{Seulement Vous} Capitulo 13

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 13 - Capitulo 13
Coréia do Sul, 013 de agosto, 14 h da tarde
As aulas pareciam se arrastar á cada momento que Min Seok prestava atenção no que o professor dizia na frente da turma. Girando o lápis em sua mão o ômega desviava o olhar por cima de seu ombro, encontrando um alfa que parecia interessado ao que olhava no celular. Suspirando baixo em lembrar-se da noite esquecida e seus frutíferos segredos que pareciam ser uma mentira. Ainda ficava difícil para o mais novo ficar próximo ao rapaz sem deixar claro em sua face que estava descontente com a falta de iniciativa de Jong Dae. O mais novo voltou a encarar de seu caderno mordendo o lábio inferior rabiscava na folha em branco seus sentimentos. “Jun Myeon está em Londres vivendo seu conto de fadas, Baekhyun....estou preocupado com eles, será que Chanyeol o encontrou? Mas o príncipe negro...” voltando a olhar sobre seus ombros, Min Seok encontrara os olhos de Jong Dae sobre si, tendo as bochechas avermelhadas o ômega desviou rapidamente o olhar voltando a encarar de seu caderno “... o príncipe negro continua me mantendo em um mundo sombrio onde não consigo ver nada além dos meus pés”.

O relógio sob o quadro negro apontava para as três horas da tarde, e tão em breve o sinal tocara obrigando os professores á encerrarem as aulas e dispensar seus alunos. Esperando todos se retirarem, Min Seok guardava seu material lentamente ajeitando sua bolsa em seus ombros para então se levantar, porém não conseguira dar nenhum passo já que Jong Dae estava á sua frente com as mãos no bolso e o sorriso brincalhão de sempre.
- Chanyeol está com Baekhyun – A voz do maior soava calma demais para Min Seok, que sentia seu próprio coração bater de forma acelerada e quase barulhenta para si. – Mas parece que algo realmente aconteceu, por isso terá de ir á casa do alfa.
- O-Oi? Ir na casa do Chanyeol?
- Eu vou com você, ou...tem algum compromisso agora?
Sem dizer uma palavra por conta do constrangimento que sentia, Min Seok jogara a bolsa em seu ombro novamente passando ao lado de Jong Dae seguindo para a porta da sala. O alfa olhava o menor com um sorriso nos lábios, como antes parecia divertido brincar com ele agora soava ser algo pesado. Talvez por saber de seus sentimentos e não conseguir decifrar o que ele mesmo pensava ou sentia. Suspirando, Jong Dae apenas o imitara para então guiar o garoto pelas ruas.
O movimento era pequeno apenas poderia ver os estudantes retornando para suas casas. Jong Dae e Min Seok mantinham o silêncio entre eles durante toda a caminhada, o mais novo não conseguia acompanhar o ritmo acelerado do alfa de caminhar, sendo assim ficava alguns passos atrás vendo apenas suas costas. O mais alto raramente usava uniforme, sempre ia para a escola com uma roupa que achava confortável, porém a camiseta regata que ele usava mostrava algumas manchas em seus braços. O ômega inclinava a cabeça aproximando-se para ver melhor, não parecia ser uma mancha de queimadura, ou algum sinal de que a pele estava descascando apenas.
- O que será?
- O que disse?
- Nada.
E não precisou pensar em mais nada quando se lembrara do fato dele estar passando para alfa. Não importaria qual medicamento ou procedimento ele passasse sempre teria alguma coisa em seu físico que iria mudar, por conta do novo metabolismo que estaria adotando. Não foi nem uma ou duas vezes que o ômega passou a noite totalmente em claro pesquisando artigos científicos estrangeiros, e escrevendo em seu caderno o nome dos remédios que poderiam realmente ajudar o alfa. Porém o preço deles era muito alto para poder comprar em farmácias e até mesmo de importar de outro país. Não importaria qual o nome do remédio e o quão diferente são as formulas, sempre trarão algum tipo de sequela como aquela.
O alfa se quer pensava em alguma coisa, apenas seguia o caminho com as mãos no bolso sem dizer uma única palavra por não achar necessário fazê-la. Seguindo para o lado oposto que Chanyeol teria feito para ir á casa de Baekhyun, tão logo chegaram em um bairro calmo e silencioso que poderia ser o local perfeito para o alfa morar sozinho. As casas eram parecidas e simples, raramente se encontrava algum sobrado naquela rua. A casa que iriam visitar era branca com janelas verde água, apertando da campainha não demorou para que o alfa de cabelos platinados abrisse a porta, mostrando seu abdômen definido usando apenas uma calça de moletom.
- Chegaram rápido.
- Onde está o Baek?
A preocupação de Min Seok transparecia em seu rosto, deixara de lado totalmente a sua preocupação com seus sentimentos com o alfa de cabelos castanhos. Esticou a cabeça para olhar além dos ombros de Chanyeol, procurando por algum sinal de Baekhyun, o alfa de cabelos platinados sorria em ver que haveria alguém além de si mesmo que se preocupava com o ômega. Ficando de lado apenas fizera sinal com a cabeça para que os dois híbridos entrassem na casa, fechando a porta atrás de si ficou a olhar para o corredor que dava para o seu quarto.
- Ele está dormindo. Só consegui dar banho e com muito custo.
- Como assim?
- Senta, a história é um pouco longa.
Tanto Min Seok quanto Jong Dae se sentavam no sofá sendo servidos com um copo de água gelado trazido pelo alfa mais alto. O mesmo se sentara em frente aos dois amigos e tão logo começou a contar sobre o que teria visto na casa de Baekhyun. Entrou em detalhes que o ômega lhe contara durante o banho, mesmo sonolento e dolorido, Baekhyun contou sobre as ameaças que sofrera desde que entrou em seu primeiro cio, que até então sua mãe não permitia nenhum tipo de contato com o menor, além de que na época seu pai ainda vivia com eles. Porém após o sumiço repentino do alfa da casa, a senhora Byun entrou em um desespero gritante, temendo a solidão que passaria em sua vida. Como se precisasse de um parceiro para preencher de seu vazio, antes de dar a devida devoção á Baekhyun.
Uma forma complicada de se viver e que o ômega não conseguia compreender, mesmo assim se mantinha na casa aguentando todas as formas de abuso que lhe era dirigido apenas por amor á sua mãe. Naquela manhã era a primeira vez que algum parceiro alfa lhe tocava, até então tudo o que recebia eram palavras grotescas, toques sutis e olhares cheios de desejos extremamente maliciosos. Tudo isso Baekhyun conseguiu aguentar por anos.
Min Seok não acreditava no que ouvia, e jamais pensou que o motivo do ômega ficar com o líder dos Zagan seria tão assombroso. Na verdade jamais imaginaria alguma coisa, já que o garoto sempre sorria e agia de forma protetora tanto consigo quanto á Jun Myeon. Sentindo de suas mãos ficarem trêmulas e os olhos marejarem, apenas teve um par de mãos quentes que lhe confortavam. Não precisava erguer o rosto para saber á quem pertenciam, afinal o toque daquele alfa era tão intenso que jamais se esqueceria.
- Então ele vai ficar aqui com você?
-É acho melhor eu ficar de olho – Chanyeol coçava a cabeça e suspirava vendo o celular vibrar no sofá. Apenas desligando o aparelho o mesmo bufara revirando os olhos.
- Eu acho que não vai durar muito vocês aqui. – Jong Dae acariciava os dedos de Min Seok, porém seus olhos eram intensos sobre Chanyeol. – Seus pais com certeza irão vir se continuar a ignorar as ligações.
- Isso é verdade. – O alfa de cabelos platinados mexia em seus cabelos distraidamente – Mas eles não poderão fazer nada se eu morder o Baekhyun.
- Espere – Min Seok erguera a cabeça já se recompondo, o toque de Jong Dae fazia seu coração bater acelerado o deixando envergonhado e cada vez mais perdido no que deveria fazer, utilizando o momento respirou fundo para manter-se concentrado – Espere pelo Baekhyun, o que ele está passando deve deixar ele bem assustado, e duvido muito que ele possa se entregar á alguém com facilidade. Espere ao lado dele e o proteja, mostre a ele que é diferente.
Chanyeol não queria discutir esse tipo de postura, sabia que teria que ter calma com o ômega, porém assim como Jong Dae teria falado, o alfa sabia que cedo ou tarde teria problemas por conta de Baekhyun, não pelo fato de algum outro alfa querer o garoto, mas de seus próprios pais quererem separá-los com algum tipo de besteira matrimonial para estabelecer um negócio que mantenha a empresa de seu pai no topo. Seria a velha guerra de Chanyeol. 
Londres, Reino Unido, 013 de agosto, 5 h da manhã
O sol se quer tinha nascido e Yi Xing já se encontrava de pé correndo pelas ruas de uma Mayfair ainda silenciosa. O calor que fazia era perfeito para que o alfa se sentisse bem em fazer exercícios matutinos, nos últimos dias teria feito disso um hábito para evitar de ficar em casa sem fazer absolutamente nada. Nos primeiros dias de sua corrida levou consigo pedaço de papel e uma caneta para saber qual rua deveria seguir para voltar ao prédio onde estavam, fazia as rotas e marcava nele alguns lugares que achava interessante. Bares com show ao vivo com cantores que iniciam sua vida nos palcos, lojas que vendem doces caseiros e presentes vintages, lugares para jogos de sorte e azar. Tudo era simplesmente perfeito para levar Jun Myeon durante o final de semana, alguns dos lugares os dois já frequentaram, e simplesmente adoravam dos passeios noturnos em alguns parques de outros bairros vizinhos, simplesmente perfeito para um recém-casal que iniciavam seus encontros.
O motivo de querer iniciar um relacionamento calmo e lento era para que Jun Myeon pudesse conhecer mais sobre o alfa, saber de sua família do que gosta e o que detestava, os encontros eram perfeitos por conta disso, uma forma de conversar em ambientes diferentes e criar novas memórias. Yi Xing não se arrependia de ter mordido o ômega, na verdade se sentia aliviado por finalmente tê-lo para si, assim como esperava que estes fossem os sentimentos do mais novo. Tudo ocorreu rapidamente e o alfa se quer soubera o que estava fazendo, durante algumas manhãs estranhava o fato de estar em outro lugar, tão longe de sua casa e de seus amigos. Porém os pensamentos de como seria sua vida sem aquele garoto o fazia ter certeza de que tomara o caminho certo.
Entretanto haviam coisas que os dois teriam pulado, como a etapa de encontros. Sendo assim, o mais alto não tardou em iniciar seu roteiro, passando pelas ruas em sua corrida apenas parava para escrever em seu novo bloco de notas, uma caderneta que Jun Myeon lhe dera quando via os papeis amassados nas roupas do alfa, e para beber água. Naquela manhã parou diante de um prédio¹, que assim como os demais haveria uma fachada antiquada, porém no térreo era um restaurante denominado de “Victorian London”. O prédio em si tinha uma cor clara e ela contrastava a cor esverdeada da parede do restaurante, as cadeiras e pequenas mesas viradas para a rua eram em tons claros também. “Um lugar que ele iria adorar”.
O rapaz teria aprendido sobre os gostos peculiares de Jun Myeon, até mesmo leu alguns de seus livros sobre a época vitoriana e viu alguns filmes na presença do mais novo. Aprendera muito sobre o assunto e entendera o motivo do ômega ficar extremamente encantado com Londres, por conta de pequenos lugares como aqueles trazia uma beleza que parecia ser irreal. Ajeitando os fios negros o alfa aproximou-se do restaurante, olhando através do vidro encontrando um lugar comum. Mesas distribuídas em volta do imenso local, em um canto balcão para quem quisesse algo mais rápido como bebidas, em cada extremidade do balcão duas portas grandes e arredondadas que dava acesso á cozinha.
Marcando no papel o lugar logo dera meia volta para passar em uma padaria que ficava próximo do prédio. Apenas comprara café e alguns doces leves, sem muito recheio, para que o ômega tomasse no café da manhã. Suspirava aliviado em ter se apressado na noite anterior e preparado o almoço do ômega, receita simples contendo arroz e outros acompanhamentos, junto com suco natural de alguma fruta que o próprio alfa escolhia durante suas caminhadas. Porém na noite anterior Yi Xing teria saído sozinho para ir ao mercado e acabou por escolher antecipadamente algumas mangas, diminuindo assim o seu tempo de caminhada naquela manhã.
Já dentro do elevador, olhava o celular que vinha com as mensagens de sua mãe. “Parece que Jong Dae contou a verdade para ela”. A alfa apenas perguntava como estava indo o filho, pedia detalhes sobre o que teria acontecido e mandava, com direito á letras maiúsculas, que o alfa atendesse de suas ligações. Porém Yi Xing não o fazia, apenas respondia que estava tudo bem e que precisava fazer algo, mesmo que fosse ficar deitado no sofá vendo televisão em algum canal londrino.
Ao adentrar no apartamento conseguira ouvir o barulho do chuveiro, sorria imaginando que o despertador finalmente conseguira acordar o ômega sozinho, aprendera que Jun Myeon era extremamente preguiçoso quando estava cansado, dificultando na hora de levantar. Indo diretamente para a cozinha, ajeitou a mesa e preparava a pequena bolsa térmica com o almoço do ômega. Mesmo que suas atividades fossem simples, Yi Xing tentava relaxar, algo que em sua casa não conseguia com tanta facilidade. Ali conseguira descobrir o quão bom era na cozinha e que Jun Myeon apreciava tudo o que o alfa lhe preparava e pedia para provar.
Novos planos passam em sua mente, porém não queria iniciar nada por aquele momento. Na verdade esperava para saber qual seria a resposta de Jun Myeon, iriam ficar em Londres, ou voltariam para a Coréia?
Coréia do Sul, 3 de agosto, 19 h da noite
A noite que se dominava  o céu deixando o quarto mais escuro fazia um ômega despertar de seu sono, o corpo ainda dolorido o fazia gemer enquanto se sentava na grandiosa cama aconchegante. Lembrava o que teria ocorrido naquela manhã e sentia-se extremamente aliviado por finalmente ter saído de sua casa e ter vindo para algum lugar longe de qualquer outro problema que alfas lhe trariam. Sentia-se intensamente agradecido por Chanyeol ter sido o seu herói, entretanto sabia que viver sobre o mesmo teto que o mesmo poderia se tornar difícil. Sabia muito bem do motivo dele ter ido á sua casa, não seria apenas por preocupação com um colega de classe, e como teria ouvido na manhã seguinte á noite esquecida, aquele garoto alto tinha sentimentos profundos por Baekhyun.
Não saberia o que deveria dizer e achava errado estar na casa do rapaz sendo que o mesmo teria de seus próprios problemas para resolver. Olhando para seu corpo vira que ainda vestia a roupa do maior, Teria tomado banho contra sua vontade, não queria de forma alguma que ele tivesse visto seu corpo naquele estado deplorável, e mesmo que a intenção do rapaz fosse apenas em lhe dar um banho o corpo de Baekhyun reagia contra. Tremulações, choros, resmungos, chutes e socos foram desferidos no corpo do alfa, e o ômega apenas via em sua frente um alfa desconhecido e assustador.
Somente pelo fato de Chanyeol ser um alfa e absurdamente mais forte que si mesmo o fazia se sentir estranho e com vontade de fugir. Ainda era fresco em sua memória o que teria ocorrido em seu quarto naquela manhã e apenas piorava a sua situação. Mesmo assim conseguiu dormir na cama, onde estava rodeado pelo aroma natural de Chanyeol, um cheiro forte e amadeirado. Dormira bem, e a sensação que teve era semelhante de quando acordara nos braços com o alfa atado em si.
O cheiro de alho sendo frito na panela despertara os pensamentos do ômega. Com um custo alto se levantou da cama e abrira a porta encontrando o intenso corredor que dava vista para a sala e parte da cozinha. Conseguia ver o alfa de cabelos molhados mexendo nas panelas enquanto xingava alto ao tentar colocar o arroz já lavado na panela. Sorrindo levemente, abraçou seus braços e seguia pelo corredor quase inaudivelmente. Porém Chanyeol sentira de seu cheiro e parou o que fazia, não se movia, assim como Baekhyun parou de andar. Vendo o rosto do maior se virar para o lado, suspirou aliviado em perceber que era apenas para espirrar, fazendo o menor soltar um riso baixo e seguir para a sala.
- Acordou melhor?
Chanyeol não havia se virado e apenas olhava o que fazia, não sabia mexer muito bem com comida, porém teria aprendido um pouco com Yi Xing quando começou a viver sozinho. Sabia apenas o básico e conseguia preparar algumas frituras, entretanto na maioria das vezes comia fora ou pulava alguma refeição. Baekhyun parou em meio á sala e ficou a observar o alfa, sorrindo levemente assentia acariciando seu braço.
- Obrigado por ter aparecido. Não sei o que aconteceria...se não tivesse lá.
- Eu sei o que aconteceria.
Chanyeol apenas se virou e observou atentamente para o garoto. O sono de Baekhyun era pesado demais e mal notara quando o alfa passou pomada em seus machucados, pomada essa que fora levada por Min Seok junto com outros curativos, o novo presidente do grêmio tinha ido para casa e logo retornara, ainda de uniforme, com a maleta de primeiro socorros. Os hematomas ainda eram visíveis, porém já teriam desinchado algumas regiões, e a camiseta com que vestira o menor cobria bem seu corpo, sabendo que Baekhyun não deveria ver para chorar mais.
- Com fome?
- Um pouco.
-Fique a vontade, pode mudar de canal – Apontando para a televisão ligada, Baekhyun percebera que a mesma estava em um canal de desenhos animados. – Suas roupas estão no meu armário, algumas delas eu pedi pra tia lavar.
- Tia?
- Minha empregada, ela vem todos os dias para limpar a casa.
Baekhyun apenas assentia e olhava em volta, não tinha percebido como era a casa de Chanyeol quando chegaram, já que o menor estava dormindo em seus braços. Porém poderia dizer que era pequena e diferente, uma casa que ninguém diria que era de Chanyeol. Sentando-se no sofá ficou a assistir o desenho animado para se distrair, mesmo que vez ou outra olhasse por cima do ombro para ver o porquê do alfa xingar tanto na cozinha. Sabendo que ele estava fazendo aquilo para si, o ômega apenas se manteve em silencio olhando a televisão.
Meia hora que se passou e a mesa fora posta, Baekhyun se sentou na cadeira e apreciou o prato com alguns legumes. Sem pestanejar começou a comer calmamente, e ao sentir o gosto bom que a comida tinha esqueceu-se da presença do outro e passou a comer mais afoito. Chanyeol que se sentou ao lado do ômega o observava surpreso e soltou uma risada baixa para não atrapalhar o garoto “depois fala de mim”.
Em silencio os dois híbridos comiam, porém perdurou pouco quando o celular de Chanyeol tocara. Olhando o visor cerrou o cenho em ver que era Yi Xing o ligando. Baekhyun observando a face do maior se encolhera um pouco e baixou os olhos para o prato, quase sem comida, sabia que os dois alfas não estavam ainda em paz por conta do relacionamento sexual que Baekhyun tinha, e agora que sabia dos sentimentos do outro sentia-se envergonhado por suas ações.
- Atenda. – Sussurrou o menor revirando algumas folhas de alface em seu prato – Pode ser importante.
Chanyeol suspirou atendendo a ligação deixando no viva voz, pousando o aparelho no centro da mesa.
- Alô.
- CADÊ O BAEKHYUN PARK CHANYEOL!
- Desculpa foi engano.
Chanyeol desligara a ligação rapidamente, no entanto o aparelho voltou a tocar com o mesmo número. Baekhyun soltara uma risada baixa vendo que o maior havia reconhecido a voz de Jun Myeon no outro lado da linha.
- Desligou na minha cara? É fácil eu ligar pra diretora e te expulsar.
- Até em outro país você quer me dar suspensão? – Chanyeol revirou os olhos, por um momento vira Baekhyun sorrir enquanto escutava da conversa. Balançando a cabeça sorrira de lado e logo olhou para o celular – Ele está aqui comigo, por quê?
- Graças aos céus. Não sabe como fiquei preocupado quando recebi a ligação do Min Seok.
- Minnie? – Baekhyun olhara de imediato para Chanyeol que apenas fez uma careta, com as mãos fez o sinal de que contaria depois o que teria ocorrido. – Ahn.. Myeonnie sou eu Baekhyun.
- Como está?
- Ham....
- Ok pergunta idiota, desculpa. - Os barulhos que ouviam no fundo fez os dois híbridos se entreolharem.
- Onde está baixinho?
- Estou na universidade claro. Aqui são... 10 horas da manhã.
- Uau – Baekhyun colocava a folha de alface na boca enquanto olhava para o celular.
- E porque ta com o celular do Xing? – Chanyeol servia o suco para os dois e apenas ganhara um sorriso gentil do ômega, o fazendo corar sutilmente.
- Eu pedi para levar o celular, acordei com a mensagem do Minnie e então acabei descarregando o meu. Trocamos os celulares. Agora eu aproveitei a troca de sala para poder ligar.
Baekhyun novamente olhava para Chanyeol e balançou a cabeça, um pedido silencioso para que o assunto não fosse tocado novamente. O alfa suspirou baixo e voltava a encarar o prato, agora vazio.
- Baekhyun vai morar comigo agora, até ele ficar melhor e pensar no que quer fazer. Mas e como ta ae, o Xing já morreu de tédio?
A risada baixa do ômega soara pelo telefone, o barulho aumentava e conseguia perceber que o caminho que ele seguia parecia ser grande demais. Baekhyun logo imaginava que tipo de universidade era aquela.
- Por enquanto ele está vivo, digamos que um Yi Xing novo está surgindo, Ele basicamente faz tudo aqui, desde arrumar o apartamento até fazer o meu almoço. Ele está se adaptando bem aqui e por enquanto nenhum homem mal encarado cheio de tatuagem veio me procurar por brigas, acho que eu também vou sobreviver.
- Deixa alguém saber quem ele é e logo encontra briga – Brincava Chanyeol recebendo um olhar reprovador do ômega ao seu lado. – Bom se está tudo bem ai então estamos quites.
- To de olho em você Chanyeol, é fácil eu pegar um avião para te estrangular...MYEOOONIEE – Baekhyun e Chanyeol se assustaram com o grito que ouviram do outro lado da linha. Olhando fixamente para o aparelho, os dois híbridos ouviram a voz doce e suave, de alguém que jamais conheceram. – Vou desligar, alguns colegas querem tagarelar sobre a China, ligo mais tarde.
- Não ouse me trocar Myeonnie, ESSE APELIDO É MEU!
Chanyeol gargalhava com a reação de Baekhyun, o mesmo havia se esquecido de sua situação e demonstrava ciúmes do amigo, que apenas ria e prometia que não o trocaria. As bochechas infladas e rosto avermelhado, Baekhyun parecia infantil encarando o celular.
O silencio voltara a reinar após a ligação feita, entretanto o ambiente que estava entre os dois híbridos passou a ser mais descontraída. Jun Myeon conseguira deixar a tensão de Baekhyun mais leve, o fazendo se lembrar que muitas coisas precisavam ser vividas. O ômega se dispôs a lavar a louça em forma de agradecimento pelo jantar que ganhara, sorrindo para as paredes conseguia pensar que seu conto de fadas poderia começar á qualquer instante.
Coréia do Sul, 4 de agosto, 6 h da manhã
Jong Dae acabava de sair do banho e mantinha a toalha enrolada em sua cintura. O dia anterior fora como um tornado de situações que lhe exigiam a máxima força que não tinha. Acompanhar Min Seok até a casa de Chanyeol foi o menor dos males, os problemas se iniciaram quando chegou em casa e via sua mãe chorar na cozinha pela falta de Yi Xing. Assim que a hibrida teria percebido a presença do alfa, iniciou um punhado de perguntas que deixava Jong Dae sufocado, o resultado fora uma intensa gritaria onde o alfa pedia para a progenitora não lhe perguntar sobre o caçula.
Olhando o celular via que nenhuma mensagem recebia, apenas a ultima resposta do irmão mais novo dizendo para que Jong Dae ficasse á espreita dos demais híbridos, os protegendo. Fingindo que não se importa com os demais rapazes da escola, o alfa suspirava em imaginar que teria de dar uma resposta ao ômega mais baixo, o mesmo parecia sem esperança alguma. Isso de alguma forma incomodava o alfa. Sabia que sua paixonite por Jun Myeon havia diminuído, e que agora Min Seok teria se afastado de si depois da noite esquecida. Até mesmo no dia anterior sentira sua mão formigar quando segurou as mãos delicadas do ômega, não sabia se estava realmente preocupado com o garoto apenas não queria ver ele chorar pela situação de Baekhyun.
- Pede para ele voltar.
Suspirando o alfa deixou o celular sobre a mesa e olhou por cima dos ombros, sua mãe com os olhos marejados e o padrasto atrás dela olhando-a dolorido parecia uma cena comovente, mas o mais novo não gostava daquilo, na verdade ele detestava. O alfa espreitou os olhos e suspirava aliviando o pulso que se fechava diante de sua raiva.
- Eu já disse, ele não vai voltar, desista.
- Jong Dae isso não é jeito de falar. – Repreendia o alfa, aquele homem chinês, pai de Yi Xing, nunca levantava a voz e naquele momento sua postura e fisionomia mantinha calmo, mesmo que seus olhos dissessem o oposto.
- Eu vou contar a real para vocês – Se virando, Jong Dae encostou-se em sua mesa cruzando os braços. O peitoral estava coberto de manchas, deixando os dois adultos surpresos em vê-lo daquela maneira. – Jun Myeon precisa passar esse semestre em Londres para ver se realmente pretende cursar a faculdade por lá. Se ele quiser ficará, e como Yi Xing o mordeu ele ficará também.
- Mas não pode...
- Você está chorando porque o seu maldito bebezinho saiu do ninho? – Jong Dae segurava o abajur em suas mãos ao se afastar da mesa dando um passo próximo ao caso, ainda batalhando em seu interior para controlar a raiva que sentia. – E QUANDO EU PARTIR IRÁ CHORAR? Quero chore em desespero, se angustie.
- Jong Dae!
- Fale quantas vezes for necessário que me ama, mas no final das contas SEMPRE SERÁ YI XING. – Soltando uma risada debochada o alfa jogara a cabeça para trás e fechou os olhos – E ele nem está aqui, não posso culpa-lo por absolutamente nada.
No lado de fora do sobrado, Min Seok olhava para a janela e via Jong Dae. Fazia alguns minutos que saíra de casa, e como de costume pretendia passar em uma padaria próxima á casa do alfa, lá compraria seu café com leite e um pedaço de pão doce para comer no restante do caminho para a escola. Como era de hábito, ao passar em frente á casa do maior, sempre olhava a janela onde já vira Jong Dae ler, falar no telefone, se trocar, ou apenas não estar ali. Porém dessa vez parou de caminhar quando o vira, as costas nuas não tinha nenhum sinal de mancha.
Arregalou os olhos ao ver que Jong Dae gritava e segurava o abajur em suas mãos, tampou os ouvidos imaginando ouvir o intenso barulho de vidro ser quebrado, mas daquela distância onde estava não ouviria nada tão alto, mesmo assim em reflexo se manteve encolhido. Min Seok sabia que o alfa tomaria algum medicamento para poder se tornar um alfa completo, e como já teria observado em suas pesquisas haveria sequelas que ele poderia ter. A fácil mudança de humor ou então dores que surgem depois de um momento que o corpo passa por algum estresse. “Não quero vê-lo sofrer”.  Torcendo os lábios, passou pelo portão e foi até a porta da casa, bateu algumas vezes e ninguém viera lhe atender, girando a maçaneta percebeu que a porta estava aberta.
Engolindo em seco, colocou a cabeça para dentro da casa, imaginando de onde viera sua coragem para adentrar no local daquela maneira mal educada. Sem ninguém por perto adentrou na casa ouvindo mais gritos e choros, sentindo seu coração bater acelerado, torceu para que seu cheiro não fosse descoberto. Passou pela sala e um corredor logo encontrou o lance de escadas que dava para o segundo andar, subindo lentamente ouvira o som de uma voz baixa e feminina, parecia que chorava entre as palavras.
Ao chegar no topo das escadas encontrara os pais de Yi Xing, já os vira diversas vezes na escola durante reuniões quando os dois rapazes entravam em alguma briga. Mais uma vez engolia em seco e suspirava baixo se aproximando do casal, os dois olharam para trás assim que sentiam o doce do garoto ômega atrás de si. Vendo o cenho cerrado do homem alto, o ômega erguera as mãos em rendição.
- Me perdoem a intromissão, sou o presidente do grêmio estudantil e vim...buscar o Jong Dae.
- Ah claro – O padrasto alfa sorria envergonhado pela situação, não iria pedir muita informação sobre o rapaz já que se lembrava dele na escola. Acariciando os ombros da esposa, deixou com que seu rosto ficasse no peitoral e deu passagem para o jovem entrar. Com passos tímidos, o ômega aparecera na porta, vendo o alfa ofegante com a mão ensanguentado por conta de um corte, talvez feito ao quebrar o abajur.
- Vamos Jong Dae.
- O que raios faz aqui.
- Cinco minutos para vestir seu uniforme, ou eu mesmo irei vestir em você.
Jong Dae espreitou os olhos, via a determinação em Min Seok, porém os punhos cerrados e trêmulos fez o alfa suspira e ir para o banheiro. O ômega apenas observou o chão e via o abajur quebrado, se virou para o casal que ainda o observava da porta.
- Ahn...espero não estar me intrometendo muito – Com a voz baixa, Min Seok mexia em sua bolsa e entregava o folheto ao padrasto. O mesmo folheto que havia entregue á Jong Dae durante a viagem de formatura. – Quanto antes ele for, mais cedo será sua recuperação, e o laboratório também fica em Londres. Sabe...finalmente os dois se deram bem, nesse momento pode ser doloroso como mãe ver o filho longe, mas saiba que ele também está preocupado com o irmão mais novo.
O casal ficava a observar atentamente, talvez surpresos, para Min Seok. Suas bochechas rosadas, olhos arredondados e brilhantes exalava doçura para os mais velhos.
- Yi Xing ainda não sabe sobre isso, imagina como ele ficaria ao descobrir que o irmão que tanta ama está doente. – Sorrindo de forma gentil, o ômega segurou as mãos dos mais velhos e acariciava-os. Emanando um calor fraterno o casal apenas sorria de volta. – Pensem nisso, eu prometo que cuidarei do Jong Dae.... ele é o meu tchan.
A porta do banheiro fora aberta, pela primeira vez Jong Dae vestia o uniforme da escola. Min Seok soltara as mãos do casal e puxava o alfa pela mão, não machucada obviamente. O mesmo se quer olhou para os híbridos parados na porta, apenas seguia aquele garoto que parecia extremamente forte e determinado. Pela primeira vez Min Seok salvava Jong Dae.

❖❖
------------------x--------------------------x--------------------------x------------------------------x

Nenhum comentário:

Postar um comentário