perguntei me afastando de seu corpo, vendo seu rosto se manter frio.

- O que acha que eu vim fazer aqui?

- Me encher a paciência.

- Errado, vim ver a lua.

Bufei revirando os olhos, olhei para barraca de bebida, sentindo minha garganta se fechar, estava com sede. Me levantei indo em direção de tal barraca, peguei duas latas de suco, e voltei á toalha, vendo que Ryeowook e o amigo de Kyuhyun haviam sumido.

- Para onde Ryeowook foi? – Perguntei ao ser que olhava a lua.

- Foi dar uma voltinha.

Me senti perdido, me sentei novamente, porém ao lado de Kyuhyun, que matinha a mesma posição, como se me esperasse para que eu sentasse entre suas pernas. Estiquei um dos sucos, em sinal de respeito, e ele aceitou na hora dando um belo sorrio. Me perdi naquele sorriso, pude ver como sua pele clara destacava suas maçãs do rosto, seu sorriso era bem bonito e me parecia sincero. Quando escutei o lacre da latinha acordei de meus devaneios, vendo em como havia me perdido nele, fazendo uma nota mental de que nunca mais deveria fazer isso.

- Eu não me importo. - Olhei para Kyuhyun, se importar com o quê? – De olhar para mim.

Arregalei os olhos, sentindo o meu rosto ficar quente, abri a latinha de suco, tomando um gole da bebida que estava gelada, sentindo o calor passar. Como ele sabia que eu não quero olhar para ele? Será que eu pensei alto? Não, não me lembro de ouvir minha própria voz, mas eu não ouviria se fosse inconsciente.

Eu estava tão perdido procurando um motivo, ou tentando me lembrar em que momento que eu havia pensado em voz alta, mas apenas ouvi Kyuhyun soltando uma risada, como se estivesse divertindo com a minha preocupação. Resolvi ignora-lo, só assim poderia me concentrar na lua.

Olhei para cima vendo que mais uma parte da lua estava coberta, senti meu coração acelerar e um sorriso tomar contar de meus lábios, eu realmente nunca iria me cansar de ver a lua daquele jeito, tão bela e encantadora.

- Sungmin. – Escutei Kyuhyun me chamar. – Você não vai fugir de mim?

- Cheguei aqui primeiro.

- Então ficarei.

- Não ligo, estou aqui para ver a lua e não você.

Pude ver de relance que Kyuhyun soltou uma risada incrédula, como se não acreditasse em minhas palavras. Mas era verdade, eu iria assistir o eclipse do estofado perto da janela, lá me daria uma bela visão. 

Uma bela visão, não perdi meu tempo e logo corri em direção do dormitório. Tudo bem seria realmente legal ver o eclipse com todo mundo, mas por um segundo eu me esqueci dos efeitos colaterais que ela me trazia. Eu corria tanto, que quando me dera em conta estava parado em frente do dormitório. Abri a porta e a fechei, indo em direção do estofado. Sentei-me de forma confortável, e lá estava ela, a lua coma sombra da Terra, faltava pouco para ficar totalmente submersa na sombra.

Escutei a porta do quarto ser aberta, deve ser Kyuhyun que não desgruda de mim. Mas não me importei apenas fitei a lua, deixando que nenhum pensamento me rondasse. Iria ignorar tudo que tinha a minha volta. Era assim que eu fazia quando era menor, quando meus pais me ignoravam e eu me sentia só, sempre guardando o rancor em meu coração, eu chorava no eclipse. Era assim, mesmo que o fenômeno acontecesse dentre alguns anos, era o único momento que eu derramava as lagrimas.

Por nunca chorar, nem quando me machucava, acabei por virar alvo de bullying, os grandões e mais velhos faziam de tudo para derramar uma lagrima minha, mas era impossível. Só chorava na lua cheia dos eclipses lunares. E não era simplesmente deixar as lagrima rolarem pelo meu rosto, era chorar com soluços, com tristeza, sempre com mágoa de tudo o que ocorrera durante aqueles anos, sempre me perguntando do motivo de nunca parecer normal aos olhos das outras pessoas. Sempre encontravam algo para apontar como defeito, e era esse defeito que eu tentava melhorar, mas sempre dava errado, sempre me machucava, sempre sentindo a solidão ser meu companheiro. Por mais que tivesse tido alguns colegas de classe, me sentia só, não era o suficiente, tinha algo mais, eu precisava algo mais do que amigos, mas nunca soubera o que é.

Vi que na minha frente estava Kyuhyun, com seus olhos frios, mas que mostravam certa preocupação. Não vira o tempo passar, faltavam alguns minutos para a lua ficar submersa na sombra. Não queria que ele visse meu estado emocional, fora por isso que eu correra para o quarto. 

- Não irei sair. – Novamente Kyuhyun adivinhara meus pensamentos. – Por que não me deixa ficar ao seu lado?

- Por que deixaria um estranho ficar perto de mim como um maníaco?

- Mas eu não sou um estranho.

- É a primeira vez que eu te vejo.

- Mas não é para mim.

Como assim? Eu nunca o vira durante a minha vida, como ele poderia ter me visto? Logo ouvi um barulho vindo do lado fora, olhei para a lua vendo que chegara a hora. Não se demorou muito, as lagrimas vieram á tona.

- Kyuhyun saia, por favor. – Pedira vendo que os soluços já havia chego.

- Não.

O Kyuhyun realmente tinha que ser teimoso justo naquela hora?não poderia esperar mais algum tempo, tinha que ser justo no momento em que me sinto vulnerável? Mas a ação que Kyuhyun fizera me chamou a atenção. Ele me abraçou, apenas me abraçou, ele passava suas mãos em minhas costas e a outra em meu cabelo. Pude sentir seus dedos longos eram gelados, como se não tivessem vida, seu coração, eu não sentia, mas nada me importava. Apenas senti mais lagrimas e mais soluços vindo, e aquela fora mais uma vez em que eu chorava tudo o que havia guardado durante todos esses anos. Meus pais dizendo apenas para que eu estudasse, que não prestasse atenção em mais nada, meus amigos apenas tirando proveito do que eu tinha de bens, como dinheiro, celular CDs etc, tudo o que havia guardado eu chorava, noites e noites tentara chorar, sentindo meu coração pear, mas uma lágrima se quer caíram. Agora que eu estava abraçado a um estranho que diz já ter me visto, eu derramava tanta lágrima que poderia encher um rio.

Apesar dos gritos em comemoração do lado fora, tudo o que eu ouvia era os meus soluços, mas não havia visto que eu me agarrara a camiseta de Kyuhyun, como se fosse ele de quem eu precisava, no momento até poderia ser, mas acredito que não é dele que eu preciso para acabar com a escuridão e solidão em meu peito.

Não percebera quando havia caído no sono, apenas vi que estava em minha cama e que o meu celular despertava, avisando que eu tinha que acordar pois havia aula. Balancei a cabeça tendo nenhuma recordação da noite anterior. Sem tentar puxar alguma lembrança, fui ao guarda roupa, peguei a minha roupa e fui ao banheiro. Tomei meu banho como se nada tivesse acontecido, mas eu sentia meu rosto estar inchado por causa das lagrimas. Quando terminei de me arrumar fui ao refeitório, não vi Ryeowook, por isso optei por não comer, não ficaria ali sozinho.

Fui direto para a sala de aula, vendo que meu amigo já estava lá. Fingi que não tinha o visto e me sentei no meu lugar, logo ouvi a cadeira ao meu lado ser arrastada, era Ryeowook.

- Minnie, me desculpa por ter desaparecido ontem. – Disse ele enquanto ficava surpreso pelo meu apelido, já que era a primeira vez que alguém me dera um.

- Wookie, fique tranquilo, você deve ter seus motivos. – vi que o baixinho sorriu quando escutou o apelido que eu dera a ele,.

- Na verdade tem algo que eu quero contar. – Ele se aproximou de mim, para que ninguém além de mim escutasse o que estava prestes á dizes. – Yesung me chamou para sair.

- Como é que é? 

- Isso mesmo, nos finais de semana os alunos estão livres para verem seus familiares e saírem para se divertirem, então ele me convidou para irmos ao cinema.

- Wookie, você gosta dele? – Perguntei pasmo, vendo o rosto de meu amigo ficar totalmente corado. Não me aguentei e o abracei. – Fico feliz por você, Wookie.

- Ah Minnie, você não têm noção do quanto isso me faz feliz.

Um pigarrear nos fez separar, novamente, aqueles olhos frios, aigoo ele tinha que mudar seu jeito de ver as pessoas. Mas além da frieza pude ver que algo o incomodava, mas não pude saber o que, já que não leio mentes como ele.

- Se o Minnie e o Wookie me dão licença, eu acabei de acordar, e não quero ver isso.

Vi Wookie encolher os ombros, Kyuhyun deveria saber que seu amigo convidou o baixinho para sair, então deveria estar feliz por isso. Pelo menos é o que eu penso, mas vendo o jeito de que ele é, não duvido que os dois queiram apenas brincar com o coração de Ryeowook, se eles fizerem isso, eu juro por tudo que me és sagrado, que acabarei com a raça deles, chamando tudo quanto pai de santo.

- Se não quer ver feche os olhos, não obrigamos você á olhar.

Sei que minhas palavras soaram frias, mas de pensar na ideia dele brincando com o baixinho me deixara um pouco irritado. Virei-me para frente vendo que o professor já estava na sala. Olhei de relance para Wookie, que me agradeceu, me sinto bem aqui, apesar desse lugar ter uma aura e alguns alunos meio abusados, o colégio não é um lugar totalmente chato ou bagunçado. Prestei atenção na aula do professor, quando um papel dobrado caiu em minha mesa.

‘’Depois da aula, quero conversar com você.

- Kyuhyun’’

De repente as lembranças da noite anterior vieram em tona, do jeito como o abraçara, do jeito que chorava, de como ele tentava amenizar meus sentimentos. Será que ele iria falar sobre isso? Iria usar meus sentimentos contra mim, só por causa da respostas que eu lhe dera mais cedo? Não, não poderia ser assim, mas mesmo que fosse iria deixar de lado. Ryeowook é uma pessoa que eu sinto sua amizade ser verdadeira, então não teria problema em ver Kyuhyun usar o meu segredo contra mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário