{Seulement Vous} Capitulo 10

Fanfic / Fanfiction Seulement Vous - Capítulo 10 - Capitulo 10
18de julho
O ômega olhava para o presidente totalmente surpreso com sua revelação, já saberia desde o momento em que ouviu sobre a viagem que tudo, em relação á namoros, se tornaria difícil, principalmente ao ver a mordida no pulso de Jun Myeon. Olhando de soslaio para a roda de amigos Zagan, vira que o alfa estava distraído com as bebidas que eram distribuídas. Envolvendo o ombro do mais baixo, Baekhyun o puxou para um canto mais afastado onde evitaria os olhares curiosos.
- Repete.

- Eu disse que vou ter que ir pra Londres amanhã. – O ômega sussurrava – Meu pai acaba de me ligar dizendo que a universidade adiantou o inicio das aulas.
- Tentou recusar?
- Eu tentei, mas meu pai meio que jogou na minha cara o dinheiro que usou pra correr atrás das coisas – O ômega passava a mão no rosto e olhava para o amigo – Não posso ir contra o meu pai, se eu não estiver pronto ele vai me levar à força sabe disso.
- É eu sei – Baekhyun olhava em volta e suspirava voltado a dar atenção ao ômega á sua frente– Mas agora vai ter o fato Xing como o X da questão.
- O que eu faço? E-Eu não posso simplesmente falar pra ele “olha to indo embora, até mais”.
- Eu acho que ele já está desconfiando.
Jun Myeon se virou e encontrou Yi Xing atrás de si sorrindo gentilmente. Sentindo o coração acelerar ainda mais com o seu nervosismo, o garoto ômega pousara a mão no bolso e olhou rapidamente para Baekhyun. Não teriam notado o momento em que ele teria caminhado em suas direções, e isso apenas deixava-os mais agitados. O ômega mais alto estalou a língua ao entender que seria necessário a conversa entre o casal, e apontava para a hospedaria.
- Eu vou indo pro quarto arrumar as coisas então.
- Obrigado Baek.
O ômega apenas sorrira e se retirava do campo, deixando o alfa e o outro ômega sozinhos. Yi Xing arqueou a sobrancelha e olhou para o amante, segurou de sua mão e selando-lhe os dedos aparentando de sua calma. Não fazia ideia de como era a atitude de Jun Myeon quanto á relacionamentos amorosos, mas saberia dizer sobre sua postura quanto presidente do grêmio, quando enrugava a testa era sinal de problemas, tal como aquele momento.
- O que houve?
- Um desastre – Sussurrava o menor olhando para o alfa, mordendo o lábio inferior o mesmo ergueu a cabeça e tentou manter sua calma em controle. – Amanhã eu terei de ir embora.
- Espera o que disse?
Jun Myeon segurou a mão do alfa e o guiou para o chafariz perto da hospedaria onde teriam conversado na primeira noite da viagem. O céu escuro fazia realce ao brilho das lâmpadas espalhadas em cada quilometro. Os dois rapazes se sentaram no banco e Jun Myeon respirava fundo pronto para começar a contar o que seria a sua viagem á Londres e o convite da Universidade que havia recebido alguns meses antes. Não queria esconder mais sobre seus sentimentos, tudo teria mudado quando seu diário fora exposto e agora Yi Xing parecia estar disposto a ficar consigo. Sendo assim, contou-lhe sobre Jong Dae e as conversas que tiveram no período em que estava chateado com o alfa e Baekhyun.
Yi Xing ouvia tudo atentamente sem soltar a mão do ômega, até mesmo ter o nome de Jong Dae e a promessa feita o alfa conseguiu ignorar. Jun Myeon deixava expresso em sua fisionomia a preocupação que sentia em ter que partir, os dedos ainda trêmulos sobre a palma da mão gelada do alfa não o acalmava.
- Então vai ter que ir?
- É basicamente isso.
- Não me disse isso antes por quê?
- Eu não sabia que algo entre nós aconteceria, não é? – O ômega mordeu o lábio inferior e acariciou de sua nuca suada.
- E de qualquer forma iria embora pra longe.
- Yi Xing...
O alfa soltou a mão do ômega e se levantou indo para a trilha se afastando do menor, o deixando sentado atônito. Jun Myeon pousou ambas as mãos em seu colo e deixava as lágrimas rolarem por seu rosto. “Imbecil Jun Myeon, você é um completo de um imbecil”. Encostando-se no banco o ômega inclinava a cabeça para trás e sentia o seu corpo responder aos estímulos de Yi Xing e seus próprios estímulos. A mordida ardia em seu pulso por conta de ambos os corações doloridos e afastados.
Levantou-se do banco seguiu o caminho para a hospedaria, não teria coragem em sair para procurar pelo alfa sabendo que o mesmo não teria humor para lhe receber. “Talvez pense que eu o enganei, o que...não fugiria da verdade”. Limpando o rosto rapidamente, o ômega caminhou para o seu quarto onde encontrara um Baekhyun arrumando ás pressas sua bolsa, foi gentileza de sua parte em ajudar o presidente em se aprontar, porém a preocupação sobre a mordida era o que dominava sua mente. Ao ver Jun Myeon entrar, Baekhyun parou com o que fazia e fora direto ao ômega segurando-lhe suas mãos.
- E então?
- Ele ficou chateado e apenas saiu sem me dizer nada Baekhyun – Sussurrava o menor voltando a ter lágrimas em seu rosto – Sinceramente estou começando a achar que cometi um erro.
- Não errou seu bobo, todos nós nos precipitamos ás vezes. – O ômega abraçava o presidente a acariciava de seus cabelos – E-Ele deve estar pensando no que fazer e tudo mais, vai ficar tudo bem hm?
Acalmar Jun Myeon fora um tanto difícil, sua cabeça começara a ficar dolorida e por conta do nervosismo Baekhyun lhe entregou um medicamento para dormir. Tão logo o ômega dormia abraçado ao travesseiro em sono profundo. Suspirando Baekhyun mandava mensagem á Min Seok pedindo ajuda para preparar a saída antecipada do presidente do grêmio, e então voltava a fechar as malas do menor as deixando próximos á cama do mesmo. Saiu do quarto respirando fundo e olhou para o corredor encontrando Chanyeol encostado na parede.
- Como ele está?
- Ham? Myeonnie? – Baekhyun coçava a nuca e fechava a porta se aproximando do maior – Triste eu acho...mas como sabia?
- Yi Xing saiu correndo atrás do Jong Dae depois conversar com o baixinho, alguma coisa com certeza aconteceu.
- Ah claro que ele iria brigar com o outro. – Deixando um leve tapa em sua testa o ômega se encostou ao lado do maior e passou a encarar a parede, soltando um prolongado suspiro.
- Devo me intrometer?
- Hum acho melhor não, eles tem que se resolver da maneira deles.
Chanyeol assentia e olhava a parede ainda com os braços cruzados. Baekhyun ficou a olhar o maior e segurou-lhe gentilmente o braço o guiando para fora da hospedaria. O ômega olhava para o alfa e sorria largamente para sim vendo o mesmo o reparar surpreso.
- Vamos ficar aqui fora para que ele durma bem.
- Ah certo certo.
Enquanto isso no lado de fora da hospedaria, Yi Xing procurava por Jong Dae o encontrando sobre o gramado deitado de olhos fechados. Já poderia sentir seu corpo corresponder a mordida, percebia que Jun Myeon estava triste, e isso contribuía com o sua raiva.Jamais teria imaginado que sua alegria não duraria tão pouco, pelos céus como queria ficar á cada segundo abraçado ao seu ômega sem se importar com absolutamente nada além de ganhar carinhos e ter certeza que seu amado estaria feliz consigo. Agora parecia que tudo estava a desabar. Cerrando o punho, o alfa puxou Jong Dae pela camiseta deixando com que o irmão ficasse em pé o olhando surpreso, porém a surpresa logo se tornava algo sorrateiro.
- Olá irmãozinho.
- Olá o cacete, quem pensa que é para fazer ele prometer a sair com você?
- Oi? – O alfa soltou-se do maior e ajeitou sua camiseta para então pousar suas mãos no bolso – Ah ele te contou? Bom então o que quer saber, a parte em que ele considerou ficar comigo ou a parte em que iremos embora juntos?
- Disso eu tenho plena certeza que não vai acontecer – Sussurrava o alfa – Ele estará partindo amanhã.
- Como? – O alfa arregalava os olhos logo cerrando o cenho confuso– Espera isso eu não sabia.
- Aposto que isso tem o seu dedo Jong Dae, deve ter mexido seus pauzinhos pra fazer a gente se separar, mas saiba que isso não vai rolar.
- Ah para com esse narcisismo Xing, pouco me importo contigo. E se eu fosse esperto eu já teria fugido com ele sem tu saber.
Min Seok se aproximava depois de conversar com a diretora e averiguar a saída do presidente do grêmio. Passando pelo campo onde mais cedo havia a queima de fogos, encontrava os dois híbridos irmãos de frente ao outro novamente se enfrentando, porém não deixou de escutar que a conversa era sobre o presidente. Aproximando-se o menor pigarreou ficando entre os mesmos.
- Rapazes sinceramente esse é o péssimo momento de ficarem brigando.
- Isso não tem nada haver contigo – Respondia Yi Xing sem desviar o olhar furioso sobre o outro alfa. – Agora você realmente me tirou do sério Jong Dae.
- Ah para com essa manha seu moleque mimado – Ria Jong Dae – Acha sinceramente eu iria ter contatos lá fora só pra te separar?
- De todas as coisas que já me fez, eu não duvido de absolutamente nada.
- Senhor Xing! – Min Seok erguera a voz e fez com que o maior respirasse fundo ao parar de falar, sua face estava completamente avermelhada. – Devo te lembrar que o senhor mordeu meu melhor amigo e no momento o deixou dormindo chorando, e outra, Jong Dae não fez absolutamente nada porque todo o tempo em que esteve aqui na hospedaria eu estava ao seu lado.
- Tudo bem, então vamos deixar uma coisa muito bem clara aqui – Yi Xing se aproximou de Jong Dae e voltava a ter fisionomia calma – Desista de Jun Myeon pois agora ele está comigo. É só isso, do resto continue tentando o seu melhor pra me irritar, caso esse seja o seu objetivo.
O alfa saíra correndo em direção á hospedaria, Min Seok respirava fundo e acalmava seu coração do nervosismo que havia sentido, virou-se e encontrou Jong Dae o observando com a sobrancelha arqueada. Recordou-se de que mais cedo teria dito, de forma curta e prática, os seus sentimentos. Corando violentamente, o mais novo apenas acenara com a cabeça e saíra em disparada para o seu quarto onde seus amigos deveriam estar á sua espera.
O outro alfa restante ali ficou a observar o menor sair correndo de si, sorriu de lado e olhou em volta suspirando baixo. O que Yi Xing teria dito sobre não poder mais ter Jun Myeon parecia ser a verdade batendo em sua porta, era inevitável. E então as palavras de Min Seok se faziam presentes também, sobre ver a pessoa que ama ser feliz com quem ama ela de volta. Jong Dae conseguia ver naquela noite durante o jantar o quão feliz estava Jun Myeon apenas por estar ao lado do alfa líder dos Zagan.
Caminhando para o seu quarto foi direto em sua mala procurar pela passagem de avião. Pegou do celular e se sentou na beira da cama passando a mão pelos cabelos, enquanto discava o número da companhia aérea.
- Alô, eu gostaria de mudar minha passagem por favor – O alfa olhava para a porta do quarto que estava aberta. – Não, meu nome é Zhang Yi Xing.
19 de julho
O celular tocava mostrando o despertador que estava programado para as cinco horas da manhã. Jun Myeon despertava aos poucos e de forma preguiçosa, sentindo todo seu corpo latejar, ainda assim se obrigou a levantar e tomar banho para se arrumar. Já tinha separado de sua roupa e seus documentos para poder ir para sua casa. Ainda daria tempo de tomar um café da manhã e se desse sorte encontraria Yi Xing para olhá-lo uma ultima vez.
O banho gelado lhe despertava do sono, mesmo assim mudou a temperatura para poder relaxar seus músculos tensos. Banho tomado, vestimenta apropriadamente vestida e cabelo arrumado, o ômega pegou de sua bolsa e seguiu para o refeitório juntamente com Baekhyun e Min Seok que teria despertados para se despedir do amigo. Os dois outros ômegas se sentiam tristes com a partida repentina do presidente do grêmio, mas sabiam que tudo isso ocorreria mais tarde, já que estavam no ultimo ano da escola. Mesmo que tivessem o plano de estudarem juntos, eles sabiam que isso não aconteceria.
- Pegou documento? – Min Seok seguia o presidente e olhava para as mãos do ômega – Ai meus Deus, cadê teu celular?
- Na outra mão Minnie.
Ria o ômega erguendo a mão com o aparelho, os três híbridos entraram no refeitório vazio e se sentavam em uma mesa próxima a janela prontos para tomar um delicioso café da manhã. Mesmo assim Jun Myeon sentia-se triste com o ocorrido do dia anterior, parecia estar fugindo de seus próprios problemas como um covarde, ao invés de enfrentá-los e resolvê-los.
- Myeonnie, tenha calma hm? Vai que ele aparece aqui não é?
- Essa eu quero ver.
Fazendo um bico manhoso o ômega logo se ajeitou e pediu um café da manhã simples, apenas suco de laranja natural e alguma fruta da estação. Mesmo assim mantinha os olhos pela janela sem ter interesse pela conversa entre Baekhyun e Min Seok, que pareciam tão inertes em seu objetivo de diminuir a tensão, não percebiam que a aumentavam. Jun Myeon apenas ria quando o pedido chegou á mesa, somente assim para retomar sua atenção ao que os meninos realmente falavam.
Os minutos foram se passando e a sua saída tornava-se cada vez mais próxima. O menor já não escondia sua preocupação, olhava em volta á todo momento, mesmo esperando por seu pai em frente á hospedaria. Mexia consequentemente no pingente em seu pescoço e mordia o lábio inferior com força em ter que sair sem se despedir. Tão logo ouvia-se o carro de seu pai estacionar á sua frente, e o ômega se virou e abraçou os dois amigos.
- Fique bem está certo? – Min Seok acariciava os cabelos do ômega e fazia um bico manhoso – E ligue quando chegar, vamos nos falar todos os dias certo?
- Claro Minnie, e me conte sobre seu amor, estarei torcendo por ti.
- Ah...ai céus.
- Sai sai – Baekhyun ria mexendo seu quadril contra o de Min Seok o afastando de Jun Myeon, para então abraçá-lo apertado. – Myeonie faça uma boa viagem e me telefone sempre sempre, e se faltar algo me avise, eu pego jatinho e vou voando até onde você estiver.
- Baek, você não tem jatinho.
- Não me lembre que sou pobre.
Os amigos riram e se abraçaram novamente antes de Jun Myeon entrar no carro do pai e desaparecer da visão deles. Ainda segurando o seu pingente, o ômega respondia rapidamente as perguntas feitas por seu pai, interessado mais em saber como estaria um certo alfa.
A correria na casa dos Kim era intensa, a mãe de Jun Myeon corria entre a varanda para pegar as roupas secas e ir até a sala onde o ferro para passar já esquentava. Queria que o filho levasse todas as roupas e ainda comrpou algumas mais novas por temer que faltasse alguma peça. Teria procurado na internet a previsão do tempo para os próximos dias e até calculava quantas cuecas seria necessário que o menor levasse para a viagem. Fora necessário que tanto Jun Myeon quanto seu pai a convencesse de que o garoto sabia se virar sozinho quanto á roupas e comida, e que saberia usar uma máquina de lavar.
O medo em si era de ver o filho partir e ter uma casa tão solitária. Jun Myeon era a criança mimada e amada pelos pais, sua pai sentia o coração partir diante daquilo. O senhor Kim tentava ao máximo explicar ao filho sobre como se manter, até mesmo confiara ao menor sobre ver se realmente valeria a pena estudar na universidade e se conseguiria manter os estudos por lá. Tudo o que queria era vê-lo bem cuidado e independente.
Não tinham notado a mordida em seu pulso, o garoto a escondera com um pedaço de pano grosso que usou como munhequeira, não que seus pais fossem rejeitar isso do filho, mas com certeza uma conversa sobre as precauções de gestação e demais problemas ele teria de ouvir. Palestra essa que já ouvira tantas vezes no inicio da adolescência. Talvez uma situação de que o menor não gostaria de vivenciar em sua atual condição de preocupação.
Jun Myeon iria dormir á tarde, já que se voo seria á noite para poder chegar em Londres no dia seguinte no inicio da manhã. Assim que chegasse poderia tomar todo seu tempo para adaptar-se ao fuso horário e arrumar-se para o dia seguinte que iria iniciar com uma correria. Vestindo apenas um calção o ômega olhou para o pingente e selou-lhe, sentindo a saudade apertar sua alma. “Te queria tanto aqui comigo”.  Apenas tendo a imagem de seus dias nos braços de Yi Xing, o garoto presidente do grêmio dormira tendo em seu rosto lágrimas de saudade.
Ás sete horas da noite Jun Myeon se despedia de seus pais, suas malas já tinham sido despachadas e agora precisa ir para a área de embarque onde pegaria o avião. Os seus pais já teriam despedido de si antes de sair de casa, e ainda estavam abraçados ao filho não deixando soltá-lo para que fosse embora.
- Tenha juízo meu filho – Pedia a Sra Kim abraçando apertado o pequeno Jun Myeon – Não deixe que te toquem e nem que te mordam, e se isso ocorrer tenha certeza de que seja com alguém de boa índole.
- Sim mamãe, não se preocupe com isso hm?
- Quando chegar nos ligue, e mande mensagens todos os dias. Caso precise de algo não hesite em me dizer que eu irei te ajudar.
- Pode deixar – Jun Myeon abraçou ambos os pais e sorria largo para os mesmos, tendo seus olhos embarcados de lágrimas – Eu amo vocês tudo bem?
- Também o amamos meu filho.
A chamada para o voo soava nos auto falantes, Jun Myeon acenava e ajeitava a mochila em suas costas seguindo para a área de embarque onde entregava sua passagem e documentos. Adentrando na sala de embarque sentou-se em uma cadeira enquanto esperava pela nova chamada. Pegou seu celular e olhava as mensagens, avisando aos meninos que logo estaria em pleno voo.
‘’Como ele está?”
Tamborilou os dedos sobre a coxa e vira a resposta imediata de Min Seok.
Não o vi desde ontem á noite”.
- Aish Yi Xing o que raios pensa estar fazendo? – Resmungava o menor segurando forte do pingente e olhar em volta.
Ficara sentado por longos minutos esperando que o seu voo fizesse a ultima chamada necessária para que entrasse no avião, mas o tempo que se arrastava fazia o menor se sentir cada vez mais arrependido de estar ali. Se sentia sozinho como jamais se sentiu, queria estar nos braços do seu alfa que tanto amava. Balançando as pernas o garoto ficava olhando o celular pedindo por noticias novas do alfa, mas Min Seok e Baekhyun não saberiam onde o mesmo estava na hospedaria, e poderia ser provável que ele tivesse saído para alguma vila vizinha.
Já se passava demais pensamentos sobre sua mente, pensava que Yi Xing teria se desencantado consigo e que nada o faria notar em si mesmo novamente, tamanha era sua decepção consigo. Assim que a chamada de seu voo estava sendo feita, o ômega se levantou e entrou na fila para adentrar no avião, seria a sua primeira vez em um e temia que qualquer desastre ocorresse consigo. Torcendo os lábios, adentrou no avião e procurou por sua poltrona. Olhava para sua passagem e para as indicações dos assentos até encontrar a sua poltrona, era a ultima e no lado da janela.
Ajeitando a bolsa em seu colo, Jun Myeon se sentou e colocava o cinto enquanto mexia no pingente. Talvez um hábito que adquiriu nos últimos dias para diminuir sua ansiedade e medo, olhar para a janela ainda ajudava para que seus pensamentos fugissem para outros lugares que não aquele onde estava.
 - Com licença, vou me sentar ao seu lado.
Jun Myeon apenas assentira sem desviar o olhar para o lado, porém o cheiro que sentiu e a voz que ouvia o fez apertar do pingente. Olhou rapidamente para o seu lado, encontrando um Yi Xing extremamente ofegante e esparramado ao seu lado, sorrindo energeticamente.
- Y-Yi Xing, o-o que faz aqui?
- Vim fazer uma loucura pra provar os meus sentimentos ao cara que eu gosto.
Jun Myeon tinha os olhos marejados e abraçava o alfa com todas as suas forças. Sentia as lágrimas rolarem por seu rosto e conseguia suspirar extremamente aliviado em tê-lo ao seu lado. Segurou-lhe o rosto e selou de seus lábios diversas vezes, comprovando a si mesmo que não era apenas alucinação de sua mente saudosa, até mesmo o riso abafado que o maior deixava ressoar parecia ser real demais para um delirio.
- Tudo isso é saudade?
- Tem noção do jeito que fiquei? Pensei que tudo tinha acabado.
- Não, eu fui pego de surpresa apenas – Yi Xing segurou a mão do ômega e selou-lhe a palma – Mas tive uma ajuda de...um fada padrinho?
- Fada padrinho?
O alfa ria balançando a cabeça e ficava abraçando ao menor selando sua testa demoradamente. Apenas ria incredulamente pelas horas de sufoco pela qual passou.
Jong Dae olhava para o pequeno vilarejo vizinho e suspirava enquanto se espreguiçava, Min Seok estava ao seu lado e sorria largo com o feito do maior.
- Acho que está crescendo em Jong Dae.
- Fiz o que me disse – O alfa se virou e sorriu levemente. Teria mudado a sua passagem para Yi Xing e levado até seu quarto antes que fosse dormir. Sem nenhuma discussão Jong Dae apenas entregara o papel que o outro alfa teria de levar no aeroporto para a retirada do passaporte e da passagem. Dissera-lhe que apenas mudaria o rumo das coisas por saber que aquela briga já o teria cegado. Pela primeira vez em anos, os irmãos se abraçaram e cerraram de sua rixa. Somente então Yi Xing correra com suas coisas, pedindo carona com estranhos para seguir até o aeroporto onde precisaria encontrar o ômega que amava – Ele está melhor ao lado do pirralho do meu irmão.
- Não fique triste hm? – O ômega corava sem olhar para o mesmo, já era vergonhoso demais estar ali depois do que havia falado. – V-Vai ficar tudo bem.
- Vou ficar bem depois que tu me ajudar a mudar para alfa. – O hibrido olhou para as próprias mãos e suspirou. – E quem sabe eu te veja com outros olhos pequeno Seokkie.
- O-O que?
O alfa ria baixo dando as costas ao menor que lhe olhava surpreso. Os dois logo entravam para a hospedaria onde o jantar em breve seria servido, precisavam se sentar ao lado de Chanyeol e Baekhyun, antes que os dois tornassem a discutir sobre o que comer e de que forma comer.
O voo para Londres era imensamente demorado, não se sabia ao exato quantas horas seria necessário para que chegassem ao seu destino. Yi Xing acalmava o coração dolorido do ômega com conversas bobas e caricias apaixonadas, assistiam filmes e comiam juntos, dormiam abraçados e aproveitavam o momento que tinham.
- Por que veio comigo? E sua família?
- Eu te disse é a minha forma de comprovar á você sobre meus sentimentos. – O alfa acariciava o braço do ômega, os dois eram iluminados por uma luz que tinha no painel sobre suas cabeças, o restante do avião estava completamente escuro e os passageiros dormiam calmamente. – Acho que seremos capazes de viver juntos por seis meses.
- Mas e se a universidade realmente for boa, vou ficar por lá.
- Então ficarei com você. – alfa acariciava a barriga do menor e ria em seguida – Ainda tenho esperanças de que aqui tenha algo.
- Deixe de ser bobo, foi apenas um nó e não uma missão completa.
- Bom de qualquer forma somos uma família, mesmo que seja apenas eu e você.
O alfa erguia o encosto de braço, podendo passar o seu braço direito sobre o ombro do menor o puxando para se encostar em seu peitoral. Se ajeitando da forma que dava e com o espaço que tinham, os dois amantes ficavam abraçados se olhando, desligaram a luz do painel e deixaram a iluminação por conta do monitor que tinha em suas frentes, onde passava um filme qualquer para passar o tempo do voo.
- O que pretende fazer? – Jun Myeon erguera a cabeça podendo olhar o alfa, que beliscava um pedaço de batata frita e então olhava para cima pensativo, então sorrindo divertido para o ômega.
- Para o seu governo, caro presidente do grêmio estudantil. Tenho notas boas o suficiente em inglês para frequentar uma universidade barata em Londres.
- Ah claro, eles devem levar em conta sua ficha escolar.
Os dois riam em baixo tom evitando acordar os demais passageiros. Uma coisa era certa, aqueles dois jovens apaixonados eram cheios de planos para o futuro.
20 de julho
Baekhyun despertava aos poucos e sentia todo seu corpo pesar. Tentou se lembrar o que teria feito na noite anterior e logo recordou-se que a diretora mais os professores estavam ausentes por conta de um problema na escola, e tiveram de ir para uma vila próxima para ter conexão via internet para resolver o problema. Com isso Jong Dae propôs a dita “noite esquecida”, que seria basicamente uma orgia liberada. Pelo alfa ser maior de idade conseguiu comprar uma grande quantidade de bebida alcoólica, na hospedaria as duas gangues geraram paz por uma noite e logo começavam a preparar drinks. Em alguns cantos se via os jovens fazendo jogos com apostas, em outros cantos poderia ouvir gemidos intensos, outros a própria cena sexual era observada.
Baekhyun se lembrava de ter entrado em um jogo de verdade e desafio junto com Min Seok, Jong Dae e Chanyeol e demais alfas e ômegas que não fazia ideia qual eram seus nomes. Sua memória não falhava, os momentos em que ria em ver Min Seok totalmente corado por conta da bebida e fazer uma dança sensual para um alfa como desafio que lhe fora proposto, até mesmo brincava com a forma maliciosa de Jong Dae lhe observar. Quando a garrafa parou em si Baekhyun não tardou em lançar o desafio para que o vice presidente do grêmio deixasse o líder dos Phenex completamente excitado. E conseguira, o problema foi que Min Seok quase tirou de suas roupas e assim permaneceu até o próximo desafio que recebera.
Os outros alfas ficaram totalmente absortos no corpo que o vice presidente apresentava, por conta de seu rosto redondo pensavam que ele seria um garoto gordinho, porém seu abdômen era definido com direito á seis gomos, os bíceps levemente fortes e a pele esbranquiçada, deixava todos completamente interessados. Jong Dae demonstrou não gostar muito dos olhares, e tratou de pegar pesado nos desafios, até que seu penúltimo desafio fora de levar o ômega consigo para o seu quarto.
Porém antes de ir, ele garantiu que o ultimo desafio fosse direcionado á Baekhyun, como uma recompensa por ele ter feito Min Seok lhe deixar excitado. Lembra-se de ter visto o sorriso malicioso de Chanyeol e já alterado pelo álcool o ômega mais alto apenas se levantou e se direcionou para o seu quarto.
Basicamente o cômodo estava escuro e permaneceu lá, bebendo um drink com uma vodka forte. A porta do quarto tinha sido aberta e mesmo assim o escuro permanecia, o ômega estava a espera de seu desafio, que aceitou sem se quer saber do que se tratava. Porém ao sentir um par de braços lhe apertarem fortemente contra um corpo rijo e quente, o ômega sentiu diversos arrepios e logo lábios roçavam em seu pescoço. Alterado pela bebida o ômega não se recordava de seu medo, e apenas curtia aquela sensação de arrepios em sua pele. A força que aqueles braços seguravam de sua fina cintura o encostando ao corpo quente, e conseguia sentir de um membro ficar desperto por entre suas roliças coxas.
Seu corpo fora empurrado para uma parede próxima e teve seu pescoço marcado pelo alfa que lhe tomava. O beijo que sentia em sua pele era afoito e necessitado, deixando Baekhyun cada vez mais excitado pelos toques bruscos. As mãos grandes e fortes passeavam pelas coxas do menor, tão logo sua calça e camiseta fora retiradas e jogadas para o breu do quarto. Baekhyun revirava os olhos em sentir seu corpo corresponder tão bem ao toque daquele sujeito desconhecido, e por mais que tentasse ver quem era, não conseguia.
Em sua memória conseguia se lembrar do momento em que fora deitado na cama e que teve seus lábios tomados em um beijo ardente e sensual, onde tinha sua língua e seus lábios sugados. Sentia seu corpo ser explorado pelas mãos curiosas e a voz grossa e rouca, ainda desconhecida, soar em seu ouvido pedindo para que gemesse algo quando estava sendo invadido pelo membro do alfa. Diga-se de passagem, Baekhyun nunca tivera tanto prazer quanto tivera aquela noite.
Coçando os olhos para se acostumar com a luz do dia, o ômega ainda sentia algo pesar sobre si, e sorria largo pela prazer que se recordava por ter. Agra o que precisava saber era a identidade do seu galã. Tentou mexer suas mãos e sentira algo entre seus dedos, na mão direita parecia que uma mão estava entrelaçada entre a sua, e na mão esquerda, parecia que havia cabelos. Arqueando a sobrancelha, mexeu a perna direita e algo estava entre suas pernas, moveu o quadril levemente e parecia que ainda estava com algo em seu interior.
Deixando a preguiça de lado o ômega erguera a cabeça e encontrara um alfa dormindo sobre seu corpo. Inclinando para o lado conseguira reconhecer os fios platinados de Chanyeol . Arregalou os olhos ao se lembrar que na noite passada, o nome que fora pedido para que o menor gemesse era Park Chanyeol. Tentando se esticar para ver o que se tratava entre suas pernas, ouvira o próprio alfa gemer e se revirar, fazendo com que o nó atado no interior do ômega deixasse os dois gemerem.
- Ai. Meu. Deus!
O ômega jogava a cabeça para trás fechando os olhos. Teria se entregado á Park Chanyeol em plena noite esquecida. Ficou deitado por um tempo até que vira o maior despertar, preferindo fechar os olhos e fingir que dormia, apenas ficou a escutar os movimentos que o alfa fazia.
- Aish e agora? – Resmungava o outro ao ver o próprio nó – Sabia que era perfeito, mas não tanto assim.
Chanyeol segurou a cintura de Baekhyun e com a maior delicadeza que poderia ter, sentou-o em seu colo e ajeitou seus braços fortes em volta do corpo delicado, e agora cheio de marcas, de Baekhyun. O maior ajeitou a cabeça do garoto em seu peitoral e puxou o lençol para cobrir-lhe o corpo para então ficar admirando-o.
- Eu disse que te faria gemer por meu nome – Sussurrava o alfa, passando a ponta dos dedos pelas bochechas rosadas do ômega. – Só que agora quero saber se sou capaz de ganhar os teus sentimentos também.
Baekhyun escutava tudo e mantinha-se imóvel, porém com o que ouvia não aguentaria mais ficar parado. Fingindo despertar, o ômega escondia de seu rosto e pensava em alguma forma de fingir que de nada saberia. Chanyeol o mantinha próximo e sem soltar do abraço, o ômega deixou suas pernas em volta da cintura do maior e as mãos pousadas sobre seus ombros, bocejava e coçava os olhos para então encarar o alfa diante de si que sorria de lado.
- Eae.
- C-Chanyeol? – Fingindo surpresa, olhava em volta – O-O que houve?
- Não se lembra?
- Lembrar? – Obviamente se recordava do que houvera, e parecia ser justo dizer que sim. Agora entendia o porque de Chanyeol ter feito amizade com Jun Myeon depois daquela noite. – V-Você é o cara escuro?
- Cara escuro? – O maior fazia uma careta e logo ria rouco – Não sabia que era eu mesmo gemendo meu nome de forma tãaaao prazerosa?
- P-Prazerosa...- O ômega tentou se levantar porém fora impedido pelo maior que segurava sua cintura.
- Hey calma, to preso ai dentro ainda.
- O QUE? Não quero engravidar.
- E eu lá disse que queria te prenhar?
- YAAAA.
Baekhyun alcançou um travesseiro e batia contra o rosto de Chanyeol, que ria divertido da reação escandalosa do menor. Logo segurou seus braços com facilidade e selou-lhe os lábios demoradamente, cessando no mesmo momento a euforia de Baekhyun. O ômega corava violentamente e olhava para o alfa atentamente, sem piscar e sem se mover, fazendo um sorriso irônico surgir nos lábios de Chanyeol.
- Bom garoto. Agora relaxe vamos ter que esperar até desinchar pra poder sair correndo.
O ômega assentira e baixou os seus braços, largando o travesseiro. Sem saber o que fazer para matar de seu tempo, encostou a testa no ombro do maior e ficou a tocar em seus lábios. Comparado com a noite anterior onde tivera beijos ardentes e sentindo de sua pele arder com o fervor do sexo, a sensação que sentia naquele selar era totalmente o oposto, algo simples e, se ousasse dizer, carinhoso.
Chanyeol sorria largo com a bela oportunidade que lhe foi dada na ultima noite, voltando a abraçar o corpo do garoto ômega, ficaram ali por longos minutos em pleno silencio, um aproveitando do outro.

❖❖

Nenhum comentário:

Postar um comentário