{Seulement Vous} Capitulo 11

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 11 - Capitulo 11

20 de julho
O alfa já havia desperto e ficava a observar aquele ômega dormir serenamente na sua cama. Estava se sentindo confuso pelo fato de ter ficado tão enciumado com ele, na verdade pensou que tinha sentimentos por Jun Myeon, mas parecia que ter alguém o olhando de longe fez com que o mundo abrisse novas portas para si. Também ficou surpreso com o corpo que Min Seok tinha, e até mesmo se sentiu extremamente excitado com o movimento de sua bunda rebolando contra seu membro no dia anterior. Ficou surpreso com as imagens que imaginava em sua mente, já conseguia ver com nitidez a forma como seria ter aquele corpo quicando sobre o seu. E isso jamais tinha acontecido.

Jong Dae não era uma pessoa que se embebedava com facilidade, seria necessário várias bebidas diferentes para que o derrubassem. Sendo assim tinha total consciência de suas vontades quanto á noite anterior. Min Seok teria demonstrado seus sentimentos antes, de forma inaudível e quase imperceptível, mas anteriormente, talvez por conta da bebida, ele dizia com todas as palavras o que achava de Jong Dae.
Apesar do alfa ter sido completamente diferente nesse quesito, o desafio que proporcionou á Min Seok dentro do seu quarto seria de que o menor lhe desse prazer do jeito que sabia. Jong Dae ficara apenas de boxer sobre sua cama e encontrava um ômega corado e um bico nos lábios manhoso dizendo que não sabia o que fazer, já que nunca dera atenção ao sexo.Quase surpreso por ouvir aquilo o alfa sentiu algo novo surgir enquanto guiava o garoto. Uma forma nova de sentir prazer e que para si foi satisfatório, era como se houvesse uma relação entre mestre e subordinado.
Min Seok lhe obedecia e de forma prazerosa, gemia do jeito que o maior queria e se movia da mesma forma. Jong Dae nunca teria se deleitado de tal forma antes, no final das contas deixou de lado sua pose de homem poderoso e passou a ser mais carinhoso com o garoto, que logo ganhou confiança para se soltar. As mãos do ômega acariciavam os cabelos do alfa, seus lábios levemente carnudos beijavam-lhe a pele e arranhavam suas costas com suas curtas unhas. O sussurro de uma voz baixinha e tímida ressonavam sentimentos,
- Eu te amo tanto Jong Dae-ah.
Agora que se recordava, poderia dizer que além de prazer o que sentiu foi também amor. Sentia-se amado, como nunca se sentiu nos últimos anos. Sentando-se na beirada da cama, o alfa acariciou as costas nuas do ômega, que estremecia e afundava o rosto no travesseiro. O garoto despertava aos poucos e se sentava na cama coçando os olhos. Olhou em volta e fazia careta ao sentir dores de cabeça, Min Seok logo olhou para o alfa diante de si e corou violentamente, puxando do lençol sobre seu corpo nu.
- O-O que faz aqui?
- O que eu faço aqui? Esse é o meu quarto.
Min Seok olhava em volta e corava ainda mais, se é que isso seria possível, cobrindo o rosto com as mãos. A cabeça latejava, porém conseguia se lembrar de algumas coisas sobre a noite anterior, a festa que os alunos fizeram e até sobre o jogo. Lembra-se da forma como Jong Dae sorria em cumplicidade para Chanyeol depois que Baekhyun saiu da roda de amigos, e até mesmo sobre sua dança nada tímida na roda de alfas e ômegas. E também a primeira noite de sexo que tivera, e de suas declarações manhosas para o alfa.
- T-Tenho que ir.
- Á vontade.
O ômega suspirava e se moveu lentamente ao sentir seu corpo doer, mordendo o lábio inferior olhou de relance para o alfa que apenas se mantinha sentado na cama o olhando, apenas esperando que ele dissesse algo, porem... “Ele não falar nada”. Fingindo não sentir dores, o ômega juntou de suas roupas as vestindo em um canto, e logo saiu do quarto. Suas bochechas ardiam, assim como seus olhos, e então as lágrimas escorriam demonstrando a sua decepção.
- Como se ele fosse olhar pra você Min Seok.
Limpando do rosto, o ômega se direcionou para seu próprio quarto onde pretendia ficar o resto do dia sem sair. Ao passar no corredor vira Chanyeol sair vestindo de sua blusa e sorriu levemente para o mesmo, disfarçando sua tristeza.
- Ahn...
- Ele está acordado – Dizia o maior que logo percebia as lagrimas do ômega – Já vi que pra tu foi diferente.
- A-Ah não foi nada.
- Bom, fique bem de qualquer forma, e se tiver noticias do baixinho me avise.
Chanyeol acenava sobre a cabeça e seguia pelo corredor. Min Seok arqueou a sobrancelha sem entender direito e logo adentrou no quarto encontrando um Baekhyun que se trocava lentamente perdido em pensamentos. Pigarreando os dois ômegas se olharam e logo percebiam que o vice-presidente precisava de um abraço. Baekhyun fora de encontro ao menor e o  envolvera em seus braços.
- O que houve Minnie-ah?
- E-Eu não sei direito – Sussurrava o menor abraçando forte o mais alto – E-Eu acho que apenas foi sexo sabe.
- Jong Dae? Sério? Mas o jeito dele ontem á noite foi tão...
- Era só pra manter a pose de líder mesmo.
- Vamos fazer assim tome um banho enquanto eu vou no refeitório pegar algo pra comermos aqui, temos muita coisa pra conversar.
Assentindo o ômega mais baixo apenas seguiu para o banheiro, enquanto o outro se retirava do quarto indo correndo para o refeitório. Se não lhe bastasse sua própria cabeça, teria de lidar com o sofrimento do outro ômega. Mesmo que ele e Chanyeol não tivessem trocado muitas palavras, apenas ficaram abraçados até o nó se desfazer para que se separassem, Baekhyun aproveitou daquele corpo rijo e quente, e tentava prestar atenção na forma como seu próprio corpo reagia diante daquele rapaz.
Balançando a cabeça, o ômega pedira por um lanche leve e sucos, esperou por alguns instantes e em breve corria pelos corredores retornando para o seu quarto. Assim que adentrou entregou os lanches ao ômega que já tinha tomado seu banho e já tinha trocado de roupa para algo mais fresco. Baekhyun olhou a janela encontrando um céu nublado e bem carregado, suspirou fechando o vidro e se sentou ao lado do menor e acariciou-lhe os cabelos.
- Ele te disse algo?
- Não Baek, foi o oposto – Min Seok bebeu um grande gole do suco e então olhava para o mais alto – Ele disse absolutamente nada sobre o assunto, apenas disse que eu tava em seu quarto e quando eu falei que iria embora ele simplesmente disse pra ficar á vontade.
- Bom mas não pode dizer nada com isso, leve em consideração a forma como ele agiu ontem!
Baekhyun desembrulhava o sanduiche natural e o abocanhava com fome. O outro ômega fazia o mesmo enquanto se relembrava da noite anterior, porém não era todo o evento que se recordava.
- Não sei, me sinto mal do mesmo jeito. Eu praticamente pulei em seu colo e me declarei. – Balançando a cabeça o outro ômega se virou para o Baekhyun sorria levemente – Mas e você e o Chanyeol?
- Hm? – O outro corava levemente e coçou a nuca enquanto bebia o suco – Não sei, é estranho.
- Mas sabe dos sentimentos dele? – Baekhyun negava com a cabeça – Parece que o Chanyeol gosta de você há tempos, e contava para o Yi Xing sobre isso, tipo...
- Eu e o Myeonnie?
- Sim sim.
- Ai céus, então não me é estranho que ele tenha ido aquela noite e brigado com o Yi Xing – Suspirava o menor terminando de comer o seu sanduiche, limpando as mãos no ar o ômega puxou de suas pernas e olhou para o amigo – Não nego sinceramente, nunca senti tanto prazer como senti ontem.
- Sério? Como que ele foi?
- Eu não sei dizer, ao mesmo tempo que ousado ele foi carinhoso e senti uma possessividade nele. Tem noção de que hoje acordei com ele atado em mim?
- Sério? – Min Seok arregalava os olhos de surpresa. – E ai?
- Bom eu fingi que tava dormindo e escutei ele dizer que esperava que eu aceitasse os sentimentos dele. – O ômega passava a ponta do indicador sobre o colchão – Eu comecei a conversar com ele recentemente, e ontem foi tudo uma loucura.
- Mas se sentiu tão bem ontem á noite, e o nó foi feito, não é algo a se considerar?
- Talvez seja, mesmo assim eu preciso de um pouco mais de tempo. Pra ter certeza sabe... eu quero algo mágico e romântico...
- Sinceramente acho que seria legal vocês dois começarem a ficar. – Comentava Min Seok terminando o sanduiche passando a beber do suco em um gole só. Limpando a boca com o dorso da mão o ômega sorria levemente – E se não tiver firme com isso então se afastem, mas em consenso.
- É...heim recebeu alguma ligação do Myeonnie?
- Não, ele deve estar no avião ainda.
- E do Yi Xing?
- Não sabe? Yi Xing foi com ele – Baekhyun ria baixo batendo palmas animado e logo olhou para Min Seok esperando por mais. – Jong Dae deu passagem para ele e ainda disse que não irá mais gostar de Jun Myeon.
- Isso significa que há chance de existir um Minnie no coração do Jong Dae.
- Humpf duvido.
Baekhyun tinha do seu celular vibrando olhou a mensagem da diretora pedindo pela presença dos dois representantes do grêmio.
- A diretora nos chama...
- Diga que estou indisposto. Eu...quero ficar aqui hoje.
- Tudo bem.
O ômega mais alto assentira e saiu do quarto indo em direção á frente da hospedaria onde a diretoria o esperava. Min Seok ficou a observar a porta fechada e se levantou indo até a sacada, vendo a chuva começar a cair do céu. Esticando a mão sentia os pingos grossos ficarem em seu corpo, o ômega suspirava sem sentir vontade de se recolher no quarto onde manteria seco, apenas baixou a cabeça ficando apoiado na sacada sem saber o que deveria fazer.
Yi Xing aproveitava o sono do menor para poder usar o banheiro e ajeitar seus cabelos e até mesmo escovar os dentes. Olhava para o relógio e averiguava as poucas horas que faltavam para pousarem. Voltando ao seu assento, ria da forma cansada que o ômega dormia, voltou a ajeitá-lo em seus braços, e selava-lhe a testa demoradamente.
- Viu só, vamos ser só eu e você.
Sorrindo de forma boba, passava a ponta do indicador por sua linha facial, a ponta do nariz, a testa, o queixo, mandíbula e por fim acariciou-lhe a bochecha depositando selares na região. Nunca foi alguém que desse tanto carinho, por mais que tivesse passando cios com outras pessoas, e até mesmo outros relacionamentos em que entrara no primeiro ano da escola. Porém Jun Myeon era diferente, parecia ser uma pessoa determinada, e até mesmo desafiadora, mesmo assim sentia que precisava ser cuidado e amado.
Seria loucura o que estava fazendo, se quer avisou de seus pais sobre sua saída e apenas estava sendo acobertado por seu irmão. Provavelmente enfrentaria o mundo contra os dois, sabia que os pais do garoto não iriam gostar de si, percebera isso no dia em que o resgatou da piscina. Na verdade isso não lhe importava, mas gostaria de proteger Jun Myeon já que isso o afetaria e muito. Mas sabia que se fizesse direito, segundo seus planos traçados, a vida seguiria em ritmo calmo e sadio.
Tudo o que precisava fazer era procurar por um emprego e viver com Jun Myeon, cuidar do garoto. Aprenderia cozinhar e até se fosse necessário, lavaria roupas apenas para não sobrecarregar o ômega. Pensava em uma verdadeira vida de casados.
- Hm Xing-ah – Sussurrava o menor despertando outro de seus pensamentos, o ômega despertava já sofrendo com a diferença do fuso horário – Pede água pra mim, por favor.
- Claro claro.
Jong Dae olhava em volta sem saber onde mais ir e o que fazer, bagunçava de seus cabelos e seus olhos insistiam em procurar pelo ômega que não estava em lugar algum. Evitava de sair procurando e pedindo para os outros, pois não queria deixar exposto a sua aflição. Na verdade não sabia o motivo de querer ir atrás de Min Seok, apenas queria aquela sensação novamente, aquele nervosismo na barriga por se sentir amado.
A chuva caía impetuosamente fazendo grande barulho ao bater contra as calhas. Resolvendo tomar um banho de chuva, o alfa caminhava lentamente olhando em volta vendo as folhas cobrirem totalmente sua visão das trilhas. Parou ao ver Min Seok caminhando por uma das trilhas, o alfa arqueou a sobrancelha e passou a segui-lo silenciosamente depois de averiguar que ninguém mais estava por perto.
Pigarreando baixo o seguiu lentamente, os passos arrastados do menor parecia que nem saber onde ele queria ir. Ouvia o som de sua voz abafada, mas não saberia dizer o que exatamente ele fazia, se estava falando consigo mesmo ou se estaria chorando. Apenas o seguia pela trilha, o garoto mais baixo tropeçava em alguns galhos caídos, seus pés estavam lameados e suas mãos levemente arranhadas por conta de farpas encontradas na madeira em que se apoiava vez ou outra.
A caminhada perdurou por alguns minutos até que se tenha chegado ao nada apenas, a trilha era falsa e provavelmente feita para escape de algum outro hospede para fazer algo escondido. O ômega sentou-se em uma pedra e passou as mãos nos cabelos molhados pela chuva, não teria notado ainda a presença do alfa. O mesmo estava atrás de algumas árvores, observando de braços cruzados esperando que algo ocorresse. Porém tudo o que Min Seok fez foi chorar alto e bater o pé, infantilmente, no chão espalhando lama por sua roupa.
Não demorou para que começasse a espirrar e sentir-se com frio, o ômega passou a resmungar baixo enquanto fechava os olhos.
- Você é um imbecil por acreditar nisso Min Seok- Dizia o menor para si mesmo – Na próxima fique de boca fechada.
Jong Dae arqueava a sobrancelha curioso em saber sobre o que o garoto falava. Vendo que os espirros aumentavam, o alfa saiu de seu esconderijo e ficou nas costas do garoto pousando a mão em sua testa. Min Seok sobressaltou-se surpreso, porém o outro não deixou que ele o visse.
- Q-Quem está ai?
- Não se preocupe, você está delirando.
- Eu não tenho dinheiro senhor, me desculpe.
- Não quero o seu dinheiro – Ria Jong Dae averiguando que o menor estava ficando quente. – Aliás, você está bem?
- E-Estou, com licença.
Min Seok tentara se levantar, porém Jong Dae segurou seus ombros o mantendo sentado. Mordendo o lábio inferior o alfa ficou a pensar no que deveria fazer. Via que o garoto estava chateado com algo e isso não seria um bom sinal, na verdade duvida que ele se cuidaria. Por Min Seok sentir-se atraído por Jong Dae, o alfa sentia a necessidade de cuidar desses sentimentos, para que não fugissem de si.
- Vou te levar pra hospedaria, tudo bem?
- Bom se pretende me estuprar aqui seria ideal.
- Mas fala cada besteira.
O alfa conseguira pegar o menor no colo e deixá-lo em seu ombro, fazendo com que o rosto de Min Seok visse apenas suas costas. O segurando firme, voltou pela trilha enquanto sentia o menor tremer em seus braços, o mesmo se mantinha calado e mal se mexia, Jong Dae acreditava que teria dormido por conta do resfriado, porém os espirros eram sinais de uma pequena consciência.
O caminho todo fora silencioso, Jong Dae seguiu até o quarto do ômega onde ao passar pela porta a trancou. Olhou as camas e tentou adivinhar qual seria a do garoto, porém ao olhar os pés do mesmo soltou de um suspiro longo “ele precisa de um banho”.  Virou-se para entrar no banheiro e sentou o menor no chão do box, tirou de suas roupas vendo que o mesmo já não estava mais acordado. Tocando em sua testa averiguou a febre aumentar, e isso deixava o alfa mais desgostoso com a situação.
Com um Min Seok despido, ligou o chuveiro em temperatura morna e lhe dera banho, evitava de maliciar aquele corpo, que mesmo sujo de lama parecia sensual. O ômega desacordado tivera de seu corpo limpo pelo alfa, o mesmo conseguiu envolvê-lo em uma toalha e pegar de seu corpo para levá-lo até a cama. Não saberia qual mala pertence ao menor, sendo assim Jong Dae retirou sua própria camiseta e vestiu no garoto.
- E agora o que faço contigo heim?
Ajeitou o ômega na cama e lhe cobriu, foi até a o banheiro onde molhou uma toalha e voltou ajeitando-a na testa de Min Seok. Ficou em pé de braços cruzando o observando dormir febril, não entendia o motivo de o garoto ter saído do quarto daquela maneira e andar, de forma asneira, pela mata fechada apenas para choramingar. Seu celular vibrava no bolso da calça, o pegando limpou a tela com a ponta da coberta que cobria Min Seok, deslizou o dedo pela tela touch screen e vira a mensagem de Yi Xing.
Acabamos de chegar”.
Sorrindo largo o alfa suspirou olhando para o lado de fora e sentia o coração se apertar uma vez mais. “O que raios está acontecendo comigo?”. A porta do quarto fora aberta mostrando um Baekhyun surpreso com sua presença ali, o ômega observou seu colega dormindo com o pano sobre a cabeça e logo se preparava para perguntar algo.
- Eu vi ele andando na mata sozinho. – Jong Dae respondera desviando o olhar calmo para Baekhyun – Eu o trouxe, dei banho e agora ele está com febre.
- A-Ah claro...acho que ele vai ficar contente em saber o que fez.
- Não conte que fui eu – Pedia Jong Dae se virando para sair – E diga que Chanyeol praticamente arrancou minha camisa de mim para poder esquentá-lo.
- Mas o que...
- Ah – Jong Dae sorria levemente – Jun Myeon e Yi Xing acabaram de chegar em Londres.
O alfa apenas sorria e desviava o olhar se retirando do quarto, deixando um Baekhyun surpreso e perdido com a situação. Porém se o próprio alfa teria pedido para não revelasse o ocorrido, então nenhuma palavra deveria ser dita.
Londres, Reino Unido, 20 de Julho ás 7:30 da manhã
Os dois rapazes saíram do avião e seguiram diretamente para uma esteira onde pegaria suas bagagens, somente então caminharam pelo grandioso aeroporto de Heathrow. Yi Xing segurava a mão do ômega e mantinham os dedos entrelaçados, ele olhava em volta á procura de algum restaurante onde poderiam tomar o café da manhã e se acostumar com a diferença de, mais ou menos, 9 horas da Coréia do Sul.
Jun Myeon puxava de suas bagagens e apreciava a vista do aeroporto, era um espaço amplo e com grande movimento de pessoas. Cada perímetro era ocupado por bancos ou então por algum balcão de informação. Nas extremidades ficavam as lojas, onde os olhos do alfa percorriam em sua procura. Não iria arriscar ir para o segundo andar, tanto que Yi Xing já teria encontrado um lugar e logo guiava o menor á sua frente.
- Já pensou nisso? – Ria o alfa.
- O que?
- Nossa primeira refeição juntos em um país estrangeiro.
Jun Myeon corava e assentia, seu coração batia acelerado com aquela hipótese, e se perguntava internamente como teria aguentado ficar no avião tanto tempo com aquele rapaz tão belo ao seu lado lhe dando carinho. As coisas pareciam irreais para o ômega, como se fossem um sonho enquanto ele ainda se afoga em seu travesseiro. Porém a realidade lhe batia na porta toda vez que sentia aqueles lábios sobre sua pele.
O restaurante onde iriam tomar o café da manhã era simples e não se encontrava tão cheio quanto esperavam. Escolheram uma mesa e deixaram suas bagagens ao lado das cadeiras. Jun Myeon se prontificara em ir pedir por algo, de preferência leve para comerem. Passar onze horas em um avião comendo apenas comidas leves mantinha os dois rapazes famintos. Enquanto o ômega fazia os pedidos, Yi Xing mexia em seu celular encontrando as mensagens de sua mãe perguntando como estava a viagem, sorria divertido ao imaginar o que aconteceriam quando apenas Jong Dae chegasse em casa.
O ômega retornava á mesa com uma bandeja contendo sucos naturais e lanches assados, sentando-se á frente do alfa, os dois rapazes começaram a comer enquanto apreciavam a movimentação do aeroporto.
- Como iremos para o apartamento?
- Vamos pedir taxi. – Dizia o menor cobrindo a boca, logo olhando para as porta do aeroporto procurando por um ponto de taxi – Estou com o endereço da imobiliária onde temos que pegar as chaves.
- Ah, será que lá tem comida? – O alfa inclinava a cabeça – Ainda são oito da manhã, dá tempo de fazermos compras antes de dormimos.
- Acho que dá, vou pedir indicação da imobiliária mesmo – O ômega bebia um gole do suco e pousava o copo sobre a mesa, abrindo um largo sorriso para o alfa – Ainda não acredito que estamos aqui.
O alfa sorrira para o ômega que corou de imediato, “um belo sorriso de uma bela pessoa”. Yi Xing ficara a olhar o ômega e soltara uma risada baixa.
-Obrigado.
O ômega piscou algumas vezes inclinando a cabeça, sem entender do que se tratava.
- Pelo o que?
- Por achar o meu sorriso bonito.
- C-Como...sabe?
Yi Xing apenas apontara para o pulso do menor onde tinha a mordida. Logo Jun Myeon se recordara que a mordida permitia uma facilidade em um parceiro saber o que o outro pensa. Tendo suas bochechas ruborizadas, o ômega desviou o olhar deixando suas mãos sobre a mesa, tentativa essa de fingir que não teria pensado sobre o maior.
Mas para o alfa aquilo o deixava ainda mais belo. Segurando ambas as mãos do ômega, Yi Xing acariciava-lhe os dedos sem tirar os olhos daquele ser diante si. O amava tanto que não conseguia esconder os sentimentos, e sabia que o menor conseguia perceber aquilo.
Alguns minutos seguintes os dois rapazes seguiam pelo aeroporto rumo á um ponto de taxi, onde com uma facilidade em língua inglesa, Jun Myeon especificara o local onde precisavam ir. O taxista fora gentil em dizer sobre o bairro onde os meninos iriam ficar, apontara para eles o mercado mais próximo e barato, e até indicara restaurantes mais baratos para que os garotos não gastassem tanto até se estabelecerem financeiramente. Dicas essas bem aproveitadas pelos dois.
A imobiliária era um prédio rústico que ficava em um centro agitado de Londres, a recepcionista não demorou em guiar Jun Myeon para a sala onde seria atendido. O senhor Kim teria ido pessoalmente para Londres para ver um apartamento para o filho, deixara instruções para quem ficasse responsável em entregar a chave, de acompanhar o garoto até o apartamento e lhe ressaltar todas as informações necessárias, até a senha do prédio. O ômega analisava os documentos que o pai teria assinado, confirmando as clausulas que o garoto precisava saber.
Yi Xing esperava no táxi a volta do menor, que não demorou em fazê-lo. Á frente do taxi á responsável pelas chaves ia com seu próprio carro guiá-los por Londres onde ficaria o apartamento. O bairro onde ficariam seria o sonho de consumo de Jun Myeon. Sua paixão por livros vitorianos resultaram uma forte influência em seu pai na hora de escolher um bairro para o seu filho ficar. Mayfair é um nome comum para o ômega, já vira em seus livros prediletos, e atualmente seria um bairro nobre de Londres onde se encontra comércio de luxo, hotéis, restaurantes, imobiliárias, teatros e demais funções eram os pontos turísticos do local. As residências que ali tinham, com certeza não eram baratas. Mas para a família Kim, tudo era possível.
Jun Myeon não gostava quando seus pais gastassem o dinheiro com algo exagerado e muito caro, e sabia que Mayfair entrava nessa categoria no primeiro posto, porém não conseguia esconder sua alegria em estar pisando em uma lugar tão fantasioso. Tirava fotos de tudo em sua volta, e já fazia um mapa mental sobre os locais, onde o motorista de taxi lhe apontava. Fazia algumas horas que se encontrava em Londres, e já sentia que não queria sair dali jamais.
O prédio onde iriam ficar por aquele semestre tinha uma fachada antiga, porém muito bem cuidada. Tinha uma cor clara e detalhes em preto, sendo que uma coluna do prédio era marrom com tijolos á vista, nada que estragasse a real autenticidade daquele bairro. Descendo do taxi após pagar a corrida e seguindo a atendente da imobiliária, os rapazes adentraram no prédio passando pelo lobby, era pequeno, porém com seu espaço bem aproveitado claro e com poucos móveis. O porteiro que esperava atrás do pequeno balcão fez um breve cumprimento com a cabeça e sorria gentilmente para os garotos que retribuíam animados.
Haviam dois elevadores em cada extremidade do prédio, pelo o que atendente dizia para Jun Myeon e Yi Xing, apesar da fachada, o espaço do prédio era largo em questão de comprimento, tendo em vista que na outra rua haveria uma porta para os moradores poderem ter acesso. Assim que o elevador parou no primeiro andar, a atendente entregou a senha da porta do prédio mais as chaves do apartamento para os dois rapazes, logo se despedindo. Entreolhando-se os dois garotos sorriram e colocavam a chave na porta a girando lentamente.
- Um. – Sorria Jun Myeon ao dar a primeira volta na chave.
- Dois – Completava Yi Xing ao ter a segunda volta feita.
- Três!
Coréia do Sul
A noite já se instalava na hospedaria, a ultima noite em que todos os alunos ficariam por lá. Devido aos problemas na escola as turmas teriam de retornar dois dias antes do previsto. Para Baekhyun era um alivio, pois sentiria-se menos pressionado com o olhar intenso de Chanyeol. Passar o dia todo avisando os alunos sobre a volta repentina, ouvir os resmungos de alguns ômegas, resolver assuntos com a hospedaria e ainda mais, cuidar de Min Seok, foram as melhores desculpas que pudera encontrar para evitar o mais alto.
Chanyeol evitou de seguir o garoto, por saber que em sua mente poderia estar uma bagunça de sentimentos e emoções. Uma coisa era certa, sabia que o ômega teria gostado da noite que tiveram, e o momento daquela manhã onde apenas ficaram abraçados pareceu surtir efeito no mais baixo. Sendo assim, o mais alto apenas iria esperar que Baekhyun viesse até si. Porém não o ver dia todo deixava o alfa angustiado, e com uma ponta de duvida sobre os seus pensamentos sobre mais cedo. “Talvez esteja fugindo de mim”.
E o pensamento era certo, Baekhyun queria evitar de se sentir ansioso e de relembrar a noite que tivera. Por mais prazerosa fosse, por mais que se sentisse bem enquanto dormia, por mais se sentisse seguro nos braços de Chanyeol, Baekhyun ainda se sentia inseguro com tantas coisas que passava por si. Mordia constantemente de seu lábio inferior, apertava suas pernas enquanto pensava na forma como havia gemido ao pedido do alfa, mesmo cuidando de Min Seok, que ainda dormia por conta dos remédios, o ômega não conseguia afastar tais lembranças.
Levantando-se da cama o ômega tratou de arrumar sua bagagem e a de Min Seok ainda adormecido. Retirou todas as peças e as dobrava novamente ajeitando dentro da mala, separou sua roupa para usar no dia seguinte quando iriam embora cedo. Suspirando baixo sentiu o corpo arrepiar, esticou-se para alcançar o controle do ar condicionado o desligando por um momento.
- Vai ficar tudo bem Baekhyun, tudo voltará ao normal.
Voltou a se sentar perto de Min Seok e observou o garoto despertar desnorteado, sorrindo aliviado o ômega mais alto ajeitou os travesseiros nas costas do menor e lhe contava o que teria acontecido consigo.
- Então você e o Chanyeol me encontraram?
- Ahn sim – Baekhyun olhava em volta e logo olhou a camiseta que o garoto vestia – E-E o Chanyeol praticamente arrancou a camisa do Jong Dae.
- Por que? – Min Seok olhava a camiseta que vestia e sentia o cheiro do alfa hibrido impregnado no tecido. Puxando-o com cuidado cobriu parte de seu rosto podendo sentir mais daquele doce aroma. – Ele poderia ter pego na minha mala.
- A-Ahn....foi o fogo do momento sabe, apenas pedimos ao Jong Dae e ele entregou.
- Hum...
Min Seok continuava a sentir do aroma de Jong Dae na camisa, e corava suavemente em imaginar o que teria ocorrido. Repreendia-se por deixar sua tristeza causar tanto trabalho aos seus amigos, principalmente quando Chanyeol e Baekhyun deveriam estar se conhecendo melhor. Mesmo assim não deixou de se sentir agradecido, e até mesmo amado.
Os dois ômegas logo deram um jeito de comer alguma coisa que Baekhyun teria surrupiado do refeitório mais cedo, antes de se trancafiar no quarto. Os garotos conversavam corriqueiramente, até se lembrarem de algo.
- Ah Jong Dae disse que o Myeonnie e  Yi Xing chegaram á Londres.
- Ah sério? – O sorriso finalmente voltava ao rosto de Min Seok- E como eles estão, fizeram bom voo?
- Não sei, é melhor esperarmos eles nos ligarem, deve estar uma correria.
- Verdade. – O ômega olhava para a janela e suspirava baixo – Essa viagem trouxe tantas lembranças não?
- É...to com medo do que mais ela pode trazer.
Baekhyun olhava para as próprias mãos, relembrando do toque de seus dedos na pele quente de Chanyeol. Balançando a cabeça os dois ômegas se deitavam para dormir, já que no dia seguinte estariam de volta á suas rotinas.
Do lado de fora da hospedaria, um alfa de cabelos platinados observava atentamente um ômega, sobre um galho de árvore. Em sua mão o celular que vibrava continuadamente o número de sua progenitora. Estalando a língua o garoto suspirava e desligava o aparelho, podendo voltar a olhar Baekhyun dormir. Pulando do galho, o alfa se direcionava para o seu quarto lentamente, imaginando qual seria a próxima confusão que seus pais lhe meteriam
❖❖

Nenhum comentário:

Postar um comentário