{Seulement Vous} Capitulo 12

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 12 - Capitulo 12
Londres, Reino Unido, 20 de julho ás 11 horas da manhã.
O apartamento em si era grande e espaçoso para os dois híbridos viverem naquele semestre, a claridade que era emanada dos cômodos jazia a sensação de um lugar diferente do que eram acostumados á viver. Parados na porta ainda olhando estupefatos para a sala, encontravam o apartamento mobiliado, diga-se de passagem com belos e refinados móveis. A primeira coisa que chamava a atenção era a grandiosa janela com duas folhas fixas e duas portas que davam acesso á sacada, onde teriam uma mesa branca e duas cadeiras além de plantas. Em frente á janela um sofá com almofadas e uma manta, tendo em sua direita um pequeno móvel rústico marrom, com abajur e vasos de plantas como enfeites, na parede um espelho redondo¹.

Ao lado do móvel havia uma porta que dava acesso á uma área de lazer, de paredes brancas no lado esquerdo apenas, tendo o restante das paredes feitas com outro material que os híbridos não conseguiram dizer qual era. Porém ele tinha repartições de vidro, deixando o ambiente com uma iluminação mais natural, sem ter a necessidade de ter lâmpadas grandes. Aquele cômodo tinha uma mesa grande de madeira e algumas cadeiras com capas felpudas, parecia ser uma parte social do apartamento. Ao lado haveria um pequeno estofado e mais alguns objetos de enfeite que deixavam Yi Xing surpreso². Retornando á sala e seguindo por uma porta pequena e branca no lado esquerdo, se encontrava a cozinha, que teria apenas um balcão em toda a extensão da parede, com um fogão embutido assim como a geladeira, deixando um espaço proveitoso para uma mesa alta e duas cadeiras. Havia ali também uma pequena janela e mais plantas, em pequenos vasos, além de iluminarias embutidas na parede³. “Que lindo! Lanchinhos da meia noite serão bem vindos”.
Ao lado da porta da cozinha haveria um quarto pequeno para hóspedes, era de paredes acinzentadas e cortinas marrons, No teto havia um lustre em formato diferente, mas que deixava o ambiente bem estiloso. O chão era amadeirado, diferente dos demais cômodos, além do closet que parecia ser pequeno, porém suficiente para quem fosse ali apenas para visitá-los. Á esquerda a porta que dava acesso ao banheiro, tinha um conceito diferente do quarto, ao preto e branco se destacava. Uma das paredes era preta e o restante branco em estilo tijolinhos á vista. Havia uma bancada amadeirada onde se encontrava a pia e o espelho, e abaixo da janela uma banheira branca que também tinha um chuveiro preto. O conceito em si parecia estranho, porém em Mayfair tudo era possível.
Voltando ao lado direito da sala, que usavam como ponto principal do local, tinha a porta que dava para a suíte. O quarto onde dormiriam tinha paredes brancas encontraram um teto meia água, onde teria uma janela que dava para ver o céu de Londres. Abaixo da tal janela uma pequena estante branca se encontrava, onde Jun Myeon já conseguia ver seus livros guardados. Do lado da estante o colchão ficava sobre um grosso assoalho de madeira que continha algumas gavetas. Pensando assim, vira que na parede oposta teria um closet pequeno e branco, porém suficiente para que os meninos guardassem de suas roupas. Na verdade Yi Xing pensava que o closet ficaria com espaços vazios, já que não trouxera toda sua roupa por conta da noticia repentina.
Mais á frente podia ter a porta para o banheiro que parecia simples, porém para o casal era algo belo e quase inimaginável de se usar. O espaço era pequeno, as paredes brancas de tijolinhos á vista dava mais claridade ainda ao local. Em frente á janela havia uma banheira preta externamente, com torneiras douradas. Ao lado da banheira a pia se encontrava, era de madeira branca com os trincos também dourados. Os detalhes eram todos dourados, assim como os pequenos guinchos para as toalhas.
- Esse apartamento é um sonho. – Ria Jun Myeon animado, voltando ao quarto onde deixou suas malas – Simplesmente lindo.
- É mas deve ser caro – Yi Xing ainda absorto com o banheiro, olhou para o ômega – E como estou de penetra, devo trabalhar para poder pagar por isso.
Jun Myeon se sentou na cama e sorria calmo para o amante, que se encostava na parede e cruzava os braços.
- Bom, isso é algo que tem que pensar. Temos que te comprar roupas e ainda nos preparar para o que seus pais irão fazer ao saber que fugiu de casa.
- Digamos que essa parte Jong Dae cuida – Ria o alfa desencostando da parede indo até o menor, ficando próximo acariciou-lhe os cabelos e suspirava. – Uma nova vida se inicia aqui.
- É apenas um semestre que ficaremos...
- A não ser que a faculdade realmente seja muito boa para o curso que resolver fazer.
- Sim...bom é muita coisa para se pensar agora. Vamos com calma, certo?
- Claro. – Yi Xing olhava em volta e suspirava – O temos que fazer primeiro?
- Compras e depois iremos dormir, amanhã começos a nossa rotina inglesa.
Os dois híbridos logo saíam do apartamento e caminhavam em volta do bairro Mayfair, Jun Myeon contava, e com entusiasmo, sobre os livros que costumava ler e o que já ouviu falar sobre o lugar. Yi Xing não entendia muito bem o que o outro comentava, e evitava até mesmo de lhe responder por medo de dizer algo desconexo, mas a empolgação em sua voz e aquele olhar tão animado já era o suficiente para o alfa saber que fizera certo em lhe seguir para aquele lugar.
O mercado que escolheram ir, e que era uma das indicações do taxista mais cedo, ficava algumas quadras acima da rua onde os meninos iriam morar. Jun Myeon guardava os endereços e até mesmo apontava para o maior a rua que deveria seguir no dia seguinte, onde seria a sua universidade. Dentro do mercado, os rapazes olhavam os preços e comparavam com o que tinha, uma sorte que Jun Myeon tivera quando o seu pai lhe entregou a carteira com o dinheiro já convertido.
Pensando na comida que deveriam fazer naquela noite para o primeiro jantar, Yi Xing demonstrou uma maior destreza em averiguar os produtos. Jun Myeon olhava admirado para o alfa que lia os rótulos dos produtos e fazia comparação de preço. “Pare de ser tão perfeito Yi Xing”.
- Hm? Disse algo?
Jun Myeon corava violentamente com o olhar do alfa, balançando a cabeça suspirou aliviado em ver que o maior não teria prestado atenção em si dessa vez. Controlando de seus próprios pensamentos, o ômega passou a observar o mercado enquanto esperava pelo alfa. Yi Xing soubera escolher as frutas e verduras com as melhores aparências, deixando tudo separado no cesto em que o ômega segurava, passando em cada departamento, o alfa analisava tudo e somente quando se deu por satisfeito, foi que seguiram para o caixa.
Caminhando para o prédio novamente, Yi Xing fazia questão de segurar a maior parte das sacolas, queria deixar o menor menos cansado para que no dia seguinte pudesse ter mais energia para levantar cedo. Já pensava em como poderia contribuir para viver com o garoto, a primeira coisa que pensava era em atividades domésticas, se livrasse Jun Myeon dessas coisas ele poderia desfrutar dos estudos melhor, e o alfa se sentiria, mesmo que um pouco, melhor sobre sua presença ali.
Ao chegarem no apartamento, guardaram das compras e logo experimentavam o colchão e as cobertas, onde dormiam abraçados.
Londres, Reino Unido, 21 de julho, ás 06 h da manhã
O despertador tocava avisando Yi Xing que já deveria levantar temendo que o celular tivesse despertado Jun Myeon, o alfa o desligou rapidamente, Puxou os lençóis sobre o corpo do ômega que dormia serenamente, ficara admirado em vê-lo dormir tão rápido depois do jantar. Levantando silenciosamente, o alfa fora ao banheiro onde pode tomar um banho que o despertasse do sono. Tão breve ele se encontrava de roupão na cozinha começando a preparar o café da manhã.
Com o celular apoiado na bancada da cozinha, o alfa olhava as receitas para um café da manhã reforçado, queria dar energias ao ômega em seu primeiro dia de aula. Enquanto deixava a água esquentar na chaleira sobre o fogão, o alfa lavava algumas frutas e as descascava e cortava em pequenos pedaços deixando arranjadas sobre um prato. Logo pegava da água aquecida e coava o café em uma garrafa e o adoçava levemente, o cheiro já parecia estar em todo o apartamento.
Depois de deixar tudo sobre a mesa, Yi Xing cruzara a sala para ir ao seu quarto, na cama ainda na mesma posição encolhida, Jun Myeon dormia. Inclinando-se sobre a cama, o alfa deslizava a ponta dos dedos nas bochechas rosadas do menor e sorria largo em vê-lo esconder-se nas cobertas. O abraçando apertado, puxou das cobertas passando a selar seu pescoço.
- Acorda presidente preguiçoso.
Jun Myeon despertava sem se soltar do travesseiro, ao ver Yi Xing sorrir diante de si corou violentamente e fechou os olhos acreditando que seria um sonho. O mais alto ria com a reação do menor e puxava as cobertas mais uma vez para revelar o rosto do garoto, que o olhava surpreso. Então ele se lembrava do que teria ocorrido, e que agora iria dividir a cama com o alfa todas as noites.
- Tome um banho e se arrume, eu já fiz o seu café.
- Hum prestativo – Resmungava sonolento o ômega que se sentava na cama em meio de um bocejo – Desse jeito serve pra casar.
- Você que não quis ficar noivo, lembra?
Corando com a resposta o ômega correra para o banheiro deixando um Yi Xing risonho atrás de si. O alfa voltou para a cozinha e sentou iniciando de seu dia bebendo um gole do café que havia feito enquanto esperava pelo menor. Olhava o celular e já podia ver as mensagens de Jong Dae dizendo sobre as situações que os alunos teriam passado.
- Noite esquecida?
Rindo o alfa apenas se divertia, aliviado em poder ter o seu irmão mais velho de volta como nos velhos tempos. Porém ainda se sentia curioso para saber sobre o que se tratava a sua situação no laboratório quando foi capturado de surpresa. O assunto era sigiloso para Yi Xing, que na época era garoto ainda, e sem que perguntasse sobre isso o assunto acabou por ser deixado em silencio no fundo de um baú das memórias, Jong Dae apenas desconversava iniciando outro assunto corriqueiro. Entretanto o alfa se sentia bem com o irmão do jeito que ele estava atualmente, mesmo que não soubesse de sua real situação.
Logo um ômega adentrava na cozinha, como estavam no verão Jun Myeon usava uma camiseta branca e uma pulseira de couro marrom no seu braço esquerdo, mais uma calça jeans preta que não parecia ser desconfortável quanto imaginava ao vê-lo em sua mala . O cabelo ajeitado em um leve topete e a mochila nas costas fez o alfa assoviar para si diante de sua beleza.
- Me desculpa, acho que entrou no apartamento errado.
- Estou normal oras.
- Não, o normal é o seu uniforme da escola. Mas assim – Apontava Yi Xing com os olhos arregalados balançando a cabeça. – Ok está bonito...demais.
- Obrigado.
Jun Myeon se sentou ao lado do maior e olhava a variedade de frutas que haviam sobre a mesa. Com os olhos brilhando preferiu experimentar, primeiramente, o café. Com a xícara de porcelana serviu-se da bebida quente e bebericou um gole, estava doce do jeito que gostava, não tardou em misturar um pouco de leite e se sentir em casa. Serviu-se das frutas picadas e revisava com o maior algumas questões sobre o dia. Sinal que estava ansioso demais.
- Não sei á que horas eu volto, mandarei mensagem – Avisava enquanto o outro apenas lhe observava de braços cruzados. – Se sentir fome...bom já vi que sabe se virar.
- Não se preocupe comigo, irei me virar do jeito que posso.
Assentindo o ômega olhou no relógio e verificava que já seria sua hora de ir. Limpando os lábios em um guardanapo, se levantou indo em direção da porta sendo seguido por Yi Xing, que o segurou pela cintura e selou-lhe o pescoço, fazendo o menor se virar com o rosto corado.
- Boa aula.
O alfa se inclinara depositando um selar demorado nos lábios do menor, que correspondia vergonhosamente. Sorrindo com o selar tendo suas bochechas coradas, Jun Myeon saía do apartamento segurando o endereço da universidade da qual iria frequentar pelos próximos dias. O céus estava claro, o sol brilhava entre nuvens brancas iniciando um dia com calor mínimo, agradecendo aos céus Jun Myeon admirava o pequeno movimento dos comércios que se abriam para iniciar o dia de trabalho.
Todos os prédios eram similares, o ar de antiguidade misturado com a conservação dos patrimônios deixava Jun Myeon boquiaberto, com certeza pareciam prédios novos sendo que alguns poderiam ter algumas centenas de anos estando ali. Caminhando calmamente sem estar atrasado o ômega desfrutava do novo bairro que moraria e subia as ruas indo para o centro onde encontraria uma enorme construção alaranjada, e como era de se esperar, tijolos á vista. Parecia uma universidade americana, como via nos filmes, e isso o fazia sentir como um garoto do ensino médio.
Parando diante do portão da universidade respirou fundo antes de entrar no grandioso prédio. O seu interior era comum, porém bem limpo e iluminado, poderia ver que não tinha tantos alunos por conta do horário ainda ser cedo, sem falar que as grades dos alunos variavam com o período que passavam na faculdade. Jun Myeon fora direto para a secretária, uma porta que encontrou facilmente no primeiro bloco e de forma sinalizada. Ao bater na porta uma jovem sorriu e lhe dera a passagem, assim que o ômega apresentou-se a jovem garota sentou em sua cadeira e puxou uma pasta que continha seu nome.
- Esses são os seus horários, está descrito o nome do professor que dará a aula e a sala, assim não irá se perder – Sorrindo de forma gentil a jovem garota beta entregara alguns livros para Jun Myeon que olhava atento – Na sua ficha consta que o curso não foi escolhido, sendo assim o curso preparatório número um foi escolhido.
- Número um?
- Ah sim é para quem está indeciso quanto ao curso – Apontando para o quadro na parede, a jovem moça explicava como funcionava os cursos preparatórios. – Quem escolhe as escolas de saúde aprendem os conteúdos básicos como biologia, química, e assim vai seguindo pelos cursos que nossa universidade oferece.
- E no meu caso, que aulas eu terei?
- O mesmo conteúdo que as escolas secundaristas. É como se fosse terminar o ensino médio, mas no final terá de ter certeza do que quer fazer. – A mulher puxava a gaveta pegando um folheto branco com desenhos, mostrando ao menor – Durante algumas semanas os alunos do curso numero um são convidados especiais para visitarem alguns cursos superiores e conversar com profissionais, assim podemos ajudá-los em suas escolhas.
- Uau que demais – O ômega olhava para o folheto e sorria largo imaginando-se andando pela universidade conhecendo os cursos das quais cogitava em aprender. – Acontece com frequências esses eventos.
- Para o seu curso sim. – A moça beta estendera a mão que fora apertada pelo ômega – Seja bem vindo senhor Kim.
- Obrigado.
Ao sair da sala do secretariado Jun Myeon se surpreendeu com a grande movimentação que se iniciara nos corredores. Piscando algumas vezes segurou firme de sua mochila e a folha em suas mãos passando a seguir algumas placas para ir ao ultimo bloco da universidade. Suspirando por ser longe demais, o ômega tratou de caminhar mais rápido para evitar de chegar atrasado, ou de se perder. Em sua esquerda havia todos os blocos dos cursos, e á sua direita um belo jardim cuidado com árvores e bancos espalhados em harmonia, ás vezes encontrava algumas esculturas feitas pelos alunos de artes plásticas.
Que lindo” olhando para uma das estátuas encontrara um nome coreano, sorria com a coincidência suspirando mais aliviado, esperando que fizesse novas amizades na universidade. Lembrou-se de Baekhyun e Min Seok e ficou a se perguntar se estavam bem, até mesmo esquecera de mandar mensagem aos seus pais avisando que teria chego bem. Encontrando o prédio largo e marrom, Jun Myeon adentrara no mesmo iniciando a nova busca pela sua sala de aula.
Tendo de subir alguns lances de escadas e seguir por um corredor, logo o garoto se encontrava diante da quarta sala de aula completamente vazia. Olhando em volta vira que não havia carteiras, mas sim extensas mesas de madeiras que tomavam desde o fundo da sala até o seu meio, sendo que no meio e nas extremidades eram livres para os alunos passarem e se sentarem. Subindo as escadas pequenas e planas, Jun Myeon escolhera a mesa do meio do lado direito da sala, ficando ao meio da mesma sem que ninguém pudesse lhe atrapalhar para passar.
Deixando a bolsa sobre a mesa pegou do celular e logo digitava as mensagens para todos que pensou estarem preocupados. Aproveitou para mandar a mensagem para Yi Xing avisando que chegara bem e que já estava em sala de aula. Os alunos que ali entravam também eram novatos como Jun Myeon, e todos ficavam em seus respectivos lugares sem conversar com ninguém por conta da timidez. Se debruçando na bolsa, o ômega ficou a observar os alunos e seus silêncios, até que o professor chegasse para dar inicio á primeira aula.
Coréia do Sul, 25 de julho
A volta dos alunos formandos foi repleta de bagunça, mas para os dois ômegas foi um pesadelo. Ficarem separados nos ônibus e evitarem os olhares sobre si com certeza seria considerado a pior tarefa que já tiveram. Chanyeol em si trazia a maior parte da tensão de Baekhyun, já Min Seok era a tensão de Jong Dae. O tempo parecia demorar em se passar e terminar com aquela angustia que os garotos sentiam. Tudo por conta da noite esquecida, e sua orgia prazerosa que atormentavam de suas mentes nas puras lembranças. A noite esquecida devia a esse nome por conta da amnésia alcoólica que manteria a diversão apenas naquela noite e naquele local, porém para aqueles quatro híbridos a noite esquecida passaria a ser uma fantasia inalcançável.
Ao chegar em casa, Baekhyun suspirou ao sentir o cheiro de sua mãe impregnado por toda a casa. Conhecia aquele aroma quando ela entrava em cio, o problema era saber quem estava sanando o cio dela. Tentando se controlar para gritar pela casa e espantar o suposto alfa que estaria no quarto de sua progenitora o garoto apenas lavara de suas roupas, preparou sua comida e limpou seu quarto sozinho. Não demorou para que naquele dia, descobrisse quem seria o novo amante de sua mãe. Ao ouvir os passos na escada, olhou para cima e sentia todo seu corpo se arrepiar.
Não sabia o nome daquele hibrido, sabia que ele era um alfa e com idade suficiente para ser seu pai. O sorriso debochado do mesmo e o olhar malicioso pareciam analisar por completo o corpo de Baekhyun, deixando o menor incomodado. Já o vira em sua casa diversas vezes e não somente em época de cio, mas também dias comuns onde tudo o que o cara iria querer era sexo. Baekhyun repudiava aquilo. Não somente aquele homem aparecia em sua casa, mas tantos outros que sua mãe sempre dizia serem “diferentes”, mas o final era sempre o mesmo, a Sra. Byun trancada no quarto chorando por não conseguir um novo companheiro. Era algo desesperador e Baekhyun não sabia como lidar com aquilo, até mesmo temia ter o mesmo fim que sua progenitora.
 Sentindo de um arrepio em seu corpo, apenas o cumprimentara e seguiu para o seu quarto onde poderia se sentir seguro. Já teria visto aquele homem diversas vezes em sua casa, e Baekhyun o detestava. Não somente por usar de sua mãe como um objeto, mas também por ser bem direto com o ômega em deixá-lo claro que o garoto seria o próximo.
Por isso quando chegavam seus cios corria para os braços de Yi Xing, precisava ter alguém consigo para impedir que o tal homem fosse á sua casa depois de sentir seu cheiro. Mas agora Yi Xing estava em Londres e Baekhyun não tinha encontrado alguém que pudesse contar os seus problemas pessoais. Cogitara a ideia de ligar para Chanyeol, mas não tinha de seu numero. Recordando da forma como o alfa de cabelos platinados agia na viagem de formatura, a forma como peitara Yi Xing e demonstrava sua irritação, o ômega acreditava que seria alguém perfeito para livrá-lo daquele homem.
Pegando de seu celular, Baekhyun tocava trêmulo na tela do aparelho á procura do nome de seu amigo do grêmio, digitou de forma rápida a mensagem pedindo pelo numero de Chanyeol e tão logo ouvia o som que avisava a resposta do amigo, Min Seok passava o numero sem questionar absolutamente nada. Batidas na porta do quarto do menor soavam, e todo o rosto corado de Baekhyun passava a ficar pálido.
- Abra filhote de Byun.
Ficando imóvel, o ômega apenas voltava sua atenção para o celular, tentando discar o número de Chanyeol de forma desesperada. Porém o homem do outro lado da porta estava ficando impaciente, já conseguia sentir o cheiro do ômega e sabia que o mesmo estava com medo de si, e isso o deixava mais excitado. Desferindo um chute com força na madeira, o homem sorria ao ver a porta cair quebrada e mostrar o rosto assustado de Baekhyun.
- S-Sai do meu quarto!
- Shh, não pode falar mais nada.
Baekhyun iria gritar se não fosse uma grandiosa mão tampar de seus lábios, enquanto um braço forte envolvia seu corpo e o jogava na cama, deixando um celular cair debaixo do colchão.
Sem forças o suficiente para se livrar do homem, Baekhyun apenas chorava e gritava ao ter seu corpo violentado.
Coréia do Sul, 013 de agosto
Chanyeol olhava em todos os cantos da escola se sentindo irritado. Ordenou aos Zagan que procurassem pelo tesoureiro, uma ordem que fora acatada de imediato ao verem os olhos de Chanyeol ficarem vermelhos e suas veias sobressaltarem em seus braços, estava ficando nervoso. Min Seok teria comentado sobre o menor não ter vindo á escola nos dois primeiros dias de aula, além de que não atendia o celular e não respondia mensagens. Mostrou aos dois alfas, já que Jong Dae estava na mesa ao acaso por conta das demais mesas do refeitório estarem cheias, a ultima mensagem que o ômega teria enviado era pedindo o telefone de Chanyeol. O alfa de cabelos platinados ficava a olhar seu celular procurando por alguma ligação perdida, alguma mensagem ignorada, porém não havia absolutamente nada.
A cada Zagan que se aproximava do maior para dizer que o garoto não estava na escola, mais convicto Chanyeol ficava de que o garoto estava com problemas em casa. Pegando de sua mochila antes que o sinal para o fim do almoço soasse, o alfa fora em direção ao estacionamento dos professores que ficavam ao fundo do terreno estudantil, passando em frente ao muro onde era o jardim que Jun Myeon uma vez cuidara. Aproximando-se da grade do portão, jogou sua mochila sobre o ombro e pulou para fora da escola. Uma fuga rápida e fácil e totalmente capturada pelas câmeras de vigilância, mas não iria se importar com aquilo naquele momento.
Olhando em volta para se situar, passou a correr pelas ruas que já conhecia na palma da mão tamanha eram as vezes que arranjara brigas naquela região subia a avenida onde teria pequenos comércios e que estavam abertos com pouco movimento, cruzava o sinaleiro e então chegava ao bairro onde Baekhyun morava.  Corria o mais rápido que poderia até chegar na casa do ômega, tentou farejar o ar, mas tudo o que sentiu foi cheiro de alfa. Cerrando o cenho, pulou na árvore na qual era acostumado e que dava vista ao quarto de Baekhyun, se ajeitando no tronco vira o corpo nu do ômega.
Da ultima vez que estivera naquela arvore e vira o corpo de Baekhyun o alfa se conteve “mas não dessa vez”. Abrindo a janela silenciosamente, o alfa se pôs de pé no assoalho de madeira e fitou o quarto em sua bagunça, o espelho estava quebrado, folhas que continham as matérias escolares espalhados no chão, travesseiros rasgados no assoalho e lençóis amassados com manchas de sangue. Observou o corpo do garoto e arregalou os olhos ao ver as marcas arroxeadas e o sangue seco entre suas pernas, aproximou-se tocando em seu ombro tendo um Baekhyun desperto de imediato, virou-se depressa e se recolheu contra a parede, encolhendo todo o corpo. Sua respiração estava acelerada e seus olhos arregalados com grandes olheiras. Ao olhar quem se tratava, o corpo do ômega começava a tremer e os olhos a derrubar as lágrimas.
- C-Chanyeol?
- O que raios aconteceu aqui Baekhyun? – A voz de Chanyeol era baixa e rouca, fazendo o menor olhar em volta e se lembrar do que teria ocorrido consigo nos últimos dias.
Baixando o olhar o garoto passou a observar de seu corpo reparando no quão machucado estava. Começou a soluçar alto tocando nos hematomas e sentindo as mesmas doerem, em sua mente repassava os momentos angustiantes que tivera com o homem alfa, e das vezes que pedia que parasse. O mesmo se divertia em ver Baekhyun daquela maneira, o deixava em posições extremamente vergonhosas além de prender seus pulsos na cabeceira da cama para que parasse de se debater. Além das variadas vezes que tivera seu rosto estapeado como uma ordem que parasse de chorar e quantas vezes o garoto perdera a consciência durante o ato. Acariciando de seus cabelos ainda chorando alto, Baekhyun se sentia completamente envergonhado por estar daquele jeito em frente á Chanyeol.
O alfa apenas observava tudo surpreso, jamais teria visto aquilo antes e ficou a imaginar quantas vezes Baekhyun teria passado por aquilo. Mesmo se tivesse com Yi Xing, talvez o ômega não estivesse á salvo por completo. E agora onde estava seu sorriso? Olhos brilhantes e a voz doce? Tudo o que via era um garoto machucado e com olhos inchados de tanto chorar, os punhos cerrados e a mandíbula tensionada já demonstrava sua raiva em ver o garoto ômega daquela maneira. Olhando para a janela, o alfa apenas aspirava o ar para então voltar a olhar para Baekhyun.
- Ele voltou.
Baekhyun de imediato parou para olhar Chanyeol, engatinhando até o maior, segurou de seus braços fortemente e o olhava piedosamente.
- M-Me tire daqui, por favor.
O cheiro ficara mais forte, Chanyeol não precisou desviar o olhar para ver que era aquele homem que teria feito aquilo com Baekhyun. Tendo os olhos do garoto sobre si, suas mãos tremulas lhe tocando, o alfa apenas entrelaçou os dedos aos seus fios.
- Quem é você?
A voz do homem era alta e rouca, mostrava que queria ter o poder sobre a casa. Chanyeol o olhou de cima á baixo e sorria ironicamente.
- Uau os alfas de antigamente eram decadentes.
- O que?
Chanyeol soltara as mãos de Baekhyun de si, e fora em direção ao homem que lhe olhava desafiadoramente. Lembrava-se da época em que ainda morava com seus pais, detestava quando eles lhe pediam para fazer algo que era contra sua vontade, como acompanhar em um jantar de negócios ou conhecer alguma ômega rica, quando menos esperava estava na rua arranjando brigas para descarregar sua fúria, tendo que Yi Xing correr atrás de si para apartá-las, ou brigar junto. Não segurando mais de raiva, o alfa apenas segurou o pescoço do homem e o olhava friamente, apertando os dedos abaixo de sua mandíbula, ouvia o homem soltar gemidos doloridos.
- Ah isso machuca você? Pensei que gostasse da dor.
Com a mão livre, garras cresciam e o sorriso malicioso do alfa de cabelos platinados apenas aumentava. As pupilas se dilatavam e logo sua mão atravessava o peito do homem. Baekhyun assistia tudo com os olhos inchados e surpresos sem acreditar naquilo que via. O alfa segurava o coração do homem, que já estava falecido. Soltando de seu corpo o alfa se virou para olhar Baekhyun e se aproximou dele.
- Problema resolvido.
-V-Você matou um homem.
- O que acontece se ficar nessa casa?
Baekhyun se manteve em silencio ainda surpreso com o que teria acabado de ver.
Chanyeol tirou sua camiseta e a colocou no ômega que gemia baixo por conta dos hematomas, olhando em volta aproximou do armário do garoto e pegou uma mala a enchendo de roupas. Baekhyun apenas se concentrava em tentar levantar da cama sem sentir dores na cintura, porém era difícil já que a região foi a que mais sofreu dano. Mas não demorou para que Chanyeol voltasse e o pegasse em seus braços com facilidade.
- O que se passa?
A voz baixa e feminina soara no quarto, Baekhyun não olhava para a mulher que seria sua mãe, os cabelos negros pintados e os olhos baixos que demonstrava um extenso cansaço observava aquele alto alfa segurar de seu filho, desviando o olhar para o chão encontrou o corpo desfalecido e um coração arrancado, arregalou os olhos e logo desviou o olhar para o alfa á sua frente. Chanyeol a analisava e se aproximou dela suspirando baixo e mantendo a fisionomia calma.
- Estou levando o seu filho para morar comigo. – O alfa segurou o ômega com um braço, e com o outro erguia a camisa que o menor vestia mostrando os hematomas em sua pele.
- Me perdoe Baekkie – Pedia a mulher com o rosto corado e os olhos marejados – T-Talvez seja melhor você ir...
- Visite-o quando quiser, mas não aceitarei nenhum outro homem em minha casa.
Chanyeol jogou a bolsa do menor em seus ombros e logo saía da casa do ômega, carregando-o em seus braços. Baekhyun encostou a cabeça em seu ombro e fechava os olhos, se sentindo confortável e protegido. Não demorando para que o sono batesse, e adormecesse nos braços do alfa platinado.

❖❖

------------------x--------------------------x--------------------------x------------------------------x
² Sala para visitas (sala de estar) - http://data.whicdn.com/images/272054144/large.jpg
⁵ Banheiro do quarto de hóspedes - http://data.whicdn.com/images/273736818/large.jpg
⁶ Suíte onde Jun Myeon e Yi Xing vão dormir - http://data.whicdn.com/images/261407500/large.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário