{Seulement Vous} Capitulo 2

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 2 - Capitulo 2
28 de março
O dia estava completamente nublado, talvez os dias de calor que seguiram anteriormente poderá trazer uma tempestade imensa. Sendo assim, Jun Myeon colocou em sua mochila uma sombrinha preta, garantindo que pudesse chegar seco em casa em caso de uma chuva repentina. Depois de terminar de se arrumar, tendo dessa vez de por uma blusa a mais, desceu as escadas encontrando apenas sua mãe em casa, porém a mesma deu-lhe um beijo na testa o desejando uma boa aula e apressadamente saiu de casa para o trabalho.

Para o ômega aquilo também não era uma surpresa, seus pais tinham uma rotina apressada depois que o filho já demonstrou responsabilidade. Não se sentia triste com a ausência dos pais, afinal teve bons momentos com eles na ultima viagem que tiveram, não poderia esperar que eles ficassem em casa depois de deixarem a empresa com os sócios para saírem em um resort por algumas semanas.
Sentou-se na cadeira da cozinha e começou a desfrutar de seu café com leite, adorava as misturas do café sempre com um gosto levemente amargo e quente que fazia uma diferença enorme, principalmente em um dia friorento. Olhava para a janela vendo o dia claramente cinzento, sorriu largamente em conforto adorava épocas frias parecia ter nascido para viver debaixo das cobertas cercado de coisas quentes. São os dias que poderia desfrutar de um bom livro enquanto está deitado em sua cama. Até mesmo já imaginou-se com ele o abraçando por trás, acariciando seus braços enquanto lia do romance vitoriano. Mas tinha plena certeza de que aquilo seria apenas uma fantasia particular.
Pegando sua mochila e suas chaves, saiu de casa olhando para o celular que apitava incessantemente. Franzia a testa em ver o grandioso numero de mensagens que enchiam sua tela, todas de seus dois companheiros de grêmio. Abrindo uma a uma, via as mensagens repetidas, todas lhe pedindo para que não fosse á escola.
Não me diga que outra briga” somente isso se passava em sua mente, ultimamente os dois grupos tem estado agitados, talvez por ser o último ano dos lideres. Coçando a cabeça, passou a língua em seu aparelho para começar a caminhar em direção da escola. Ficava pensando nas palavras da diretora para si, ah teria que se encontrar com ela mais tarde sobre o dia anterior e ainda preparar os alunos para a semana desportiva. Ficaria tão cansado naquela semana, que não iria dormir direito tamanha era sua ansiedade em ver tudo pronto.
Caminhava lentamente por ainda estar adiantado, olhava em volta encontrando as pessoas vestidas com seus casacos pesados enquanto andavam apressadamente. O ritmo da cidade era sempre apressado, teria que cogitar a ideia de viver em um lugar mais calmo assim aproveitaria mais de seus momentos. Gostava da calmaria do campo, imaginava a tranquilidade em acordar com som dos pássaros e também no gostoso som da chuva batendo contra a janela em uma noite de inverno. Viver em um bairro calmo talvez fosse bom também.
Adentrando nos portões da escola sentiu de um arrepio em seus braços, encolheu-se em seu blazer quente e caminhou calmamente pelo gramado até chegar ao prédio principal. Os estudantes passavam por si o olhando curiosamente, os que estavam em grupos cochichavam algo mantendo o olhar sobre o ômega. Franzindo o cenho suspirou em ver que a agitação havia chego mais uma vez. Os alunos ficavam daquele jeito quando os lideres teria feito algum desafio, ou mais precisamente Jong Dae fazia algum desafio. Mesmo assim ninguém lhe dava tanta atenção, até mesmo duvidava que os alunos soubessem de sua existência.
Seria demasia estupidez se o alfa resolvesse fazer algo logo após uma briga, isso aumentaria o seu castigo e deterioraria o seu histórico escolar. Por que as pessoas não tinham interesse em fazer faculdade? Elas simplesmente não se importavam e metiam-se em brigas desnecessárias. Bom teria de admitir que com aquilo, mais elogios iam para sua pasta, já que como presidente do grêmio ele que cuidava dos castigos dos estudantes de acordo com o pedido da diretora.
- Myeonnie! – O ômega parou de andar e vira Jong Dae ir até si, o alfa se aproximou posicionando seu braço em torno do ombro do menor e sorriu largo fazendo do outro retesar minimamente – Bom dia, como está?
- O que quer?
- Ah nada – Ria o alfa caminhando com o garoto pelo corredor principal do prédio, onde havia um enorme numero de alunos – Acho que temos um problema aqui, sabe? Parece que alguém andou fazendo uma pequena brincadeira.
- Alguém? – O ômega olhou inteiramente para o alfa que fez um pequeno bico nos lábios.
- Oras eu cheguei agora também, então não sei de nada.
- Sei...
Jun Myeon continuou a caminhar até ver os murais de avisos estarem completamente escondido pela quantidade, gritante, de alunos. Os murais eram grandes painéis de tecido presos na parede, ali os professores colocavam o ranking no final do ano, como também avisavam sobre passeios e demais atividades. Normalmente, um quadro com pouca atenção dos alunos. Pedindo pela passagem, o garoto se direcionou até o quadro imaginando qual seria o aviso que teria deixado todos tão agitados. Ao chegar e olhar a quantidade de folhas que tinha, sentiu seu corpo enrijecer. Conhecia aquela caligrafia, conhecia aqueles textos, assim como os desenhos que tinha. Olhou atentamente depois de coçar os olhos abaixo da armação, aproximou-se mais do quadro encontrando as cópias de seu diário pessoal. As risadas que ouvia atrás de si, os murmúrios que se estendiam em eco pelo colégio fez seu rosto avermelhar-se.
Em seu diário escrevia os acontecimentos principais do seu dia e suas emoções. Mas ali no quadro não estavam copiados os relatos sobre a animação de ganhar seu primeiro celular, ou então do dia em que pegara uma forte gripe que teve faltar alguns dias na escola. Estava copiado, e bem espalhado, todos os seus sentimentos que mais tinha cuidado, os seus sentimentos da qual cuidou e guardou por três anos sem que ninguém notasse. Só haveria duas pessoas naquele mundo que poderia saber sobre aquilo, e saberia que os garotos do grêmio não teria a maldade de espalhar para toda a escola.
Sentia-se violado, como se alguém pousasse a mão em seu coração e o puxasse á força para fora de seu peito. Já sabia que nunca teria uma chance e por isso resolveu guardar para si até que alguém surgisse para lhe amar de verdade. Mas agora... o que faria?
- Ah eae Lay – Jong Dae sorria maliciosamente, nunca havia encontrado uma maneira tão divertida de tentar deixar o outro alfa irritado. Era como se uma arma tivesse caído do céu diretamente para si. Ou melhor, um caderno caído da mochila diretamente para si.- Não sabia que namorava o presidente do grêmio, que safadinho.
Se o ômega estivesse congelado por estar frente á frente com seus sentimentos, agora não sabia como chamar o seu atual estado. Olhou para o lado vendo aquela fisionomia calma de sempre, as mãos no bolso da calça jeans escura e o corpo esguio coberto apenas por uma camiseta preta estampada assim como o boné que usava sobre os cabelos negros enquanto os olhos negros passavam sobre as folhas que continham os relatos de ontem. “Que humilhação... logo ele” . Sentia dos olhos marejarem, cerrando o punho, desviou o olhar para Jong Dae que ria da situação olhando apenas para o outro alfa.
Dando um passo á frente, o garoto puxava as folhas com força do mural rasgando-as com pressa em não deixar que os olhos daquele garoto chegassem perto de descobrir como havia se apaixonado. Era humilhação demais para si, sentia os olhos curiosos sobre seus ombros, as risadas e murmúrios ecoavam em sua mente. Rasgou a ultima folha de papel que estava em frente de Lay, levou o amontoado para a lixeira e jogou fora suspirando baixo ao sentir a primeira lágrima escorrer em seu rosto. “Totalmente humilhado”.
- Ah, acho que isso te pertence.
Jong Dae estendia o diário do garoto, não restava duvidas. Com aquele sorriso esnobe e o seu diário nas mãos do alfa, Jun Myeon não tinha duvidas de quem era o autor daquilo tudo. Segurando de seu caderno, o ômega ficou de frente para o alfa, retesando de sua mandíbula e respirando ofegante depois de limpar seu rosto, o garoto apenas fitava com ódio o outro á sua frente.
- Esperarei por você na sala da diretora.
- Mas por quê? Eu não fiz nada.
- E nem precisa, brincar com os meus sentimentos apenas para o seu bem? Que jogo sujo Jong Dae.
- Achei que soubesse – O alfa se aproximou segurando o queixo do garoto aproximando ambos os rostos. – Nunca jogo limpo.
Deixando um tapa na mão do alfa, Jun Myeon saiu correndo do prédio principal. O sorriso malicioso do alfa crescia cada vez mais, porém ao olhar para Lay seu sorriso desapareceu. Ele ainda se mantinha calmo. O outro alfa apenas observava a porta onde ao longe se podia ver o ômega correr, suspirando o alfa olhou para seu inimigo e sorriu de lado.
Um sorriso de lado, era tudo o que ele faria? Sabia que aquele garoto não gostava que mexessem com os sentimentos alheios, para ele emoções eram essenciais ao ser humano. Então por que ele sorria daquela maneira? Um sorriso ladino! Um sorriso ousado como se dissesse “só isso?”. O punho cerrado de Jong Dae fora o suficiente para que notasse, não havia ganho de seu objetivo, mais uma vez.
Os dedos da diretora tamborilavam pela mesa de madeira, enquanto olhava os três alunos á sua frente. Havia chamado os dois alfas inimigos por conta da briga do dia anterior, mas agora tinha um problema maior em suas mãos. Os olhos inchados e avermelhados de Jun Myeon partia o coração da senhora alfa, que tentava ao máximo não deixar seu lado materno falar mais alto e abraçar o pobre garoto. O ômega havia demorado em aparecer na sala, provavelmente escondido em algum canto isolado para poder chorar.
- Quantas vezes terei de pedir que não briguem? – Os olhos dos dois garotos a fitava intensamente. Não iria permitir que meros adolescentes a fizesse fraquejar. – E ainda uma brincadeira desse porte nesta manhã, Senhor Kim acho que nem adianta conversar com seus pais não?
- Acredito que não – Jong Dae sorria de lado, seus pais estariam no exterior e não se importavam com o filho por ele ser bastardo. Ah claro, talvez fosse esse o seu primeiro ódio.
- Sendo assim, Jun Myeon – O garoto chamado apenas ergueu os olhos, ele estava ligeiramente de costas para o outro alfa, não conseguia se quer sentir sua presença sem sentir a ansiedade e o medo fazerem seu estomago revirar. – Quero que aplique um castigo aos dois, ficará á seu bel prazer escolhê-lo.
- O que? – O garoto olhava surpreso para a diretora, que apenas lhe lançava um sorriso calmo – Diretora n-não posso aplicar castigos por mim mesmo, é contra as regras do grêmio.
- Eu estou lhe pedindo, então quero um relatório bem detalhado das atividades dos garotos. Sei que fará a coisa certa.
Os dois inimigos saíram da sala da diretora assim que o pedido fora feito, deixando apenas o ômega que esperava pelas palavras da mais velha. A senhora retirou os óculos os pousando em sua mesa de madeira, mirou os olhos negros para o garoto á sua frente soltando um suspiro baixo.
- Jun Myeon acredito que o ocorrido de hoje não será fácil de lidar. – Olhando atentamente para as orbes claras do garoto, via uma pureza ali que deveria ser mantida intacta. Pobre garoto que em uma época tão difícil teria de passar por tais problemas tão bobos. – Os alunos irão te implicar e eu terei de chamar de seus pais para contar o ocorrido.
- Não por favor, eles não sabem sobre...a minha preferência – O garoto se sentou na cadeira, aproximando da diretora com os olhos suplicantes. – E-Eu não faço ideia de como eles iriam reagir.
- Então só posso contar com você – A diretora apertou os dedos sobre a mesa – Terá de ser forte, e se isso ficar muito intenso terei de agir.
O garoto assentira, agora fazia sentido a pergunta que Jong Dae havia lhe feito no dia anterior. Os alunos que seriam “fãs” de Lay iriam lhe perseguir, principalmente por acharem que ele não faz parte da gangue. E de fato não fazia, na verdade se mantinha neutro durante todos esses anos. Se os alunos lhe fizesse algo, isso seria considerado uma briga por parceiro sexual, logo resultara em uma punição para os envolvidos. Suspirando coçou de sua nuca e se levantou da cadeira de couro para sair da sala, encontrando os dois alfas parados e encostados na parede o esperando. Prendeu da respiração por uns segundos, e logo liberou o ar se acalmando para seguir a sala do grêmio. Todo o caminho silencioso o deixando desconfortável, não poderia simplesmente dar um soco em Jong Dae para descontar de sua frustração, mas também não queria aplicar um castigo severo, já que se quer tinha ideia de como o fazer. Subia as escadas lentamente ainda pensando no que precisava fazer, estava atolado de assunto sobre a semana desportiva que não teria tempo para ficar de olho nos dois rapazes.
Entrando na sala do grêmio encontrou seus dois colegas, os mesmos ergueram os olhos vendo o presidente sendo seguido pelos dois lideres. Min Seok e Baekhyun se entreolharam sentindo a tensão no ar teria sido mais fácil se o outro não tivesse vindo á aula como teriam lhe pedido. O ômega sentou-se em sua cadeira e olhou para os garotos que lhe fitavam. Só de sentir o olhar daquele alfa que tanto amava sobre si já teria seu coração batendo desenfreadamente, mas agora não conseguia disfarçar já que ele sabia sobre seus sentimentos.
- O que a diretora disse? – Min Seok arriscou em sua voz baixa e aveludada, olhou para o ômega que pegava a pasta contendo as atividades da semana.
 - Por causa da briga de ontem deveremos deixar eles pagarem o preço – Respondia Baekhyun acariciando os cabelos do ômega – Acertei?
- Pois é – Sussurrava Jun Myeon sem levantar os olhos para os alfas que os escutavam silenciosamente. Passava os olhos pelas linhas, lendo seus objetivos para cada dia. Logo que a ideia surgiu, ergueu os olhos para os dois alfas e tentou esconder a sua vergonha no fundo do seu ser. Precisava ser forte. – A partir de hoje os dois estarão responsáveis pela semana desportiva, irão ajudar os alunos á escolherem de suas modalidades, assim como precisarão ficar responsáveis pelos alunos dos demais anos.
- Ah qual é isso é chato – Resmungava Jong Dae enquanto sentava na cadeira ao lado do outro ômega vice presidente – Myeonnie com certeza tem algo melhor para a gente não?
- Eu preferia te dar uma bela surra pelo o que fez mais cedo – Ditou o menor, mas logo suspirava – Se continuarem assim não poderão cursar uma faculdade, então foquem nisso. Se errarem uma vez mais, esqueçam qualquer vaga na faculdade e vocês serão expulsos da escola de imediato. E como a diretora me deu qualquer poder, então me aborreçam que eu acabo com a vida acadêmica de vocês.
- Podemos chamar alguém para nos ajudar? – O outro alfa finalmente dissera algo, o ômega ouvia daquela voz suave arrepiar seus pelos. Tentando controlar de suas emoções, o menor apenas assentia apertando os dedos debaixo da mesa, sobre seu colo.
- Podem, avisem quem for ajudar sobre esse trato, não quero problemas para essa semana.
Os dois alunos apenas assentiam, Jun Myeon e os demais ômegas acharam tal comportamento estranho. Talvez as palavras da diretora tenha, finalmente, feito-os pensarem antes de agir. Assim que a porta fora fechada, o mais velho encostou a testa em sua mesa, os dois garotos não demoraram em puxarem a cadeira até o seu lado e abraçar o presidente que suspirava entre suas mãos.
Sabiam que o garoto gostava de Lay, desde que leram acidentalmente de seu diário e que as perguntas incessantes á seu respeito foram feitas na primeira semana como presidente do grêmio. Para Min Seok e Baekhyun, Jun Myeon era uma pessoa que merecia admiração. Somente ele poderia controlar sentimentos tão fortes por esses anos, somente ele apreciava os momentos em apenas observar o alfa de longe. Claro que faziam brincadeiras á respeito, porém sempre mantinham em mente que aquele amor seria perigoso. Agora fora comprovado aquilo.
Jun Myeon erguia a cabeça sorrindo para os amigos, não demorou para que acalmasse e pudesse focar na separação das atividades para os dois alfas. Permanecera ali na sala até terminar por completo a separação das atividades, eram tantas coisas que precisava cuidar que chegava a sorrir levemente em ver que naquele ano, não seria ele quem cuidaria. Arrumando seu material junto com seus colegas, os três garotos saíram do grêmio sorrindo com o fim das atividades.
Em um momento tão repentino, Jun Myeon tivera sua visão esbranquiçada. Olhou para suas mãos vendo as mesmas da mesma cor, suas roupas estavam cobertas por um pó branco. Ergueu o rosto encontrando um grupo de garotas alfas, e pela logo que tinha no blazer já saberia do que se tratava. A garota de cabelos acastanhados aproximou-se do ômega e acariciou seus cabelos que estavam cobertos de farinhas, retirou de seus óculos e os quebrou em frente do menor, que olhava surpreso com o ocorrido.
- Fique longe dele ok? – Dizia em um sorriso largo a garota, virando-se para as duas amigas que riam do estado deplorável que o ômega se encontrava.
Assim que as três garotas se foram, Min Seok e Baekhyun se viraram para o mais velho que apenas suspirava olhando seus óculos.
- Vamos no vestiário, tome um banho antes de ir pra casa – Baekhyun puxava o garoto pelos corredores, enquanto Min Seok andava na frente tomando cuidado para que ninguém os visse. – Mas que garotas, eu mesmo vou cuidar delas.
Não dissera nada em resposta, estava ainda chocado com o que havia ocorrido. Sabia, e como sabia, que Lay era um garoto muito desejado na escola, saberia que um romance jamais poderia ter por conta disso. Por que ele olharia para si? Não teria motivos, e agora já não bastasse ter que ir á escola todos os dias sabendo que o garoto tinha conhecimento de seus sentimentos, e que ele o recusaria. Não poderia mais olhá-lo nas aulas de educação física, muito menos observar fazer um ou outro trabalho na biblioteca. Não poderia mais torcer por si na semana desportiva, não poderia mais continuar gostando dele. Tinha feito um trato consigo mesmo de amá-lo de longe, até o fim do ano, onde poderia se separar desse amor e buscar a sua felicidade. Mas agora se tornaria torturante demais continuar ali.
Adentrando no vestiário correu para um dos boxes, havia agradecido aos céus por não ter nenhum aluno ali para lhe fazer chorar. Teria de lavar sua roupa á escondida de seus pais, talvez aproveitasse o final de semana em que eles viajariam para uma ilha á negócios. Suspirava enquanto enxaguava os cabelos brevemente, desligou o registro do chuveiro e saiu com a toalha enrolada em sua cintura. Min Seok entregava o uniforme novo para o presidente, que o vestia calmamente.
- Não fique chateado, hm?
- Não esperava menos. – Comentava o líder espreitando os olhos para os amigos – Mas preciso dos meus óculos.
- Vou pedir ao meu pai uma caixa de lentes de contato, me mande depois o seu grau que eu trago amanha mesmo. – Comentava Baekhyun sorrindo para o ômega, pegando da toalha e secando os fios molhados do mesmo.
Jogava de suas roupas dentro da máquina enquanto suspirava em baixo tom, conseguira driblar sua mãe quanto aos óculos e o uniforme, dizendo ter caído feio na volta para casa. Observava a roupa ser lavada enquanto mordia o lábio levemente, onde encontraria força para aguentar um ano com aquelas brincadeiras? Poderia eles se entediar rapidamente, e deixar de lado todo o ocorrido assim podendo voltar a sua rotina.
Apoiando a cabeça em sua mão, formava um bico nos lábios passando apenas á observar a máquina trabalhar. O celular apitava trazendo novas mensagens, olhando a tela do aparelho apagava os diversos números desconhecidos que lhe mandavam imagens obscenas homossexuais. “Por que não estou surpreso”, guardando do aparelho novamente em seu bolso se levantou do pequeno banco de madeira. Olhava para o céu onde as estrelas brilhavam intensamente, o vento gélido lhe arrepiou a pele o fazendo abraçar seus braços e soltar um gemido baixo de frio.
Fechou da porta de vidro ainda olhando para os pontos brilhantes no céu. Sorria largo com a beleza que o universo poderia lhe proporcionar, sentia-se minúsculo diante te tamanha grandeza. Ria baixo em ver o quão bobo ficava em apenas observar o céu noturno, uma bobice que para si era uma ótima distração depois de um dia tão cheio como aquele.
Com o apito da máquina despertou de seus devaneios, pegava as peças de roupa e as ajeitava no varal que estava estendido na área. Rapidamente voltou ao seu quarto ansiando por sua coberta favorita, uma grande peça preta que sempre esquentava seu corpo sem necessidade de outras peças. Deitou-se na cama se enrolando na peça de plush em suas costas, pegou o livro da qual estava lendo, um romance vitoriano. Adorava aqueles livros românticos, eles mostravam a prova concreta de que o amor vence e que por mais que se odeiem o casal sempre fica junto.
Como queria viver naquela época, onde os homens eram donos da casa, tinham de seus títulos nobres como conde, visconde, barão. Ah imaginava-se com aquelas vestes de época, ansiava por uma festa á fantasia onde pudesse usá-la e se portar como um cavaleiro. Sorria só de imaginar o quão divertido seria um momento como aquele.
Não havia percebido o momento em que adormecera, mas com o sorriso no rosto e as bochechas coradas não seria difícil dizer á respeito do que sonhava. Ou melhor, com quem sonhava.
No quarto enquanto olhava sua mochila, o alfa sorria de lado pegando as folhas amassadas. Pegava uma a uma com extremo cuidado, desamassava com as mãos as posicionando acima da cama. Pegando de alguns alfinetes, ajeitava as cópias sobre o quadro esverdeado os pregando em ordem.
Teria sido uma sorte ter esperado que todos fossem embora para que pudesse pegar as folhas. Por mais que soubesse que Jong Dae fazia aquilo para lhe provocar, não conseguia sentir raiva do outro alfa. Era como se ele tomasse uma iniciativa por si. Admirando a bela caligrafia, tocou a ponta dos dedos nas folhas sorrindo largo. Nunca imaginou que aquele ômega teria tais sentimentos, fora uma surpresa enorme o ocorrido daquele dia. Ao mesmo tempo em que agradecia ao seu colega pelo ocorrido, sentia um arrepio na espinha em ver que trabalho lhe daria dar um próximo passo.
- Jong Dae, você é um imbecil.
Parado diante do quadro negro o ômega apenas encontrava aquela mensagem para si. Cerrando o punho trêmulo tentando conter de sua raiva, dava passos apressados até o quadro, segurava do apagador o deslizando pela superfície lisa esverdeada. Os risos que ouvia atrás de si simplesmente piorava tudo, estava ficando nervoso com a situação. Apagava da mensagem preconceituosa á si e seguia para sua carteira que se encontrava rabiscada de preto com desenhos pornográficos.
Torcendo os lábios se sentou na cadeira, pegou a borracha de seu estojo e tentava apagar os desenhos. Não conseguiria tirar tudo, teria d ficar até depois do grêmio para poder limpar com álcool aquele pedaço de madeira. Passando os dedos rapidamente por seu rosto, limpou as lágrimas e cobriu sua mesa com seus pertences deixando que nenhum espaço do desenho ficasse em seu campo de visão.
Escrevia em seu caderno a lição que precisava terminar, não conseguira finalizar o deve na noite passada depois de ler o livro. Claro que o sono havia lhe tomado tempo tamanho era seu cansaço, mesmo assim precisava manter suas notas. A lapiseira parou de deslizar no papel quando o aroma doce o fez erguer a cabeça e olhar para o alfa que entrava na sala de aula. Seus olhos brilhavam com o garoto que usava uma roupa mais adequada para a escola. A calça azul jeans com uma blusa da mesma tonalidade amarrada na cintura, ele usava uma blusa de lã preta com detalhes de faixas avermelhadas nas mangas, enquanto usava uma grande corrente fina com um apito prateado como pingente.
Tão belo”, sua face ruborizava somente com aquela visão, como se andasse em câmera lenta até a carteira do fundo onde costuma se sentar. Voltou seus olhos para o caderno quando pequenos risos e cochichos lhe despertavam do devaneio. Realmente não teria como admirar aquele garoto, sem que alguém lhe percebesse e risse de sua total bobice diante do alfa. Não teria culpa se sentia daquela maneira, na verdade era incontrolável a vontade de admirá-lo, havia se tornado um hábito que o agradava naqueles anos.
Pigarreando e ajeitando-se na cadeira, voltou a terminar do deve para poder começar a prestar atenção na aula. Sua única alternativa de desprender sua mente e focar em algo que ajudaria a passar o tempo rapidamente. Porém as pequenas bolinhas de papel que eram jogadas e acertadas em suas costas fazia de sua paciência esgotar aos poucos. Apertava os dedos na lapiseira deixando os nós brancos, mordia o lábio inferior suspirando enquanto olhava para seu caderno, com a impecável instrução de como resolver a equação.
Estava a perder a paciência, queria se virar para ver quem seria a pessoa que estaria lhe incomodando. Como gostaria de ter a coragem para enfrentar as pessoas. Prendendo da respiração, sentia seu corpo formigar em adrenalina, estava prestes a se virar quando uma voz calma e forte soava na sala silenciosa.
- Chega.
Todos, ressalte em todos inclusive professor que escrevia no quadro, se viraram para olhar Lay, que tinha as mãos nos bolsos como de costume, e olhava para o grupo de garotas á sua frente. Jun Myeon não deixou de observar o punho fechado da garota, vendo uma pequena ponta branca. “É papel!”. Desviando olhar novamente para o alfa líder do grupo Zagan, via o cenho cerrado do mesmo.
- Se quiser brincar como uma criança no maternal, então saía da sala.
- Mas...  – A garota olhava surpresa para o alfa, as suas bochechas ficavam cada vez mais avermelhadas por conta da atenção que recebia. Mas as feições do garoto... não era normal vê-lo daquela maneira.
- Não me faça repetir.
O professor olhava para toda a turma com espanto, encontrou o amontoado de papel em formato de bola no chão perto do presidente do grêmio. Soltando do giz o mesmo retomou da atenção dos alunos, fazendo seu papel em dar um aviso á garota que atrapalhava a aula. O ômega olhava para o alfa como se estivesse enfeitiçado com o que via, o garoto tinha os olhos brilhantes quando ambos passaram a se encarar. Estava tento um contato visual maior do que jamais haveria imaginado ter, os olhos daquele alfa lhe fitavam como se o visse nu, mas sem ousar descer por seu corpo. Abaixando a cabeça lentamente até a encostar-se à mesa, Jun Myeon jurou ter visto um sorriso simpático naquele alfa.
Caminhando pelos corredores segurando a pasta com os relatórios dos representantes, Jun Myeon tentava chegar apressadamente á sala do grêmio onde estava atrasado para poder iniciar os preparativos da semana desportiva. Havia demorado por conta da limpeza de sua carteira, e por mais que a senhora da limpeza tivesse lhe dito que limparia, o ômega assumiu a responsabilidade e fez a limpeza o mais depressa que podia.
Passava pelos corredores desviando com cuidado dos alunos que transitava, subia os degraus com cuidado e já conseguia ver a porta da sala á sua espera. Com a pequena pilha de papel impedindo parte de seu campo de visão, apesar via a garota alfa de sua sala caminhar em sentido contrário. Algo haveria enroscado em sua perna, fazendo-o tropeçar e cair no chão derrubando todas as folhas pelo corredor. Sentindo a ardência em sua mão e joelhos, olhou para a garota que ria enquanto andava lhe dando as costas.
- Mas que droga de uma garota!
Sentou-se no chão e começou a juntar as folhas, a única coisa que lhe ajudaria seria o fato de estarem grampeadas, mesmo assim eram enormes quantidades. A porta do grêmio fora aberta, mesmo assim o ômega apenas olhava para as folhas espalhadas, juntando o mais rápido que poderia. Vendo alguém se agachar á sua frente e uma mão o ajudar a pegar as folhas, desviou o olhar para o pulso da pessoa observando os desenhos feitos na pele. O arrepio lhe passou na espinha e juntando de sua coragem, olhou para a figura que ordenava os papeis e lhe entregava com um sorriso amistoso nos lábios.
- Está tudo bem?
Como o coração humano era incrivelmente falho, a voz baixa e suave soava em seus ouvidos como uma musica da sua orquestra favorita. Olhava para aquele ser deslumbrante diante de si e poderia jurar ter sentido sua face ruborizar. Assentindo diversas vezes enquanto pegava, desjeitosamente, das folhas o alfa estendia-lhe a mão para ajudá-lo a se levantar. Não perdera tempo em tocar com a ponta dos dedos em sua palma, “Sua mão é quente” pensava ao sentir todos os dígitos do mais velho segurar sua mão franzina e colocá-lo em pé cuidadosamente.
- O-Obrigado – “ótimo, porque não aproveita para soar mais feminino e ridículo que isso?”, torcendo os lábios abraçou a pilha de papel e assentiu novamente. – Obrigado pela ajuda..Lay-ssi.
- Yi Xing – O alfa abria a porta do grêmio para o presidente e lhe aguardava ao lado da mesma dando passagem ao menor. O sorriso brincalhão novamente despontava nos lábios do garoto, deixando o ômega fraquejar internamente. – Me chame de Yi Xing.

❖❖

Nenhum comentário:

Postar um comentário