{Seulement Vous} Capitulo 7

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 7 - Capitulo 7

11 de julho
A primeira noite de Jun Myeon dentro das termas pareceu ser o inicio de uma noite em meio da tempestade. O céu escuro mostrava as estrelas brilhando sem nuvem para atrapalhá-las, suspirando enquanto se apoiava na madeira da sacada, o ômega ficava a pensar sobre o que havia acontecido consigo durante os últimos dias. Já não lhe bastava o ocorrido com Yi Xing, agora se sentia mal por conta de seu amigo Min Seok. O outro ômega nunca demonstrou seus sentimentos, e via Jong Dae se aproximar sempre de Jun Myeon com segundas intenções. “Como ele aguenta?”. Talvez nascesse ali um respeito pelo garoto, Jun Myeon ria de forma simplória de sua própria imagem, se sentia traído com seu amigo e quase faria o mesmo com Min Seok.

Apoiando a cabeça na palma da mão, ficava a passar o indicador pela madeira escura enquanto observava a paisagem escura. Já teria jantado em um refeitório principal da hospedaria, um banquete com alimentos japoneses e mesmo assim delicioso para o gosto de híbridos. Os dois rapazes ômegas já dormiam no quarto com o ar condicionado ligado, ainda assim Jun Myeon sentia-se abafado dentro do quarto, mesmo estando na sacada com o vento gélido batendo em seu rosto, parecia que tudo em sua volta estava pegando fogo.
- O que devo fazer, o que devo fazer?
Batendo o dorso da mão na testa, fazia careta sem saber o que deveria fazer para que tudo voltasse ao seu normal. O som entre as folhas o fez ficar ereto e olhar atentamente por entre as árvores, se prepararia para ver algum tipo de animal pequeno, porém ficou levemente corado em ver Yi Xing surgir por entre os arbustos. Ajeitou rapidamente o roupão fino que usava, cobrindo o peitoral que estava á mostra e sorriu de forma envergonhada enquanto olhava o alfa que se aproximava.
A forma como o mesmo caminhava ainda deixava o ômega boquiaberto, a natureza em sua voltava o enaltecia de sua beleza. Usando de um calção e uma camiseta regata, que enaltecia de seus músculos, Yi Xing não sorria e apenas parou em frente á sacada onde o ômega estava. Por alguns segundos os dois trocaram olhares intensos, Jun Myeon tentando controlar de seu coração descompassado, que liberava mais de seu cheiro doce que chegava ás narinas do alfa.
- Boa noite – Sussurrou o alfa ficando próximo o suficiente da sacada, no térreo onde o ômega estava hospedado.
- Oi.
- Topa um passeio noturno?
- Está na hora de ir dormir senhor Xing.
O alfa sorriu com a forma como fora chamado, pousando as mãos em seus bolsos ele sorria levemente para o ômega.
- Quebre as regras senhor presidente, pelo menos dessa vez.
Fazendo de uma careta, o ômega olhou para o quarto escuro onde se podiam ver os seus colegas adormecidos sem se mexerem muito. Olhou novamente para o alfa e suspirou de forma derrotada. Não tinha como resistir de seus encantos, sem dizer que a ideia de Jong Dae sobre aproveitar daquela viagem antes de sua partida, poderia lhe fazer tomar mais decisões dependendo daquilo que fosse descobrir. Sentando-se sobre a sacada, girou as pernas podendo pular para o lado do alfa, ajeitou de seu roupão e cruzou os braços, seguindo uma trilha visível por entre as árvores sendo seguido pelo maior.
Não havia explorado muito daquele lugar Jun Myeon apenas seguia acompanhado por Yi Xing, o silêncio entre eles deixava a atmosfera intensa e ansiosa. O ômega desviava o olhar por tudo em sua volta demonstrando seu incomodo, não demorando em ser notado pelo outro que soltava um riso baixo. Sem poder dar as mãos ou ficar muito próximo, Yi Xing ficava apenas observando de canto antes de poder pigarrear baixo e iniciar de uma conversação.
- Pensou no que eu te disse? – Sussurrava o alfa temendo ser pego por algum professor, durante sua caminhada sutilmente proibida.
- Hm, sobre o que exatamente quer que eu prometa?
- Quero apenas que seja sincero com o que sente, tanto em relação á mim quanto em relação á Jong Dae.
- Sei o que sinto, o que me deixa em duvida é saber se confio mesmo. – O ômega parou diante de um chafariz que esbanjava da água cristalina, se sentou em um banco de madeira branco e ficou a olhar a água que escorria pela escultura central. – Ainda não sei o que pensar.
- Jun Myeon o que Jong Dae disse sobre os sentimentos dele, devem ser levados á sério. Quer dizer todos os sentimentos devem ser levados sério.
- Yi Xing, por que essa rixa toda? Sinceramente não entendo o porquê de vocês dois estarem em minha volta depois que o meu diário...bom você sabe.
O alfa ficava olhando atentamente para o menor, sentando-se ao seu lado evitou de ficar muito próximo, sentindo que o ômega ainda estaria receoso consigo. Deixando as mãos sobre suas próprias pernas, ele olhava para o mesmo ponto do chafariz e sorria sutilmente.
- Jong Dae e eu somos meio irmãos. – Sussurrava o maior, Jun Myeon fechava os olhos e mordia sutilmente de seu lábio inferior. – Somos filhos da mesma mãe, ele é mais velho que eu. Não sei sobre seu pai, na verdade nunca ouvi falar dele, mas sei que quando minha mãe se casou com meu pai, ele foi deixado de lado.
Jun Myeon desviou o olhar para o alfa e via o mesmo sorrir docemente e brincar com os próprios dedos sobre suas coxas. Ele parecia totalmente perdido em seus pensamentos, como se organizasse os fatos para que fossem contados sem que o ômega ficasse sem entender da relação.
- Temos poucos anos de diferença e quando éramos jovens ele cuidava de mim como um verdadeiro irmão. Mas cada vez mais os meus pais ignoravam Jong Dae, não sei o motivo e então todo o carinho que ele deveria ganhar veio para mim.
- Então ele age de forma grosseira para mostrar sua frustração familiar? – Adivinhara o menor que ganhou um riso baixo do maior enquanto assentia. – Só por isso?
- Tem coisas maiores, mas nem eu sei direito. Eu não brigo com Jong Dae eu nunca fiz nada, ele apenas quer me ver ferido para que possa se sentir amado de alguma forma...torta.
- Isso explica muita coisa de fato. – Sussurrava Jun Myeon voltando a olhar o chafariz. – Então vocês são irmãos e a mãe de vocês não gosta dele por lembrar o pai, eu suponho.
- Jong Dae foi parar em um observatório da capital americana, não sei o que se deu mas depois disso minha mãe tenta se reaproximar, mas ele a repele.
- Acho que isso caberia ao Jong Dae em contar – Entrecortara o ômega, que se ajeitava novamente no banco e cruzava os braços. – Por que eu estou envolvido nisso?
- Porque faz três anos que te observo. – Yi Xing olhou para o ômega e segurou delicadamente de seu queixo o fazendo olhar para si. Os olhos mirados pelas orbes castanhas de Jun Myeon fazia o brilho no olhar do alfa aumentar. – O seu cheiro me fascina e eu fico a te observar tão atentamente que não sei como consegui me controlar durante esse tempo.
- Devo dizer o que eu acho?
- Não – Ria o alfa soltando do queixo do menor sabendo qual o assunto que o outro se referia– Jong Dae achou que poderia me atingir te usando, mas na verdade ele me mostrou um tipo de esperança. Tu tem sentimentos por mim..
- Ou tinha...
Yi Xing não havia gostado daquilo, na verdade lhe deixava furioso ver que Jun Myeon poderia estar se afastando por conta do vira na outra noite. Precisava tomar alguma iniciativa, sendo assim segurou as mãos de Jun Myeon e sustentou de seu olhar de forma intensa. O ômega corava violentamente sem conseguir desviar de seu olhar, apenas sentindo sua alma ser absorvida por aquele alfa. O vento que soprou entre as árvores não demorou para misturar os dois aromas dos híbridos, um aroma forte e agridoce entorpecia os dois, deixando com que as pupilas se dilatassem. Yi Xing soltou a mão do menor e levou a ponta dos dedos por seus cabelos macios sem desviar o olhar. Jun Myeon se arrepiava com o leve toque e segurava firmemente a mão do alfa que sorria com a resposta em instinto.  Aproximando o seu rosto do menor, Yi Xing se arriscava em tentar selar os lábios do ômega, tal ato que fora um alivio.
Jun Myeon estava entorpecido pelo aroma que os dois haviam criado, e a pressão dos lábios do alfa sobre os seus causaram-lhe arrepios na pele impulsionando seu corpo contra o do maior, como se precisasse ir além do que um selar tão breve e superficial. Fechando os olhos, permitiu-se sentir novamente a sensação de ter a boca do maior sobre a sua. Fora um breve selar que Yi Xing deixou, se afastou brevemente e observou de forma atenta a reação do menor, que mantinha-se de olhos fechados e os lábios levemente entreabertos, como se ainda esperasse por si.
Não queria perder mais tempo, já teria cometido erro antes e agora precisava garantir os sentimentos de Jun Myeon antes que o perdesse por completo. E pensar que minutos atrás tentava dormir sem conseguir fechar os olhos e ver o rosto triste de Jun Myeon passar por sua mente. Não conseguia se sentir bem em ver um ômega tão especial longe de si, e por isso pediu pela caminhada, como uma forma de abrir seus olhos e saber o que deveria fazer para caminhar mais em direção do coração de Jun Myeon. E ver aqueles lábios entreabertos de forma convidativa quase lhe fazia sentir como se estivesse em seu cio.
Novamente selou-lhe os lábios do menor com mais pressão, a mão direita transpassava pelas costas do menor, enquanto a esquerda se entrelaçava com os dedos finos do ômega. De forma tímida, pediu-lhe a passagem que fora concedida pelo menor que deixava-se levar sem saber o que fazer. Era seu primeiro beijo intenso e precisava ser guiado pelo toque do maior. Yi Xing explorava a boca de Jun Myeon calmamente, não querendo assustá-lo, apenas conhecendo de sua boca com a língua, que logo se entrelaçava com a semelhante do menor e iniciar um toque mais intimo.
O aroma apenas crescia entre os dois, Jun Myeon puxava mais do maior a procura de seu contato e já teria se esquecido completamente de sua mágoa de algumas semanas atrás. Era quase possível sentir sentimentos entre os dois, algo mútuo e difícil de ser percebido, apenas como se fossem pedacinhos sobrevoando nuvens em um céu azul. Yi Xing se aproximava mais do menor, afundando de seus dedos na cintura do menor e intensificando do beijo para algo mais afoito e necessário. Os dedos entrelaçados não se soltavam e apenas se apertavam ainda mais, as mãos livres procuravam por um ponto onde pousar e garantir que o toque era real.
Mesmo sem ar, Yi Xing não deixava em paz os lábios do menor, selava-os mesmo com o fim do ósculo intenso tendo os mesmos avermelhados e levemente inchados. Ficava a observar a face ruborizada, a forma como suas mãos lhe prendiam, a respiração ofegante bater em seu rosto e os olhos abrirem lentamente para lhe observar.
- Eu quero mais de Jun Myeon.
Fora tudo o que o maior sussurrava roçando seus lábios sobre o do menor, que lhe olhava já com pupilas normalizadas.
- O que faz comigo Yi Xing?
- Eu te quero apenas para mim – Sussurrava com a voz embargada, Jun Myeon prestou atenção no olhar e poderia jurar em ter visto os olhos do maior começarem a se encher de lágrimas – Apenas me tire o som desse mundo barulhento.
- Mas e quanto ao Baekhyun?
A pele do ômega se arrepiava e sua boca formigava, afastou seu rosto do alfa sentindo-se desconfortável em se lembrar do que havia lhe afastado de seu melhor amigo. O alfa se manteve na posição e apenas observava o menor ainda acariciando de sua cintura.
- Conheço Baekhyun desde novo, e como eu tinha passado o primeiro cio antes dele, eu decidi ajudá-lo até ele ter alguém com quem pudesse ter uma mordida. – Vendo que o ômega ficara tenso, o alfa soltou de sua cintura e coçou a nuca – Não contei á Chanyeol porque relacionamentos tem que vir de forma natural, ele que tem que conquistá-lo, quando Baekhyun tivesse certeza de ter encontrado quem gosta, então eu não precisaria fazer mais nada.
- Sabe que jamais esquecerei disso não é? – O olhar intenso do menor fez com que Yi Xing paralisasse minimamente. – Posso me sentir amado com um beijo seu, mas como posso confiar em você Yi Xing?
- Apenas me permita te conquistar. Não me afaste de si e deixe-me fazer confiar em mim, mesmo que demore eu posso fazer isso.
- Não tenho muito tempo – Sussurrava o menor olhando o chafariz.
- Por favor, até quando eu vou ter que esperar que venha até mim?
Jun Myeon se levantou do banco e se virou para o alfa enquanto cerrava os punhos. Respirando fundo o ômega relaxou em seguida e deixou a cabeça inclinar para trás.
- Eu permito que me faça realmente pensar que vai valer a pena, até o fim dessa viagem.
- Por que até o fim da viagem? – Yi Xing se ajeitava no banco, logo se levantando ficando de frente com o menor. – Por que preciso correr?
- Porque sim apenas isso.  Agora precisamos voltar para os quartos antes que deem falta da gente.
Jun Myeon apenas sorriu e se virou voltando a caminhar pela trilha que havia passado alguns minutos atrás, deixando com que seus dedos passassem por seus lábios e sentisse o beijo intenso com que sonharia mais tarde. Yi Xing ficava a observar o menor se afastar, e apenas bufava inclinando a cabeça para trás pensando no que deveria fazer para conquistar novamente aquele ômega tão belo.
Chanyeol estava sentado sobre o galho de árvore observando o quarto onde Baekhyun dormia. Mesmo se sentindo zangado pelo o que havia visto não conseguia largar o hábito de observá-lo dormindo e sentir uma pureza ser emanada de sua respiração. O maior fator para poder encontrar um parceiro para passar sua vida era o cheiro, e esse era o único motivo que mantinha o alfa preso ali naquele galho de arvore. Baekhyun dormia próximo a janela e mal se movia, um sono pesado e quase infantil que parecia encantador sob os olhos do mais alto.
Suspirava e aumentava vontade de arrancar de seus cabelos por se sentir daquela maneira tão boba diante do ômega. Mal conversou com Yi Xing sobre o assunto desde a noite do ocorrido e sentia que não precisava saber mais do que havia visto. Mesmo assim papeis foram guardados em sua mochila, se quer trocando de lugar na sala de aula Yi Xing lhe deixava em paz, sempre tentando se aproximar deixando folhas de caderno com sua caligrafia explicando o ocorrido.
Poderia acreditar na história dos dois se ajudarem até encontrar um parceiro fixo, mas acabou-se com a magia de uma noite de encontro que Chanyeol tanto imaginava. Foram cios inteiros imaginando-se tomando posse do corpo do menor, nunca havia visto ele despido, se quer teve coragem de vê-lo usar bermudas para alguma aula extra curricular. Apenas fantasiava de como seria seu corpo cheio de curvas suculentas e na forma como se moviam contra seu corpo para lhe proporcionar prazer. Isso lhe era suficiente para alguns dias de cio, e o suficiente para enchê-lo de esperanças.
Era como cacos de vidros espalhavam-se no chão, o alfa sentia assim com seus sentimentos. Nunca havia criado coragem para se aproximar do menor, apenas o observando como um perfeito stalker. O que Yi Xing fez, foi despertar um lado mais possessivo do maior. Erguendo-se no galho da árvore, se equilibrou e caminhou na ponta do pé até ficar perto o suficiente da sacada.
Viu a porta ser aberta e mostrar Jun Myeon chegar no quarto, os dois trocaram olhares e o ômega foi até si sorrindo gentilmente. Debruçando-se sobre a sacada, o alfa sentou-se ficando a observar o ômega.
- Eae, tava com o Lay né? – O alfa farejava o ar sutilmente e logo sorria de lado em ver o outro corar e coçar a nuca.
- É, conversar com o Min Seok me fez parar e refletir.
- Sobre?
- Não posso ficar bravo com o Yi Xing, porque não temos absolutamente nada entre nós. – O ômega entrelaçava os dedos e ficava a olhar a paisagem enquanto sussurrava evitando acordar os colegas que dormiam no quarto. – Ele tem o direito de ficar com quem quiser e eu não posso fazer birra por me sentir...enciumado.
- Faz sentido – Respondia o maior que passava a olhar Baekhyun que dormia serenamente. – Se fosse assim deveria sentir raiva dos primeiros seres com quem passaram os cios.
- É, com certeza o Yi Xing já deve ter dormido com muitas pessoas.
- Pode ter certeza – Ria Chanyeol que bagunçou os cabelos do menor. – É diferente de pessoa pra pessoa cara, tem gente que quer se preservar pra pessoa certa e tem gente que não se importa e quer apenas curtir.
- É eu pensei nisso também. – O ômega virou-se ficando de frente ao quarto, igualmente á Chanyeol. – Mas sobre ele...
- É o mesmo barco que eu, não consigo olhar na cara do Lay. – O sorriso irônico do alfa surgia lentamente. – Mas eu gosto de um desafio.
- O que? – O ômega olhou para o alfa e engoliu em seco ao ver uma sombra de afronto no rosto de Chanyeol “Ele vai aprontar” .
- Vou fazer esse garoto gemer e pedir mais por mim, só então eu o morderei e farei com que Byun Baekhyun seja totalmente submisso aos meus caprichos. Acho que só assim para que eu me sinta menos imbecil por acreditar nesses dois.
- É uma ideia menos romântica... – Jun Myeon espreguiçava e sorria animadamente para o maior – Sabe eu realmente quero ficar com o Yi Xing, sabe-se lá o que vai me acontecer no futuro então...porque não aproveitar agora.
- Ah...não contou á ele sobre sua viagem?
- Como que você sabe?
- Espionar é uma arte.
- Arte das trevas.
O ômega deixara um leve peteleco na testa do maior que fazia careta mostrando a língua infantilmente. Rindo por um momento  Jun Myeon ajeitou os cabelos e apenas deu-lhe as costas para ir se deitar deixando o maior fizesse o que quisesse. “Cara estranho”. Entrando no quarto silenciosamente em seguida, Chanyeol se sentou diante de Baekhyun, não demorando para ceder á sua vontade de se deitar ao seu lado e aninhar aquele corpo contra o seu.
Por que eu deveria me segurar quando seu corpo já foi explorado por outro?” Chanyeol sorria maliciosamente ao sentir das coxas grosas de Baekhyun tocarem sobre seu membro ainda coberto, não iria se permitir sentir tesão pelo menor sonolento e controlou de sua vontade em atacá-lo naquele mesmo momento. Abraçando de sua cintura, fez com que Baekhyun se aninhasse por completo em si, deixando com que sua cabeça repousasse em seu peitoral nu e os braços repousassem em sua cintura, talvez sonhando que aquilo fosse um travesseiro.
Chanyeol se permitiu relaxar por um momento, enganando a si mesmo de que aquilo seria possível ocorrer quando o menor admitisse sentimentos por si, mas sabia, no fundo, que aquilo era sua própria fantasia cansada de uma realidade tão dura. Cobrindo o corpo do menor com um lençol, Chanyeol se permitiu dormir abraçado de forma possessiva ao menor, até que os primeiros raios de sol atravessassem pela sacada e despertasse.
Quando Baekhyun acordou de seu sono, sentiu que aquela fora a noite mais relaxante que teve em toda sua vida, apenas encontrando um espaço vazio ao seu lado, Chanyeol já havia saído sem que sua presença fosse notada.
12 de julho
Jun Myeon acariciava de sua testa dolorida diante de tamanha bagunça no refeitório da hospedaria, os jovens alfas estavam com seus comportamentos alterados ao sentirem os cheiros de algumas ômegas que estavam por entrar no cio. O presidente do grêmio se recusava a acreditar que híbridos em pleno cio estivessem seguido com a viagem. “A procura de sexo só pode”.  A diretora ainda não teria voltado de sua caminhada matinal e se visse aquela bagunça poderia resultar em problemas para o ômega e demais companheiros do grêmio estudantil.
Yi Xing chegou ao local e sentou-se em um lugar afastado, sua fisionomia era calma como se estivesse em paz, sendo enaltecida pela roupa tradicional japonesa e apenas bebia um gole do chá que lhe fora servido anteriormente. Os Zagan logo se acalmaram com a chegada do líder, ver a calmaria dele parecia uma onda que afetava á todos, sendo esse um dos motivos que o ômega também sentou-se relaxando em seu lugar, tendo sua dor na cabeça amenizada. Jong Dae chegara em seguida e apenas cumprimentou algumas pessoas para então se sentar afastado.
Jun Myeon ficou a observar o outro alfa, não havia falado com Jong Dae no dia anterior e naquela manhã poderia notar olheiras intensas abaixo de seus olhos, como uma noite mal dormida. Recordou-se do que o outro alfa havia lhe contado, sobre ambos serem meio irmãos e não demorou para que um pensamento sobre sua família pudesse ter tirado o sono de Jong Dae.  Iria se levantar para levar uma xícara de chá, porém se manteve sentado ao ver Min Seok adentrar o local junto com a diretora.
Que caos Jun Myeon, que caos” pegando um biscoito sem recheio e mordendo um pedaço o partindo no meio, o ômega apenas suspirou aliviado em ter paz com o inicio da manhã. Olhando para a janela sentiu uma vontade imensa de caminhar para perto de uma cachoeira e tomar um banho no rio, já podia imaginar que suas preocupações seriam purificadas quando nadasse nas águas cristalinas. A viagem não tinha um roteiro para os alunos, apenas lhe era proposto as atividades e cada um teria fazer á seu modo, Jun Myeon se preocupava com os malditos cios que as ômegas teriam de passar.
- Uma noite esplêndida, essas águas curam qualquer cansaço que você pode ter! – Baekhyun comentava animado – Nunca dormi tão bem como foi essa noite.
E essa noite tem nome e sobrenome” pensava Jun Myeon olhando para Chanyeol que apenas comia gulosamente um pedaço de melancia gelada servido por uma garçonete. Não havia conversado com Baekhyun, mas sentia uma boa energia sendo emanada do menor e realmente pensou que isso poderia ser um bom sinal para Chanyeol. Talvez internamente estivesse torcendo para que o amigo fosse feliz com alguém “e assim pare de ver ele”.
Corou violentamente com o próprio pensamento, tomou um grande gole de água gelada e logo se levantou para seguir ao quarto onde trocaria de roupa para seguir com o seu roteiro de viagem. A hospedaria era de madeira rústica e tinha ar condicionado próximo ás janelas onde uma rajada de ar gelado se espalhava por entre os cômodos. Era um lugar delicioso para se passar o verão, e a noite gelada era perfeita para aproveitar as águas termais quentes.
O ômega subia as escadas pegando a chave do quarto pronto para adentrar no cômodo, assim que fechou a porta após sua entrada seguiu até seu quarto onde pegou uma roupa de banho e uma toalha, pronto para se trocar. Não demorou-se em se arrumar e sair correndo pela porta ansioso para poder se refrescar. Trancando a porta do quarto fora em disparada para as escadas, passando por entre alguns betas de outras classes e ir para a porta dos fundos da hospedaria e tomar uma trilha nova.
Haviam placas espalhadas indicando alguns pontos para que os visitantes não se perdessem, e Jun Myeon logo começou a caminhar pela trilha mais longínqua e estreita. O caminho era coberto pelos galhos de árvores e o som dos pássaros era mais forte á cada passo em que se aproximava da cachoeira. A caminhada perdurou por alguns minutos e logo a queda de água foi descoberta pelo menor que sorria largamente. A beleza era demasiadamente encantadora, o rio em que a cachoeira se findava era transparente ao ponto de poder ver algumas pedras que estavam em sua beirada.
Deixando a toalha sobre uma pedra grande, o ômega retirou de sua camisa e adentrou no rio. Arrepiou-se com a água gélida em seu corpo quente, preferindo assim ir mais ao fundo onde não teria pedras em seus pés e que a água batesse em sua cintura. Assim que achou um ponto que gostou, mergulhou e pode ver o fundo do rio como uma vista incrível.
Por entre as folhagens, Yi Xing ficava a observar o menor, cruzou os braços e sorria de forma boba como se estivesse vendo uma criança brincar em um playground. Havia seguido o ômega quando o viu descer as escadas apressado e acabou por ficar curioso em saber o motivo de sua euforia. Agora estaria explicado. Nada poderia atrapalhar aquela alegria que estava estampada em seu rosto, recordava-se de quando vira o menor se animar com a simples ideia de entrar para o grêmio estudantil. Não teria notado de sua presença durante a reunião de calouros que a diretora teria preparado, mas no corredor apenas os dois foi como se tudo ocorresse em câmera lenta. A mesma aura que Yi Xing sentia ser emanado do ômega, parecia se repetir naquele momento.
Não saberia se iria entrar na água para tentar aproveitar o garoto, como a noite anterior, ou se ficaria ali atrás de algumas árvores camuflado o observando cuidadosamente. Jun Myeon mergulhava varias vezes passava as mãos ajeitando os fios negros molhados para trás, e sorria seguindo para cima e para baixo do rio se divertindo sozinho. O alfa não aguentou, queria se divertir junto ao menor, retirou de sua regata e sua bermuda restando apenas seu boxer preta e pulou no rio.
Jun Myeon se assustou com o som da água e olhou para trás vendo Yi Xing se aproximar de si enquanto nadava, corando violentamente ficou a observar as tatuagens desenhadas sob sua pele, totalmente á mostra para si. A respiração já ficava entrecortada, e o cheiro do maior que chegava em suas narinas simplesmente fazia seu coração bater acelerado. O ômega tentou desviar do olhar que parecia mais uma missão impossível, baixou o olhar e virou-se de costas passando a mão no rosto, tentou mergulhar porém sua cintura fora abraçada pelo alfa que ria rouco próximo ao seu ouvido.
- Não escape de mim Myeonnie. – Sussurrava o mesmo apertando seus braços fortes em volta da cintura fina do menor para então soltá-lo. – Dormiu bem?
- C-Claro que dormi, e v-você?
O alfa virou lentamente o menor para que ficasse de frente para si, sorria largo em ver a bochecha roseada e os olhos brilharem intensamente. Novamente o cheiro dos dois se juntavam, e aos poucos eles se aproximavam cada vez mais. “Mas que droga, Yi Xing você é uma droga”, O alfa abraçando a cintura do menor e sentiu com a ponta dos seus dedos a pele nua e molhada do menor, não demorando em selar de seus lábios demoradamente.
- Dormi bem, e agora posso aproveitar bem do meu dia. – Os dois ficaram em pé no meio do rio se entreolhando, Yi Xing não deixava de acariciar o corpo do menor e até mesmo sorriu de forma sorrateira quando ambos os corpos se encostaram por completo. – Pensou sobre ontem? Sobre tudo?
- De novo? Está ficando repetitivo essa conversa.
- Ah desculpa – Ria o mais alto que balançava a cabeça – Estou ansioso apenas, acho que tenho que me redimir contigo.
- Tudo bem – Jun Myeon assentira e olhava seriamente para o maior. – Me diga, o que exatamente eu preciso saber a mais sobre você e Baekhyun.
- Bom – Yi Xing se afastou minimamente do menor e se espreguiçou passando água em seus braços, tentando acostumar seu corpo com a água gelada. Detestava o frio. – É basicamente o que te falei ontem, mantemos uma relação sexual apenas nos cios. Normalmente os cios deles são á cada quatro meses e duram pouquíssimos dias.
- Como assim? – Jun Myeon cerrou o cenho e se agachou no rio deixando a água cobrir seu peitoral. – Normalmente são três meses.
- É mas parece que a família dele tem alguma mutação em gene, eu não sei direito ele não comenta sobre o assunto.
- E...Como funciona? Ele simplesmente te liga e você...vai?
- É – O alfa se agachou imitando o menor, ficando de frente ao mesmo. Passou a mão em seus cabelos molhados ajeitando os fios teimosos que caíam em seu rosto. – Apenas isso, eu vou e alivio a dor dele. E assim eu consigo controlar o meu tempo de cio, sem ficar muito tempo sem mas também sem aquele gosto de querer mais.
- Aish isso é maldade de qualquer forma.
- Não culpe Baekhyun por saber sobre seus sentimentos e mesmo assim ficar comigo, sabe que o cio deixa a gente...
- Angustiado – Sussurrou o ômega enquanto assentia. – Eu sei bem como é.
Yi Xing sentou-se em uma pedra e esticou as pernas, ficando ainda longe do ômega que parecia perdido em seus pensamentos. Acariciando de suas pernas que estavam dormentes sob a água gelada, o alfa olhou em volta e fez careta ao sentir o sol bater contra sua pele. Parecia que a natureza queria misturar as sensações em si.
- O que quer comigo Yi Xing? – Pedia o menor erguendo o rosto rubro e cheio de determinação. – Sinceramente, retribui dos meus sentimentos? Posso realmente acreditar que vai ficar comigo e com ninguém mais?
- Não posso dizer meus sentimentos ainda – Yi Xing sorria docemente para o menor – Sei que está magoado comigo e por isso eu quero fingir que preciso te conquistar do zero, até atingir um ponto onde eu possa demonstrar minha sinceridade e que você a sinta. – Yi Xing esticou a mão para Jun Myeon que a segurou hesitante. Assim que seus dedos firmaram entre as do alfa, o mesmo puxou do garoto para que ficassem próximos novamente. – Construindo nossa história aos poucos e sem pressa nenhuma.
Pousando a mão delicadamente sobre o peitoral do alfa, o ômega ficou na ponta dos pés para alcançar os lábios finos de Yi Xing. Conseguia sentir seu corpo reagir aquelas palavras e queria acreditar nelas, necessitava ser guiado em uma onda de sentimentos onde queria provar á tanto tempo.  O selar dado pelo menor pegou o outro de surpresa, mesmo assim não perdera tempo em aprofundar uma segunda vez o selar para um beijo intenso e gentil. Dessa vez estavam mais íntimos e Jun Myeon se encontrava mais relaxado para receber os toques do outro hibrido. Yi Xing descia as mãos pelas coxas do menor e o erguia em seu colo, logo o derrubando na água fazendo com que o outro risse.
Uma brincadeira surgira ali, os dois híbridos jogavam água um no outro e riam em alto tom. Vez ou outra trocavam selares e caricias, e cada toque era uma barreira que estava sendo quebrada entre os dois. Nadavam juntos pelo rio se aproximando da cachoeira onde os rapazes ficavam a se molhar com os respingos deixando a pele brilhar por conta dos raios solares. Yi Xing aproveitava para observar aquele ômega tão distraído e sorridente brincando na água apenas para seu deleite.
Não demorou para que ambos se abraçassem novamente e fossem para a beira do rio perto das pedras trocarem mais caricias amorosas. Não falavam em nada e apenas curtiam o momento que eles mesmos criavam para si. Risos bobos e apaixonados eram feitos junto com os selares e caricias, e a cada momento que se passava naquele jardim secreto, mais Jun Myeon se entregava aos seus sentimentos.
Deitando o menor sobre as pedras pequenas, o alfa ficou sobre o mesmo e não deixava de selar-lhe os lábios. Os braços fortes se tornavam possessivos no corpo do ômega o deixando rente á si. Jun Myeon não sentia mal com todas aquelas caricias, o que sentia parecia ser melhor do que jamais havia imaginado em todos os seus cios solitários. No final das contas estava se sentindo amado nos braços daquele que julgava ser o seu alfa. E para Yi Xing sentir aquele corpo, mesmo que forma tão gentil e pura, pedia por uma correria em seu interior para que aquele ser não se perdesse de si.
- Se continuarmos aqui vou perder o controle – Sussurrava ofegante o alfa, mantendo seus lábios em um roçar com os do ômega que ria em baixo tom.
- Devemos voltar então, tomar um banho...
- Hum acho que seria melhor tomarmos um banho juntos.
- N-Não seja assim, é apenas um banho cada um em seu quarto.
- Foi o que disse, claro.
Jun Myeon rira novamente antes de selar os lábios do maior e se desvencilhar dos braços do mesmo. Mergulhando, os dois híbridos seguiram para as pedras mais altas e pegar de seus pertences. Somente então Jun Myeon teria percebido que o alfa estava somente de boxer totalmente encostado em seu corpo minutos atrás. Corando violentamente, o ômega se enrolou na toalha e seguiu pela trilha para voltar á hospedaria, dessa vez com os braços possessivos do alfa sob sua cintura.
Jong Dae apenas brincava com os hashis sobre a mesa da varanda. Do seu quarto tinha visão completa de algumas quadras esportivas, e ficou a observar o vice presidente do grêmio estudantil jogar uma partida de vôlei com alguns betas. Era divertido brincar com o ômega e vê-lo não reagir a si, como o presidente, mas se sentia estranhamente confortável em observá-lo. No momento sua cabeça parecia uma confusão inteira depois de receber a ligação sobre problemas em seu passaporte.  Sabia que sua mãe teria cortado a sua viagem para Londres, e agora teria de correr contra o tempo antes que Jun Myeon fosse sozinho para a Inglaterra.
Evitou ficar perto de Jun Myeon quando sentiu Yi Xing em sua espreita, o cheiro misturado dos dois que foi exaltado no refeitório naquela manhã era sinal de que o ômega estava realmente aproveitando da viagem. Encostando-se na cadeira, os dedos do alfa quebraram o palito de madeira e logo olhou para suas mãos, vendo suas veias saltarem e ficarem negras. Mordendo o lábio inferior chacoalhou a mão para que a veia desinchasse e voltasse ao normal, deixando apenas um hematoma na região.
- Que bosta.
Min Seok havia pausado o jogo contra os seus colegas de classe, vestindo a regata branca e a bermuda florida azul, o ômega avistou o alfa sentado sozinho na varanda. Engoliu em seco e foi até o refrigerador pegando duas bebidas geladas, seguiu em direção da varanda e esticou a bebida gasosa para o alfa que levantou o olhar de imediato.
- Seu alfa mentiroso.
- Eae Seokkie – Ria o alfa pegando da lata abrindo com um pouco de dificuldade em seus dedos. – Por que sou mentiroso mesmo?
- Sua mão está ficando preta – Apontava o ômega para então abrir de sua lata e beber um grande gole do refresco. – Não preciso pensar muito para saber que está mentindo seu hibrido.
- Ei ei nerd calma ae – Ria o alfa que se levantou da cadeira e se apoiou na sacada ao lado do menor. – É impressão minha ou todos do grêmio são híbridos com capacidades intelectuais avançados?
- Baekhyun é normal seu bobo.
Min Seok era um ômega com habilidades incríveis, desde pequeno aprendera várias coisas sem nunca as esquecer. Não seria a toa que a uma das universidades de medicina conhecidas no país já havia guardado uma vaga para o garoto, e com grande chances de deixá-lo ir á capital americana onde poderia trabalhar nos maiores laboratórios para estudo sobre os híbridos. Óbvio que o corpo dos híbridos era um assunto encantador ao menor, depois que ele percebera algumas mudanças em Jong Dae. Apenas isso lhe interessava, e somente isso lhe importava no momento, aprender á base de alfa.
- Então, o que eu estou mentindo?
- Os hormônios que está tomando não vão te dar o que quer. Se deseja se tornar um alfa, então vai ter que fazer isso direito.
- Sabe que não tenho dinheiro.
- Apenas pare com os medicamentos – O ômega formou um leve bico nos lábios olhando para o maior. – Ou a sua próxima viagem vai ser em um caixão.
Jong Dae esticou o braço e afagou os fios suados de Min Seok. Já haveria conversado várias vezes com o menor, não na intenção de incomodá-lo. A primeira conversa fora quando Jong Dae passara mal na aula de educação física durante seu primeiro ano no ensino médio, após ter reprovado. Min Seok fora para a enfermaria e sorria gentilmente para si mesmo sabendo sobre o seu segredo só de olhar para si. A conversa que os dois tinham gerado era confortável e abriu horizontes para ambos os lados, Jong Dae criou esperanças para a melhora de sua saúde e Min Seok encontrou o amor.
- Ah para, ainda não atormentei o povo, então não posso ir.
Min Seok apenas rira e bebeu mais um gole do refresco, observando o alfa sair da sacada e adentrar na hospedaria. Passando o polegar pela lata desviando o olhar para em volta da hospedaria, viu Jun Myeon chegar na hospedaria junto com Yi Xing, ambos sorrindo bobos. Ficou contente em vê-los juntos, mas suspirou pesado quando pensou em como ficaria Jong Dae depois de toda aquela bagunça.
Descendo da sacada, o ômega bebeu o restante da bebida jogando a latinha no lixo, logo voltando á quadra para mais uma partida esportiva.
❖❖

Nenhum comentário:

Postar um comentário