{Seulement Vous} Capitulo 17

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 17 - Capitulo 17
Coreia do Sul, 10 de setembro, 14h da tarde
O nervosismo tomava conta dos dois híbridos que encaravam o envelope sobre a mesa de centro, o resultado do exame de DNA teria finalmente chego depois de poucos dias. Era sábado e o exame foi feito na segunda, enquanto aquele tão esperado resultado não tivesse chegado os dois rapazes tentavam se manter calmos. Mas para Baekhyun a sua calma não era apenas para controlar o nervosismo em saber quem era o pai do seu filhote, mas também por começar a ver pequenos pontos brilhantes em torno de Chanyeol.

Depois que passaram a morar juntos o alfa tinha respeitado o tempo do ômega quanto á toques, porém ao saber da gestação e das possibilidades de ser o seu filhote ele voltou a tocar em Baekhyun. Toques gentis e carinhosos, como abraços e afagos nos cabelos. Baekhyun se repreendia quando recordava da noite esquecida e se via desejando daquele beijo carinhoso novamente, aquele toque suavizado sobre seu corpo e a voz rouca dizendo que o amava. Estava ficando difícil de permanecer ao lado do alfa, o seu cheiro era delicioso e deixava aqueles desejos mais conscientes e impossíveis de controlar.
Se antes esperava Chanyeol ir dormir para poder comer algo que ele não deixaria, ou simplesmente chorar, agora era para poder vê-lo dormir e acariciar seus braços fortes. Sentia-se ansioso quando o tocava, queria provar mais uma vez daqueles lábios e ter a sensação de ser protegido pelo mais alto. Durante a madrugada era mais fácil de sanar essas vontades apenas permitindo que o outro lhe abraçasse quando suas mãos o procuravam, eram ações inconscientes e Chanyeol se virava muito enquanto dormia, sendo assim os abraços eram curtos.
Mordendo o lábio inferior acariciava de seu braço enquanto desviava o olhar do alfa, torcia internamente para que aquele filhote fosse de Chanyeol, assim se sentiria menos culpado e como se libertasse de um pesadelo. Sem aguentar esticou-se alcançando o envelope branco rasgando do papel podendo pegar a pasta que viera dentro. Nela conteria o exame de DNA, mas as palavras eram difíceis para Baekhyun entender e queria alguma que pudesse reconhecer.
O alfa observava-o atentamente, sentando na ponta do sofá apertava o tecido enquanto esperava ansiosamente alguma palavra ser dita pelo ômega. O mesmo lia e relia logo focando em apenas uma parte do relatório, então desviou o olhar para o alfa e sorria largamente.
- Realmente Chanyeol – O ômega pousava a ficha em seu colo e soltava uma risada baixa enquanto ajeitava os cabelos bagunçados. – Não sei o que você fez na sua vida passada, mas é bem sortudo.
- É meu?
Ao receber o relatório do ômega, passou os olhos rapidamente pelas letras e números até encontrar o que queria.
- “99%” Isso significa...
- Que é pai do meu filhote.
Aquela frase parecia tão charmosa, Chanyeol observava o ômega á sua frente com os olhos baixos e um singelo sorriso no rosto. “Ele está aliviado”. Não se conteve em apenas admirá-lo, agachando-se ao seu lado acariciou o abdômen onde poderia ver um pequeno volume. Lembrava-se do corpo de Baekhyun ele não teria nenhuma gordurinha á mais em suas curvas, sendo assim era perceptível o volume do feto abaixo de seu umbigo. Ergueu a camisa do garoto e selou-lhe a pele pálida, deixando com que o ômega corasse com sua ação.
Erguendo o rosto para poder visualizar aquele ser tão belo e estonteante, Chanyeol sorria abertamente abraçando Baekhyun. Os dois híbridos estariam felizes com o resultado, e o alfa poderia ter mais um motivo para poder fazer daquele garoto feliz consigo. O ômega acariciava as bochechas rosadas de Chanyeol e ria diante da felicidade estampada em seu rosto, os brilhos que estavam em sua volta pareciam ser diamantes naquele momento. Não se conteve, selou-lhe a bochecha e o abraçou podendo sentir um fantasma desaparecer diante de si. 
O alfa não esperava aquela reação do menor, mas não diria que a rejeitava. Sentando-se ao seu lado retribuía do abraço acariciando de suas costas, sorrindo ternamente com o momento que seria o mais feliz de toda a sua vida. Ao afastarem um do outro se levantara para ir á cozinha onde iriam brindar o novo passo que estavam por dar.
- Agora irá se esquecer de tudo – Servindo do liquido transparente com pequenas bolhas em duas taças, entregou uma champagne ao menor enquanto lhe direcionava um sorriso. – Essa é uma nova fase que irá vivenciar, e eu estarei do seu lado.
- É...uma nova fase.
Bebendo do champagne o ômega se levantou para brindar juntamente ao maior, de frente um para o outro deliciando com a bebida ficaram a se olhar por um momento. Os dedos grandes de Chanyeol acariciavam a bochecha do menor, deixando de lado qualquer outra coisa que o impediria de cometer daquele ato, se inclinou para poder selar daqueles finos lábios. Baekhyun de inicio ficara um tanto quanto surpreso com aquela iniciativa, mas logo sentia de seu corpo desejar daquele toque, as noites em que sonhava novamente com uma noite esquecida e o fazia despertar cheio de desejo por aquele alfa como seu companheiro.
Fechando os olhos retribuía do selar que logo se tornaria um beijo intenso. Envolvendo a cintura do menor em seus fortes braços, o deixava rente ao seu corpo enquanto sentia de seus dedos finos passearem em seus ombros onde repousaram. O primeiro beijo desde que retornaram da viagem era calmo e carinhoso, carregando intensos sentimentos confusos que apenas aumentava ainda mais a vontade de sentir o outro. Com Baekhyun lhe beijando daquela forma, Chanyeol pudera entender que o ocorrido de algumas semanas atrás estava, finalmente, esquecido e com isso o próximo passo poderia ser dado.
Com o ar se tornando necessário o beijo foi findado, e os olhos que brilhavam se encaravam ainda entorpecidos com o momento. Acariciando a cintura do menor o alfa olhava-o cuidadosamente e somente então deslizou seus lábios por seu pescoço. O ômega deixava seus braços rodearem a cintura do mais alto, a cabeça que se inclinava dava mais espaço para que o outro pudesse continuar com a distribuição de selares molhados.  Tão brevemente as presas surgiam e uma mordida fora deixada no ombro direito de Baekhyun.
Mordendo o lábio inferior, fechava de seus olhos sentindo aquelas presas perfurarem de sua pele. Entrelaçando de seus dedos nos cabelos platinados do maior, o abraçava apertado suspirando ao ter sua visão embaçada. A conexão daqueles híbridos ocorreria lentamente por conta do feto que crescia, segurando daquele corpo, Chanyeol passava a selar a mordida que se cicatrizava rapidamente, então olhando para o ômega que teria ficado inconsciente.
- Agora esquecerá de tudo e passará a viver por mim – Acariciava as bochechas do menor e o pegava em seus braços.- Por nós.
Coreia do Sul, 15 de setembro, 16h da tarde.
Os cinco dias que se seguiram foram calmos, Baekhyun já teria voltado para a escola e iria repor as aulas no sábado de manhã, enquanto Chanyeol estudava para prestar o vestibular. Em meio ao caos e confusão de uma nova vida, o recém casal tivera um novo problema em mãos.
Senhora Park teria inscrito Chanyeol em um novo programa para casamentos, e fora total surpresa quando uma ômega de seios fartos surgira na casa do alfa esperando o mesmo para um suposto encontro. Baekhyun apenas olhava a mulher sentindo-se enciumado, não teria seios e glúteos grandes e redondos como a mulher, mas o seu corpo também poderia ser bonito o suficiente para causar inveja em outros homens. Sendo assim qual tipo de corpo Chanyeol iria preferir se deleitar? Quando o alfa chegara em casa e vira aquela atmosfera intensa não conteve a risada ao sentir o seu corpo formigar por conta da mordida.
Explicou-se para a ômega e pediu desculpas pelo mau entendido, e assim que fechou a porta se virou para o ômega que se mantinha sentado de braços cruzados.
- Está com ciúmes?
- E porque eu estaria?
-Pode mentir o quanto quiser, mas eu sei que está com ciúmes.
Espreitando os olhos o ômega se levantara do sofá e seguia para o quarto, sem deixar de se sentir contente o alfa abraçou a cintura do menor e selava sua bochecha diversas vezes. Não seria necessário muito para que pudessem estar na cama deliciando com o beijo carinhoso. Depois da mordida tudo teria ficado mais fácil entre os dois, Chanyeol conseguia entender Baekhyun e por isso controlava de seus impulsos para não passar dos limites e assustar o garoto, sendo isso uma tarefa difícil de se realizar.
Enquanto trocavam caricias o celular de Chanyeol tocara, ao ver o numero bufava já imaginando que a suposta ômega teria ligado á sua mãe. Atendendo da ligação ficava a olhar para o ômega, acariciando de sua barriga.
- Oi mãe quanto tempo!
- Pensei ter sido bem clara no outro dia.
- Atendi sua ligação, não lembro de ter aceitado que me arranjasse alguma esposa.
- Vai ficar agindo como um menino mimado até quando? Sabe que seu pai quer herdeiros.
- E ele vai ter- Sorrindo largo Chanyeol olhava para a barriga de Baekhyun. – Eu mordi e já está a espera de um filhote, veja que só que praticidade.
Baekhyun dera um tapa no ombro do alfa fazendo o mesmo rir com sua reação. Sabia que ele estava a dizer aquilo apenas para irritar sua mãe. Mas não deixava de se preocupar com o que os pais do mais velho iriam achar daquela situação. Ainda lembrava-se das palavras ditas pelo alfa de cabelos grisalhos sobre não atrapalhar o futuro de Chanyeol, e agora teria mudado todos os planos do mesmo para com seu filho. Mesmo assim não poderia ser feito mais nada agora que a mordida foi deixada em seu ombro, teria apenas de aceitar o que a vida iria lhe trazer.
- Vou falar com seu pai e logo estaremos ai para conversar mocinho.
Desligando o telefone, o alfa ria enquanto recebia o olhar de reprovação do ômega. Sabendo que seus pais iriam ficar sobre Baekhyun, provavelmente ao enlouquecerem quando soubessem da gestação e a paternidade do filho, Chanyeol pedira para que o outro ficasse no quarto quando eles chegassem enquanto pudesse explicar a situação. Não demorou em que a campainha tocasse, fazendo o alfa sair correndo pela casa indo até a porta para abrir e encontrar a fisionomia séria do casal de progenitores. Dando passagem fechou a porta e os três se sentavam no sofá sem dizer uma única palavra. Alguns minutos se seguiram naquele silêncio, um olhando para o outro esperando a iniciativa. Rosnando baixo o alfa se endireitou e olhou para o filho de cabelos platinados.
- Sua mãe me disse algo que eu tive de vir. O que tem a nos contar Chanyeol?
- Engravidei Baekhyun – De forma mais simples e direta o alfa apenas cruzava os braços enquanto observava os olhos surpresos de seus pais.
- O garoto que foi estuprado? E o que te faz pensar que o filhote é seu?
Chanyeol apenas apontava para a pasta sobre a mesa, não teriam mexido depois do dia que descobriram a paternidade. O alfa mais velho rosnava diante da figura de seu filho, parecia ter herdado sua teimosia e ambição. Pegando da pasta lera os resultados junto com sua esposa, surpreendendo com o resultado positivo quanto á paternidade de Chanyeol.
- Isso não é falso? – A ômega analisava a folha de cima á baixo reconhecendo o carimbo do laboratório. Suspirando ela olhava para o filho que sorria zombateiramente. – Com um homem? Chanyeol isso realmente seria inaceitável...
- Estou cumprindo do trato – Os dois alfas se entreolhavam com seriedade, aproveitaria aquela chance para um obter algo do outro -  É como eu te disse, vou herdar sua empresa e terá um neto, sendo assim minha vida privada não é da conta de vocês.
- De fato – Mesmo que fosse contra ter o filho junto á outro rapaz, o senhor Park se sentia aliviado em ter de seus planos correndo bem. – Sendo assim, o trato estará feito quando vocês dois se casarem.
- O que? Espere ai não tínhamos combinado isso.
- O que as pessoas irão dizer sobre meu filho ter um filhote sem se casar? Faça isso e ninguém poderá se intrometer.
Olhando por cima do ombro, Chanyeol procurava pela porta do seu quarto vendo a mesma entreaberta. “Bisbilhoteiro”. Voltando a observar de seu pai diante de si com a mão estendida, o alfa erguera a semelhante fechando o trato entre os dois alfas. Agora Chanyeol e Baekhyun teriam de se casar.
Londres, Reino Unido, 20 de setembro, 11h da manhã
Jun Myeon estava debruçado sobre a mesa de madeira enquanto observava o alfa utilizar grande parte do móvel para confeccionar de seus doces. Ria divertido ao vê-lo tão concentrado em aprender algo, e ainda se dedicar em fazer corretamente. Durante os dias que se seguiram Yi Xing aprendera dezenas de receitas, sendo que as maiorias eram da Victorian London, o restaurante que se tornou predileto do casal, onde fizeram amizades com o gerente. Ficaram estupefatos quando descobriram que o senhor Wu, o garçom que os atendera quando foram jantar lá pela primeira vez, era o dono do local. A honra que sentiam por ter sido bem recepcionados gerou uma grande comoção nos empregados que queriam saber o que o casal tinha de tão especial para terem sido bem recebidos.
Porém ninguém saberia além do senhor Wu. A partir de então Yi Xing comprava os doces e fazia réplicas com outros ingredientes, Jun Myeon ficava satisfeito quando degustava, as massas de bolos eram fofas e suculentas, as coberturas não eram tão doces e enjoativas, o gosto era refinado. Enquanto o ômega assistia as aulas na universidade o alfa ficava no apartamento vendo aulas na internet, acabando por se interessar ainda mais em confeitaria. Realizava doces e pedia para que o companheiro levasse para seus amigos, quando sobrava levava para o restaurante onde o dono provava e ajudava o rapaz.
Era uma amizade que Yi Xing teria feito sem perceber, não imaginava que a cozinha poderia lhe proporcionar tamanho prazer. Porém ficou estarrecido ao ver que o restaurante não estaria tão bem financeiramente. Na primeira noite em que fora jantar junto com Jun Myeon teria percebido que os doces pareciam escuros demais, como se tivessem mofados, entretanto não imaginou que sua intuição estaria correta. O ultimo pâtissier contratado tinha sua licença vencida há anos e diversas avaliações negativas na França, o que acabou gerar alto numero de reclamações para o restaurante. O alfa presenciou o momento em que o senhor Wu recebia o ultimo aviso, onde deveria encontrar novos cozinheiros para a doceria ou teria de fechar o restaurante.
Senhor Wu não era um homem velho, era um alfa de vinte e oito anos e com grandes conquistas, tinha vasto conhecimento sobre as culinárias ao redor do mundo e uma paixão por doces, sempre sonhava em ter um local onde pudesse abranger tudo desde uma padaria até um bar. Victorian London foi a realização desse sonho que parecia desmanchar aos poucos. O restaurante contava com alguns funcionários, já que o ambiente era pequeno e não teria necessidade de terem tantos garçons. Entretanto com o ocorrido tivera de mandar todos eles refazerem as avaliações e averiguar quem estaria com a licença em dia. Sendo assim apenas três funcionários restaram.
Yi Xing conversava com eles sempre que podia, não entendia muito de negócios preferindo assim não dizer nada á respeito. Já recebera vários chamados do Senhor Wu para que trabalhasse consigo, mas o alfa negava dizendo não ter a licença necessária e muito menos conhecimento sobre doces. Quando levou Jun Myeon para conhecer seus novos amigos, o próprio ômega fizera questão de lhe animar e dizer para começar a estudar, e então o novo plano de vida do alfa começava a emergir.
O que antes era uma preocupação intensa agora parecia ser um objetivo, Yi Xing se preocupava em arranjar um emprego e agora tinha a chance em suas mãos. Jun Myeon comprara cadernos e vários lápis e canetas coloridas, deixando claro que quando chegasse em casa o alfa teria que ter aprendido cerca de três lições sobre a arte dos doces em estilo francês, conhecida mundialmente como pâtisserie, caso contrário dormiria no sofá. Uma ameaça infantil, mas que surtira efeito tão breve sobre o alfa que estava imerso em seus estudos.
Enquanto aprendia durante á tarde nos finais de semana ele ia para o restaurante comprar o doce e voltava para o apartamento onde faria a replica baseando naquilo que aprendeu. Jun Myeon era um jurado bem rigoroso, mas que no fundo se deliciava com os doces e sentia-se satisfeito em ver o amante tão empolgado.
- Pronto.
O pequeno doce que teria feito naquela manhã era um creme confeiteiro, com ingredientes diferentes e menos gordurosos. Jun Myeon pegara da colher provando do doce e olhava para o alfa. O mesmo olhava ansiosamente enquanto limpava as mãos em seu avental novo.
- E então?
- Acho que ficaria perfeito com algum bolo sem cobertura e sem recheio.
- Tipo...pão com manteiga?
- Boa comparação.
Enquanto riam Yi Xing se sentava na cadeira e olhava o movimento da rua de Mayfair, pela janela de vidro conseguia ver o sol brilhando apesar do frio que se aproximava. Em breve seria outono e as épocas frias iriam chegar com intensidade no país. Voltando a atenção para o ômega ria em vê-lo comer mais do creme, mesmo puxando do pequeno pote para longe, o outro se inclinava mais sobre a mesa a fim de alcançar a sobremesa.
- Recebeu alguma noticia dos meninos? – Enquanto limpava os lábios o ômega puxava a cadeira para ficar ao lado do alfa, abraçando-se os dois ficaram a olhar a paisagem aproveitando a folga daquele dia. Jun Myeon não teria aula devido á palestras que os professores precisavam comparecer, tendo assim um dia inteiro para aproveitar o alfa.
- Bom Jong Dae me ligou ontem á noite, disse que talvez venha para cá junto com o Min Seok.
- Sério? Eles vão sair de férias?
- Não sei, ele não me contou direito, apenas disse que estão vendo algumas coisas e talvez venham.
Jun Myeon se sentia em paz ao ver que Yi Xing e Jong Dae estavam se dando bem, e admitia que estava com saudades da impertinência do alfa e do seu melhor amigo. Sempre que podia ligava tanto para Baekhyun quanto para Min Seok, mas as conversas não duravam muito e sempre que perguntava sobre alguma novidade sentia que algo estava sendo mantido em segredo de si. Até mesmo comentara com Yi Xing, perguntou se sabia se algo acontecera e pedia para que o alfa ligasse para sua família e perguntasse, mesmo assim nada descobriram.
A família do alfa havia diminuído nas chamadas, algumas vezes Jun Myeon atendia por acidente e apenas ouvia a voz tremula da ômega perguntando sobre como estaria o filho. Parecia que teriam aceitado a ausência do alfa e conversavam calmamente com o mesmo. Ainda assim algo parecia estranho. O casal se sentia mal em ver que estar em Londres os deixavam á mercê dos assuntos.
- Bom vamos esperar eles confirmarem, ai sim eu crio coragem pra limpar o quarto de hóspedes.
- Mudando de assunto, quando que vai ser sua prova do vestibular?
O ômega erguia a cabeça para poder observar o alfa, relembrando do que teria anotado em sua agenda logo sorria acariciando o peitoral do mesmo. Deveria ir para o seu quarto e estudar as matérias, mas aproveitar aquele momento com o outro era mais interessante.
- Amanhã, vamos fazer uma roda de estudos nas primeiras aulas e nas duas ultimas seguirei para a sala de aula onde será feito a avaliação.
- Ah não me diga que eu consegui fazer o presidente do grêmio deixar os estudos de lado?
- Haha, seu engraçadinho.
Entre brincadeiras e beijos, o casal aproveitava a vista, tão em breve o momento romântico fora cortado por uma musica baixa que tocava. Yi Xing pegava o celular do seu bolso reconhecendo o número de Chanyeol. Sorrindo por ter voltado á falar com o outro, atendera deixando no viva voz.
- Fala Chanyeol.
- Eae, cara preciso de um favor seu.
­- Manda – Jun Myeon encarava Yi Xing ao sentir um pequeno arrepio em sua espinha, ganhando apenas um selar na ponta do seu nariz, o ômega se levantava aproveitando da distração para surrupiar do creme sobre á mesa.
- Tá sabendo sobre eu e o Baek né?
- Ah sim Baekhyun ligou e contou ao Jun.
- Beleza, seguinte to no aeroporto agora, meu pai quer que eu vá conhecer uma filial dele ai em Londres. Se pá posso ficar com vocês?
O alfa desviou o olhar surpreso para o ômega, mas não conseguira segurar a risada ao ver o menor com a boca lambuzada do creme. Levantando-se fora até o garoto passando o polegar sobre seus lábios retirando do doce, para então lambê-lo.
- Mas em que aeroporto esta agora?
- Heathrow
Jun Myeon coçava a cabeça olhando em volta, mas não demorou em pegar o celular do alfa e seguir para a sala. Yi Xing aproveitava para pegar o doce e levar na cozinha longe dos olhos do ômega.
- Chanyeol é o Jun Myeon, por que não avisou que estava por vir?
- Meus pais estão com pressa para que eu me case e comece a trabalhar. Como não me importo com a escola tratei de vir direto. Mas eai eu posso ficar com vocês?
- Claro claro, pegue um táxi ou...sei lá como pretende vir. Mas venha direto para Mayfair anote ai o endereço...
Enquanto o ômega ajudava o alfa á se localizar, Yi Xing corria para o quarto de hospedes. O cômodo não estaria tão sujo já que os pais do ômega ficaram ali por alguns dias. Apenas trocando os lençóis, passando uma vassoura rapidamente tirava a poeira dos moveis e do chão. E assim iniciava uma correria, sabendo que demoraria alguns minutos para que o alfa de cabelos platinados chegasse ao apartamento, assim que a ligação foi encerrada o casal corria para o supermercado onde precisariam fazer uma intensa compra.
O que deveria estar planejado para ser feito após a prova do ômega.  Não tendo opções além de irem para o mercado mais próximo, o casal se separava e pegavam o que seria necessário. O problema não era atingir expectativas quanto á Chanyeol, sabiam que o garoto não se importava com esses detalhes e que queria um lugar para dormir apenas. Entretanto queriam mostrar como estavam bem em Londres, e que teriam se adaptado perfeitamente na cidade, além de fazer o alfa se sentir bem recebido e bem tratado.
Yi Xing era o que mais se sentia pressionado, era a primeira vez que veria o amigo desde que se reataram por telefonema. Não sabia o que deveria dizer, se deveria sorrir ou pedir desculpas. Talvez o que soubesse fazer de melhor fosse sua forma de dizer o que sentia. Em alguns minutos demorados o casal se encontrava no caixa e pagavam pelos produtos. Carregando as sacolas pesadas andavam depressa para chegarem em frente ao prédio onde residiam.
Suspiravam aliviados quando chegaram no apartamento, Yi Xing fora categórico em pedir para que Jun Myeon fosse estudar para sua prova deixando com que o jantar ficasse por sua conta. Mas não dera tempo de pensar em algo, assim que a ultima sacola de compra se esvaziou a campainha tocava. Indo depressa até a porta, o alfa abrira encontrando o amigo alto de cabelos platinados segurando a mala.
- Eae.
- Entre entre.
Dando passagem ao amigo, assim que fechou a porta os dois alfas se abraçavam. Jun Myeon que olhava da porta do quarto sorria para Chanyeol e logo o abraçava também. Indicando para se sentarem no sofá, os dois alfas seguiram a sugestão enquanto o ômega corria para a cozinha preparar um café.
- Os pombos fugitivos heim – Chanyeol olhava em volta rindo abafado em ver que o apartamento não parecia o estilo do antigo Yi Xing. Mas vendo o mesmo ser cordial com o ômega não tivera duvidas que o casal teria amadurecido e muito ao morarem sozinhos. – Como é que estão?
- Estamos bem, só na correria dos estudos – Jun Myeon servia café entregando ao alfa que bebia de bom grado. – Amanhã é meu vestibular e vamos ver no que vai dar.
- E tu cara? – Olhando para Yi Xing sorria abertamente enquanto bebia mais um gole do café doce. – Fiquei sabendo que ta fazendo doce.
- Jun me incentivou a estudar sobre confeitaria – O alfa corava e acariciava a própria nuca, se sentindo tímido diante do amigo em ver que faria algo tão diferente do que se esperava. – Quem sabe eu faça um curso futuramente, não sei ainda.
- E você Chanyeol, como está sendo essa fase...papai.
- Ah – Era a vez do mais alto sorrir todo bobo, pegando o celular colocava na foto do ultrassom que mostrava o pequeno filhote ainda por se desenvolver. – Lindo né? Eu e o Baekhyun estaríamos cuidando das coisas, mas meus pais estão...empolgados demais em serem avós.
- Então vai trabalhar com seu pai mesmo?
- É o plano, consegui fazer um jogo de cintura e decidir ficar por aqui – O alfa sorria largo olhando a imagem do celular – Assim nós três teremos paz o suficiente para nos curtir.
- Realmente é um bom plano.
Jun Myeon não ficou muito tempo conversando com os dois alfas, logo se retirou para iniciar os seus estudos. Enquanto isso Yi Xing levava o amigo para o quarto de hospedes onde poderia descansar e tomar banho. Olhando no relógio o alfa chinês suspirava e seguia para cozinha onde iniciaria algum lanche da tarde e assim aproveitar a presença de seu bom e velho amigo.
Coreia do Sul, 20 de setembro, 20h da noite.
Um encontro seria o momento ideal para se dar um passo á mais no relacionamento, principalmente para aqueles que iniciavam um. Não era o caso de Min Seok, já fora pedido em namoro pelo alfa e até mesmo usavam alianças, o relacionamento já era exposto em toda a escola e ninguém era contra. A única coisa que os atrapalhavam era a condição de Jong Dae. Com o avanço das pesquisas que o ômega realizava e a produção dos remédios diminuíam cada vez mais os sintomas. Desde a ultima noite em que tivera de sair á procura do alfa, onde o encontrou em meio de uma briga, não teve nenhum outro ocorrido similar.
Sendo assim com muito custo, Jong Dae convenceu Min Seok á se darem uma noite. Iriam em um restaurante perto da casa dos dois e jantariam, e em seguida iriam para a casa do alfa onde dormiriam juntos. O que se passava na cabeça do ômega era saber o que vestir, não sabia o que aconteceria quando fosse á casa do outro, e queria estar totalmente preparado. Escolhia uma calça jeans comum e uma camiseta branca, ao olhar para a janela via algumas nuvens no céu escuro, o fazendo suspirar temendo que sentisse frio.
Após tomar um banho rápido, se perfumou e vestira a roupa escolhida¹, adicionando um moletom azul e um boné na cabeça. Verificando o celular via que o horário era o mesmo que o combinado, e não demorou em ouvir a porta ser batida. Rindo da pontualidade que Jong Dae tinha, guardou o aparelho em seu bolso e logo saía de casa após avisar os pais que estava saindo.
Ao abrir a porta sorria diante da beleza de Jong Dae², a calça preta assim como a camiseta com a estampa de alguma musica que ele gostava de ouvir, a jaqueta jeans sobre si e o boné preto enalteciam a pele esbranquiçada do alfa. Como era de se esperar ele gostava de passar uma imagem de garoto malvado.
- Uau – Rindo o ômega fechava a porta atrás de si, logo segurando a mão que lhe era estendida.
- Digo o mesmo, se meu namorado saber que eu to saindo com você, vai me arranjar problemas.
- Que belo jeito de dizer que eu estou bonito.
Puxando a mão de Min Seok fazia com que o mesmo se aproximasse mais de si, pousou sua mão livre no rosto do menor e selava seus lábios demoradamente. Começando a caminhar o casal sorria enquanto contavam as novidades, o ômega teria conversado com Baekhyun mais cedo, relatou sobre Chanyeol ter ido á Londres e provavelmente ficar com o outro casal de amigos. Jong Dae que ouvia tudo silenciosamente sorria assentindo ao mostrar a mensagem de Yi Xing confirmando que o outro alfa teria chego em segurança em sua casa.
Mesmo que desejasse ouvir a voz de seu namorado o alfa não conseguia, estranhou quando olhava para o menor e via sua boca se mover. Passando a ponta dos dedos sobre sua orelha, sorria tentando disfarçar a subida surdez. Fora temporário, logo voltava a ouvir e retomar do assunto sem levantar qualquer suspeita. Ao chegarem no restaurante o casal se sentou em uma mesa mais afastada que desse privacidade e logo faziam os pedidos.
- Eu também já falei com o Xing e disse sobre a hipótese de irmos para lá. – Jong Dae brincava com os dedos do amante e cerrava o cenho ao ter a visão turva novamente. – Acha que é uma boa irmos?
- Eu andei pesquisando – Min Seok olhava o alfa e sorria em pensar que ele estava entretido com seus dedos. Era comum o mesmo ficar daquela maneira, ele dizia que eram dedos de pianista. – Eu vi muitos comentários positivos sobre um hospital que tem por lá e que faz tratamento, mas irei ligar e ver como que funciona. Se for para ir, quero ter certeza de que te aceitem.
- E se não der certo? – Com a visão melhor, o alfa encarava o mais baixo que apenas negava com a cabeça.
- Então iremos para um campo e lá irei fazer o que for possível. Criarei remédios naturais e darei continuidade aos meus estudos.
Não deram continuidade ao assunto, a intenção do encontro era de relaxarem. O jantar fora servido e o casal comia entre risos e brincadeiras, tiraram fotos e brindavam pelo futuro que parecia mais incerto a cada dia. Durante toda a noite Jong Dae segurava os enjoos, não permitia-se estragar a noite, quando finalmente via o ômega em outro ambiente e com aquele belo sorriso em seu rosto.  Além de outros sintomas surgirem durante o jantar, conseguira manter seu sorriso e o controle sobre seu corpo.
A noite estava para se encerrar, o casal caminhava pelas ruas noturnas abraçados e trocando caricias. Min Seok conseguia se sentir completamente amado naquele momento, durante toda a noite sendo mimado pelo alfa que lhe servia bebida e dava comida em sua boca, e ainda dizia frases românticas para si. Enquanto caminhavam para casa do alfa, os toques gentis que recebia arrepiavam sua pele, os beijos carinhosos e ao mesmo tempo ardentes quase os faziam parar na rua para poderem se sentir melhor.
Ao chegarem na casa do alfa ouviam o silencio, pelo horários os pais do mesmo deveriam estar dormindo para levantarem cedo no dia seguinte. Sem acenderem as luzes se direcionavam para o quarto do alfa, sem cessarem o beijo que iniciou-se no corredor. Encostando o ômega contra a parede, o abraçava apertado e o beijava tentando sentir o máximo do garoto. Quando o ar se fizera necessários as bocas ofegantes ainda se acariciavam com selares, e ainda sorrir diante da felicidade.
- Está cheiroso Seokkie.
- Eu sempre fui cheiroso.
- Gostei desse perfume.
Depositando um selar no pescoço do menor afastou-se para entregar uma camisa ao mesmo, adorava a visão do ômega apenas de boxer e com uma camiseta que lhe pertencesse. Tal hábito que pegara de seu irmão caçula. Enquanto o esperava abria a janela ao sentir o corpo suar intensamente, não conseguindo segurar dos demais sintomas, acabou por perder a consciência no exato momento em que Min Seok saíra do banheiro.
- J-JONG DAE!

❖❖

------------------x--------------------------x--------------------------x------------------------------x

Nenhum comentário:

Postar um comentário