{Seulement Vous} Capitulo 21


Aos arredores de Mayfield, Londres, 25 de novembro.
A paisagem do campo repleto de lavandas era um ponto turístico principal de Mayfield¹. Hanna esticava a cabeça para poder ver aquele extenso campo roxo e sorria maravilhada com a quantidade de plantas que estavam espalhadas. Chanyeol a observava pelo retrovisor e sorria divertido, sempre que iam para sua cada de campo via a filha se encantar com a beleza das plantas. Por mais que houvesse outros caminhos, alguns até mais curtos, para se chegar em seu destino, era preferível passar pelo campo de lavanda, apenas para ver aqueles olhinhos brilhantes.

Desviando a atenção para o seu lado, via Baekhyun dormir. Passara o dia anterior arrumando as malas, e ainda acordou cedo para preparar o café da manhã e arrumar Hanna. A viagem que tinha por volta de 40 minutos de carro foi o suficiente para que ele dormisse grande parte do caminho. O alfa não o incomodaria, baixou o volume da musica e se concentrava na estrada á sua frente, queria chegar o quanto antes para poder se ver livre de suas obrigações. Teria feito uma reunião no dia anterior para poder resolver qualquer problema naquele mesmo dia, sem que seu celular tocasse para resolver alguma questão sobre o comportamento de seus funcionários diante de um hóspede que faz alguma reclamação sem sentido.

É um momento entre amigos e família, sem celular”. O campo de lavanda logo sumia do cenário principal, sendo trocado por árvores de grossos troncos e uma bela folhagem que poderia fazer sombra em dias de verão. Porém o outono permanecia com o céu nublado e um leve vento que carregava as folhas secas. Uma perfeita forma de aproveitar a folga de seu aniversário. Tão em breve o gramado parecia bem cuidado, e ao longe poderia ver a casa² de campo em que passariam a semana.

A construção moderna parecia ser grande demais para receber os seis amigos, porém Chanyeol achava melhor se comparado quando passa as férias com seus pais. Apesar de ganhar vida tendo apenas a pequena Hanna correndo nas escadas enquanto brinca, o alfa se sentia mais confortável com mais pessoas em sua volta. Parou o carro em frente á garagem, pegou o controle em seu bolso da bermuda apertando um botão. Uma das portas marrons se levantava mostrando a imensa vaga disponível, que logo fora preenchida com o Focus 2015, de cor preta.

Olhando para o banco traseiro encontrara Hanna tirando do cinto e saindo da cadeirinha, a garota recusava a ajuda dos pais, queria ser independente o quanto antes. Rindo da pequena garota, focou-se apenas em despertar Baekhyun,que estava em seu sono profundo. Tirou o cinto e se inclinou para o marido, passou as pontas de seus dedos sobre o rosto do ômega e selou demoradamente os seus lábios levemente entreabertos. Sentindo um suspiro vindo do rapaz, deixou um riso baixo antes de selar sua testa e acariciar seus cabelos.

- Baek, acorda já chegamos.

Preguiçosamente, Baekhyun despertava olhando em sua volta. Ao ver o rosto de Chanyeol tão próximo de si, teve suas bochechas rosadas e desviou o olhar. Em alguns minutos o casal teria saído do carro e descarregado a bagagem. Usando a porta que haveria na garagem, os três híbridos adentraram na casa e sorriram satisfeitos em ver que estava limpa e sem nenhum odor pesado.  Assim que a visita a casa do sigma foi feita, Baekhyun pediu para que uma equipe de empregadas da família Park deixasse a residência limpa, para evitar problemas de saúde do amigo.

- Eba!

Hanna ajeitava a mochila rosa em suas costas e sorria sorrateiramente ao ver pela janela, a piscina. Para a garota não importaria se estivesse frio ou calor, não haveria tempo ruim para um banho de piscina. Apesar de que gostava mais de espalhar água e brincar com o alfa progenitor. Chanyeol e Baekhyun olhavam a sala e a cozinha³ que eram próximas, não havia uma televisão ainda, o que fez o ômega se lembrar de olhar as correspondências para ver e alguma encomenda teria chego. Os senhores Park teriam reformado aquela casa assim que a gestação do ômega foi confirmada, eles queriam os moveis apropriados para Hanna, evitando que a garota escorregasse e se machucasse. Sendo assim alguns eletros seriam também levados em conta para não prejudicar a neta herdeira. Tudo apenas para um mimo dos avós. As paredes eram feitas de madeiras original, e alguns detalhes é que seriam diferentes, porém como era esperado dos pais de Chanyeol, conseguia se notar a riqueza dos detalhes. Para ser bonito, eles gastavam o dinheiro apenas para que aquela casa fosse ideal para descansar, como se quem estivesse ali vivesse um conto de fadas.

- Os seus pais gostam de casas de madeira. – Baekhyun sorria enquanto subia os degraus indo ao segundo andar. Lá encontraria uma segunda sala, precisamente para evitar de ir ao andar inferior e tomar friagem em dias frios.

- Desnecessário essas coisas – Chanyeol reprovava o casarão, apesar de gostar de passar alguns dias ali. De fato era relaxante para ele. – Se eles tem tempo para criarem essas casas, eles poderiam muito bem viver em uma e largar do meu pé.

- Deixe eles, estão animados apenas.

Baekhyun passara a gostar de seus sogros, eles teriam se tornado uma figura familiar muito aconchegante. Nunca mais teria recebido noticias de sua mãe, e evitava pensar na mesma sabendo que iria se preocupar e acabar por envolver em algum tipo de situação perturbadora. Ser mimado por seus sogros por te dado á eles uma herdeira, e ainda por cima ser o motivo de fazer o filho rebelde deles trabalhar. Baekhyun não era um rapaz qualquer de fato.

Seguindo pelo corredor de madeira o casal avistara as portas espalhadas. Sabiam que ao final teria a porta da suíte principal, onde iriam ficar. Hanna teria seu próprio quarto, a garota poderia ter seus brinquedos espalhados e seu mundo mágico e imaginário sem que ninguém a atrapalhasse. Mesmo assim o cômodo em que dormiria era ao lado do casal. O ômega ficava atento ao seu cheiro e por isso a mantinha perto de si para saber quando alguma coisa estaria errada.

Abrindo a porta do quarto principal, os dois híbridos ficaram surpresos com sua magnitude. As imensas janelas com cortinas xadrez preta e vermelha, o lustre em madeira que tinha lâmpadas em formato de vela, as duas poltronas próximos ás janelas davam a vista perfeita para a lareira. A cama bem arrumada com lençóis limpos. Deixando as maças no tapete estampado, o casal olhava em sua volta entendendo o motivo dos senhores Park sempre ficarem naquele cômodo.

Entreolhando-se, os dois híbridos sorriram cúmplices e pulavam no colchão rindo divertidos e ansiosos pelos próximos dias que se seguiriam.

Londres, Reino Unido, 25 de novembro.
Arrumar as malas não era um problema, na verdade era uma forma de esquecer a ansiedade e se focar em esquecer absolutamente nada que fosse necessário na viagem. Jun Myeon ajeitava tudo no porta malas do corsa amarelo e suspirava fechando o compartimento. Olhou para as chaves em suas mãos e lembrou-se de ter fechado bem a porta do apartamento. “Primeiro pegar o Xing e depois seguir em viagem”, entrou no carro ligando o motor silencioso, saindo da garagem calmamente.

Gostava de dirigir, teria tirado sua carteira após atingir a maioridade, e o carro foi um presente de seus pais por todo o seu esforço não somente como calouro, mas também por se virar sozinho em outro país longe dos progenitores. Ir á faculdade de carro foi uma das melhores coisas, o prazer de se sentir adulto o suficiente para manusear aquela máquina. Obviamente a usava para buscar o alfa no trabalho, mesmo que sob protestos, já que Yi Xing preferia suas caminhadas calmas e silenciosas para descansar a mente.

Parando em frente do restaurante buzinou e acenou ao ver os jovens empregados. A janela aberta trazia o vento do outono, e assim podia ver o seu alfa terminar de servir um casal e seguir para os fundos, “ele ainda vai se trocar”. Tamborilando os dedos no volante de couro, ficava a esperar o alfa chinês, não demoraria em vê-lo outra vez segurando sua mochila e parar para conversar com alguém. Espreitando os olhos o ômega enxergara um garoto do seu tamanho, cabelos castanhos e os olhos da mesma cor, ele sorria encantadoramente enquanto ouvia Yi Xing lhe dizer alguma coisa. A fala foi interrompida, o hibrido olhou para trás assim que sentiu aquele incomodo em seu peito, encontrou com o olhar do ômega e lhe dirigiu um belo sorriso.

- Humpf.

Jun Myeon apenas desviou o olhar e voltou a ligar o carro apressando o noivo á entrar no veiculo. Sabendo que os ciúmes do ômega não deveriam ser deixados de lado, apenas se despedira do garoto com quem conversava e corria para o lado do noivo.

- Temos um novo garçom – Yi Xing jogava a mochila no banco traseiro, puxou o cinto o prendendo – O garoto é desastrado então Wu pediu para que eu ficasse de olho nele.

- Uau. – Saindo da frente do restaurante, Jun Myeon estudava as rotas que deveria pegar para sair da cidade e ir para os campos de Lavanda.Ignorava totalmente o que o alfa dizia, sentindo cada vez mais inseguro por ver um garoto de aparência tão jovem se interessar pelo seu alfa.

Yi Xing ficava a olhar para o ômega começando a sentir o peito apertar, algo inexplicável e que lhe atormentava do mesmo jeito. Aquele jeito peculiar em como seus lábios estavam torcidos, as mãos presas ao volante e o cenho cerrado eram sinais de irritação. Não entenderia o motivo da súbita onda de ciúmes que o ômega sentiria, mas ficava feliz em saber que esse era o jeito do noivo demonstrar os seus sentimentos.

Ao pararem em um semáforo, o alfa não perdera tempo. Inclinou-se segurando firmemente o queixo do ômega e selou-lhe os lábios demoradamente, ao afastar-se manteve a fisionomia séria atento á reação do menor que corava com o toque. Sem que uma palavra fosse dita, o ômega apenas seguiu o caminho, sentindo seu coração acelerar e inundar o carro com o seu cheiro. O alfa chinês ficou a olhar a janela, sorrindo sorrateiramente enquanto apreciava o aroma que lhe rondava, ergueu os vidros e manteve aquele delicioso odor em sua volta.

Não demoraram em chegar em Mayfield para pegar a estrada de chão que dentro de alguns quilômetros chegaria na casa. Lembrava-se da descrição que Chanyeol lhe passou na ligação no outro dia, procurava por uma estrada de pedras brancas que fossem guiadas por grandes e folhosas árvores. Ao encontrar a entrada, diminuiu a velocidade e seguia pelo caminho prolongado, e em breve vira a casa com seus vidros destacados, mostrando o interior da casa e a terminação em pedras á vista. Buzinou algumas vezes e logo via Baekhyun correndo pela sala, pegou alguma coisa sobre uma mesa e logo um dos portões da garagem se erguia.

Encontrara dois carros ali, “Jong Dae já deve ter chegado”, e estacionou ao lado. Assim que o casal saíra do carro, retiraram da bagagem e seguiram para a porta onde o ômega anfitrião os esperavam. Abraçando um ao outro em forma de cumprimento, adentraram na casa tentando esconder a surpresa em ver aquela casa de forma tão bela.

- Chegaram em boa hora, Xing os rapazes vão precisar da sua ajuda para mexer com a churrasqueira.

O alfa olhava para o ômega e percebia que o mesmo ainda estava bravo consigo, sem saber como deveria agir apenas assentira e seguiu o caminho indicado por Baekhyun. O ômega percebera a atmosfera intensa, segurando os ombros de Jun Myeon, o guiou para a cozinha onde teriam a privacidade necessária para conversarem. O teto de vidro destacava as paredes avermelhadas e os móveis rústicos, sentando em banquetas próximas ao balcão, os dois amigos se entreolharam, esperando que um tomasse a iniciativa.

- Ah, acho que o restaurante contratou um novo garçom – O ômega corava e controlava as emoções para que não preocupasse o alfa. – Ele me parecia estar olhando para um... ah nem sei explicar.

- Ciúmes? – Jun Myeon assentia e suspirava acariciando a nuca, não gostava quando seu humor se alterava, apenas por conta de ciúmes. – Acho que o fato de estarem para se casarem já é um fator bem importante para não sentir isso.

- Quem consegue controlar os ciúmes, que atire a primeira pedra.

Baekhyun surpreendeu-se com o ômega e soltou uma risada leve. Talvez aquele sentimento envolvesse bem mais do que o medo de perder a atenção do noivo.


A chácara trazia uma paz por ficar longe da cidade grande, era isso que o casal queria. Jong Dae distribuía selares sobre o abdômen do ômega e se deliciava com a risada que o mesmo dava. A pequena barriga não deixava muito claro que ali estaria um filhote do casal, e apesar do medo de que a criança tenha alguma complicação, eles esperavam ansiosos por sua chegada.

Depois de terem chego, Jong Dae tentou ajudar Chanyeol é lidar com a churrasqueira, queriam fazer um churrasco para beliscarem e botar a conversa em dia, mesmo que levasse até o por do sol. Porém, antes que o casal ficasse entretido nas conversas alheias, resolveram por terem um momento á sós. Entrando no quarto em que dormiriam, trocavam beijos saudosos e carinhosos. O alfa recebia as caricias em seus cabelos e o sorriso divertido de Min Seok, que parecia se apaixonar cada vez mais.

- Espero que Hanna não o roube de mim.

O alfa negava com a cabeça e selava a testa do ômega enquanto o admirava. Tendo o menor sentado sobre o seu colo, acariciou de sua cintura com a ponta dos dedos e depositou um selar em seu pescoço alvo.

- Deixe ela sonhar, acredito que futuramente ela será uma garota perfeita para cuidar de nosso garoto.

- Ou garota, não sabemos ainda.

Ter feito aquela viagem teria sido a melhor escolha, o ômega conseguia se sentir mais calmo e relaxado fora da cidade levemente agitada. Apesar de viver sob os muros do centro hospitalar, ainda tinha de lidar com a pressa em suas pesquisas. Tinha dados á serem apresentados o quanto antes, para que a fábrica pudesse produzir o remédio de acordo com seu calendário de produção. Nunca pensou que trabalharia sobre essa agitação e correria, e por isso sentia-se agradecido por seus amigos terem lhe convidado para poderem pausar as rotinas.

Acariciar os cabelos ralos do alfa fazia Min Seok refletir mais sobre o que deveria aproveitar naquela curta viagem. Acompanhava toda a rotina do marido, presenciava seus exames e sempre observava-o quando alguma complicação ocorreria. Apesar de nos últimos meses, Jong Dae parecer bem o suficiente, sem nenhuma queixa de dores musculares, cabelos pararam de cair, visão estava normal, e ainda assim Min Seok sentia um vazio no peito. Suas noites passaram a ser um pesadelo, não conseguia dormir, havia criado o hábito de observar o alfa dormir serenamente em seu ressonar, mas com o tempo aquilo mudou. Em sua mente vinham diversos pensamentos, e o que mais temia era a morte de seu marido.

Detestava pensar naquilo, odiava o que sentia quando pensava sobre aquele assunto. Por isso passou as noites em claro, ocupando sua mente para que os pensamentos voltassem à inconsciência. Entretanto, a cada dia que passava mais daquele sentimento crescia. Não poderia perdê-lo, viveram tão pouco juntos.

- Não sei no que pensa, mas a sua cara não está boa.

- Pensei que fosse bonito mesmo estando sério.

- E é, mas me preocupo com o que se passa em sua cabeça.

Abraçando fortemente o alfa, Min Seok sorria tristemente e negava com a cabeça.

- Não é nada de mais. – Afastou-se segurando o rosto do mais velho entre suas mãos, selou de forma delicada os lábios finos de Jong Dae, esboçando um belo sorriso em seguida – Vamos comer? Seu filhote já está a dar voltas aqui dentro.

- O filhote não é?

Deixando o romance para quando tivessem a privacidade mais uma vez, o casal de híbridos saiu do quarto e retornaram para a cozinha onde todos estavam reunidos, sentados, comendo e conversando. Riram com as piadas que foram direcionadas á eles, sobre a demora em voltarem para comerem. Mas estando em tudo entre amigos, não seria levado á sério.

O jantar se seguiu com risadas e diversão, Chanyeol fingia os ciúmes com a filha que estava sentada ao lado do sigma. A garota não entendia ainda sobre os relacionamentos, apenas entendia que seus pais eram casados e se amavam. Porém não conseguia fazer o mesmo raciocínio para com os dois outros casais. Hanna se preocupava mais em montar o seu mundo mágico e se tonar uma princesa, e queria que Jong Dae fosse seu príncipe.

Min Seok apenas ria da diversão da garota, não se importaria sabia que aquilo não iria durar muito. Quando crescesse outros garotas chamariam de sua atenção. Após o jantar o ômega fez o anuncio da gestação, ganhando as parabenizações dos amigos, porém notou que havia um ômega ali que parecia perdido em pensamentos após o anuncio. Ficou a olhar Jun Myeon que conversava calmamente, apesar de evitar olhar para o alfa noivo. Acreditando que aquilo seria estranho, Min Seok apenas ficou a observar sutilmente sem deixar transparecer sua preocupação.

Assim que o jantar se encerrou e os alfas se retiraram da mesa para ir jogar baralho, Min Seok sentou-se ao lado do ômega e pousou a mão no ombro.

- Me diga, aconteceu algo entre você e o Xing?

Jun Myeon olhou surpreso para o amigo e desviou o olhar para Baekhyun que também se sentava ao seu lado, prontos para saberem. Conhecia seus amigos, e entendia que não poderia esconder absolutamente nada deles. Suspirando, desviou sua atenção para as mãos que pousavam em seu colo.

- O restaurante contratou um novo garçom, e quando fui buscar Xing para poder vir, achei que esse garoto pode...sei lá.

- Ah aquela insegurança de novo? – Baekhyun bagunçava os cabelos do amigo, que sorria envergonhado. – Por favor, vocês irão se casar e ter filhos.

- Xing é atraente, não tem como eu manter minha guarda baixada.

Min Seok compreendia os sentimentos do amigo, lembrava-se a época em que estudava e não tinha seus sentimentos confidenciados á Jong Dae. Como um rapaz que gostava de brigar, e com essência de alfa, sempre ficava com ciúmes quando alguém se aproximava dele. Sorrindo em nostalgia, acariciou a mão de Jun Myeon e lançou um olhar cúmplice para Baekhyun. O outro ômega arqueou a sobrancelha, porém abriu um sorriso largo e arteiro ao compreender.

- Sabe Myeonnie, uma coisa que eu percebi com Chanyeol é que, ele ficou muito babão e focado em mim quando estava á espera de Hanna.

- Ah claro que ele ficaria, ele te ama. – Jun Myeon sorria, porém encarar os amigos com os olhos brilhantes lhe acarretou um arrepio na espinha. – O que estão tramando?

- O que acha de tentar engravidar?

Arregalando os olhos, Jun Myeon apenas ouvia o que os amigos teriam lhe dito. Não demoraram em arrastá-lo para o quarto de Baekhyun onde poderiam conversar com calmamente, e ainda ter a visão dos alfas jogarem cartas, pela grandiosa janela.

Hanna já dormia no colo do pai, que olhava as cartas em sua mão e desviando sua atenção para a fisionomia dos demais rapazes que jogavam, como se pudesse capturar alguma expressão de flerte. Baekhyun já teria chamado Chanyeol para dormir, já que no dia seguinte iriam começar a comemoração de seu aniversário. Porém começou a suspeitar assim que Min Seok também chamou por Jong Dae. Esperando que sua vez chegasse, viu Yi Xing descartar uma dama de ouro, Chanyeol olhou para seu jogo e fez careta tendo de pegar uma carta do monte. Era o coringa que precisava para bater.

- Bati!

Os irmãos híbridos olharam para o alfa mais alto que sorria triunfante em mostrar seu jogo de cartas.Baekhyun não demorou em puxar o colarinho da camisa de Chanyeol e arrastá-lo á força para dentro da casa. Min Seok também segurou no braço do sigma dizendo longas palavras sobre cuidar de sua saúde, em principal descanso. Yi Xing olhava em volta sem saber o que se passava, desviou-se para Jun Myeon que apenas coçava a nuca e não sabia o que fazer.

- O que está acontecendo Jun?

- Hm? – O ômega sorria levemente e negava com a cabeça – Não faço ideia.

- Mesmo?

- Vamos pro quarto, está na hora.

Sem se tocarem, Yi Xing seguia o noivo para o quarto calmamente, aproveitou enquanto subia as escadas para observar melhor aquele ômega. Estaria estranho, e o motivo poderia ser o mesmo do que de manhã. Ficara atento em suas mãos vendo as mesmas fechadas, “ele está nervoso com algo”.  Ao entrarem no quarto sentia a ansiedade crescer em si, não estava daquela maneira antes, e então olhou para o ômega. Coçando a nuca, Yi Xing fechou a porta e se aproximou do ômega acariciando seu braço.

- O que está acontecendo?

Jun Myeon olhou para o alfa e soltou uma risada, não iria conseguir esconder seus sentimentos por conta da mordida. Ou até mesmo além daquilo, “Ele me conhece “. Sem se mover muito e apenas retribuindo o olhar, o ômega se sentou na cama e suspirava baixo.

- Os rapazes perceberam que eu estava...chateado com aquilo sabe?

- Ainda com ciúmes? – O alfa se ajoelhou mantendo o olhar do menor sobre si – Por favor Jun.

- Eles apenas queriam que eu me sentisse bem e armaram um “plano”.

- Devo sentir medo?

- Não não – O ômega ria e passava a ponta dos dedos por sua nuca – Posso ser sincero?

- Deve.

- Estou com muita inveja do Baek e do Minnie.

Yi Xing prestara atenção no ômega, sentia algo em seu peito como se fosse os sentimentos de ciúmes vindos de Jun Myeon, porém mais intenso. Sem dizer nada se colocou a pensar no que aqueles outros ômegas teriam que seu noivo poderia invejar. Não poderia ser casamento, estavam noivos e poderiam simplesmente casar quando quisessem. “Min Seok...vai ter um bebê” lembrou-se Yi Xing.

- Um filhote?

Jun Myeon apenas assentia tendo o rosto rosado pela vergonha que sentia em admitir aquilo. Teria pensado sobre o assunto e conseguido deixar aquele desejo para um objetivo a ser cumprido futuramente. Porém tudo em sua volta parecia ser sinais, os amigos da faculdade falavam de crianças, seus amigos coreanos estavam tendo filhos. Era como se estivesse sendo deixado para trás, e se via no espelho como um garoto ainda, incapaz de cuidar de si mesmo.

O alfa acariciou o rosto do menor com o polegar, inclinou-se para selar os lábios do ômega e sorriu ao se aproximar.

- Me deixe tirar suas preocupações. A tensão em seus ombros não é nada sexy.

A baixa risada que Jun Myeon solto, parecia ser um sinal de que o caminho estava certo. Yi Xing resolvera ter todas as iniciativas para aquela noite. Sendo assim, inclinou-se sobre o ômega o fazendo se deitar na cama deixando com que o corpo do menor ficasse entre seus braços. O alfa sorria largo e selava os lábios demoradamente, e com a mesma calma de antes, transformou em um beijo lento. O que Jun Myeon mais gostava no noivo era a forma como ele lhe tocava. Não era algo luxurioso, conseguia sentir carinho em seus toques gentis. Era sempre abraçado, tinha sua pele beijada e quando trocavam sorrisos, “pelos céus sinto que vou enfartar com esse sorriso”.

O alfa gostava daquele corpo, sentia o seu cheiro impregnado na pele do ômega. Poderia se sentir excitado apenas em imaginar aquele corpo sobre o seu. Deslizando os lábios sobre o pescoço alvo de Jun Myeon, o sugava e beijava-o, deslizando os dedos por seus braços e aproximando de seus dedos que se entrelaçaram e repousaram sobre a cabeça do ômega. Encostando ambas as testas os dois trocaram sorrisos de cumplicidade, e tão em breve se beijavam novamente.

Soltando as mãos do ômega, Yi Xing erguia a blusa onde distribuía mordiscadas e acariciava a cintura fina. Retirou a peça podendo sentir-se mais livre em poder amar aquele corpo, principalmente por sentir seus cabelos serem acariciados pelo rapaz. Sabia que era algo estranho, mas sentia a necessidade de amar aquele corpo. Porém a sede que sentia precisava ser sanada em seus lábios, retornava á beijá-lo vez ou outra para poder sentir o corpo vibrar á cada momento que ficava mais excitante.

Aos poucos as roupas estavam espalhadas pelo chão, o cômodo estava completamente inundado com o aroma daqueles dois híbridos. O suor que começava a escorrer de suas peles enquanto os corpos se moviam com extrema sincronia. Yi Xing apertava mais da cintura de Jun Myeon para poder penetrá-lo por inteiro, ouvindo o gemido em seu ouvido e tendo seus braços arranhados pelo rapaz moreno. Apertar aquelas coxas e todo o corpo contra si, fazia o alfa se sentir mais extasiado, e propenso á repetir do ato. O ômega entrelaçava os dedos aos cabelos do alfa e puxava com força podendo pender a cabeça do maior para o lado, lhe dando espaço suficiente para que marcasse todo seu pescoço.

Capturou de seus lábios começando a mover de seu quadril pensando em dar prazer, esquecendo-se do que o deixara ansioso mais cedo. Apenas se sentia completo ao estar preenchido pelo alfa. O cheiro que o mesmo emanava lhe deixava entorpecido. Revirava os olhos tendo as pupilas dilatas, e ficava a passar a ponta do nariz no pescoço tatuado do alfa. Aquele cheiro era como uma droga que lhe dava energia, e o fazia se mover mais intensamente para arrancar os gemidos do mais alto.

A noite estava em seu auge ás duas da madrugada, apenas eles estavam acordados e sem nenhum risco de alguém lhes incomodar. O momento entre o casal iria se prolongar, uma vez que as caricias tomavam tempo. Porém não eram dispensáveis. Mais uma vez seus dedos se entrelaçavam, dessa vez era Yi Xing que estava deitado na cama tendo seu corpo amado pelo noivo. Acariciava de sua mão e controlava seus desejos de agir selvagem, mas não queria fazer aquilo á menos que o próprio Jun Myeon tomasse a iniciativa, era o pacto feito entre eles.

Não conterá o gemido quando o ômega sentou sobre seu membro, penetrando-o de uma única vez. Abraçou sua cintura no mesmo instante imaginando que ele poderia sentir desconfortável. Entretanto o abraço que dera fora correspondido e ambos sorriam bobamente. Tão em breve os movimentos voltavam e apenas apreciando a vista da fisionomia prazerosa um do outro. Em seguida ao ápice que chegaram juntos, Jun Myeon conseguia sentir um pequeno nó em seu interior, porém o liquido ainda escorria por entre suas pernas. As chances seriam pequenas.

- Shh

Yi Xing cobria o corpo do ômega e o deitava sobre seu corpo. O abraçou possessivamente erguendo seu queixo com o indicador.Assim que ganhou a atenção do mais novo, sorriu-lhe carinhosamente, assim com a forma em seus dedos passeavam nas bochechas rosadas.

- Temos tempo hm? Não se preocupe, estou com você.

Tendo sua face ruborizada, o ômega selou os lábios do noivo e voltou a deitar sua cabeça no peitoral do alfa. Abraçando-lhe apertado sentiu como se estivesse em seu mundo onde os dois híbridos eram os únicos habitantes. O calor que era emanado de seus braços lhe aquecia de uma forma que não teria comparação. Ele teria razão, o tempo para eles ainda correria e o filhote poderia vir quando menos esperasse. Fechando os olhos, aproveitou as caricias do noivo, sem sair de seus braços fortes.

❖❖

------------------x--------------------------x--------------------------x------------------------------x
¹Campo de Lavanda em Mayfielhttp://www.bulgaria21.net/wp-content/uploads/2015/09/lavender-1.jpg
² Chácara da familia Parkhttp://data.whicdn.com/images/158928996/large.jpg
³ Sala e Cozinhahttp://data.whicdn.com/images/189995483/large.png
Sala no piso superior http://data.whicdn.com/images/190132754/large.png
Quarto do ChanBaekhttp://data.whicdn.com/images/188565208/large.png
Corsa Amarelohttp://toemlondres.com/wp-content/uploads/2014/02/vauxhall-corsa-londres.jpg
Novo garçom do restaurantehttp://data.whicdn.com/images/34846991/large.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário