{Sagrado Santuário} Capitulo 3


~[:: P.O.V. HYUKJAE ::]~ 

Depois de recobrar a minha consciência, me senti dolorido, uma sensação de desconforto, o odor de plastico misturado com o de carniça era repugnante, tentei me mexer e senti um saco plastico em minhas mãos, fiz um furo nele e inspirei todo o ar que havia nele. Tentei escutar algum barulho, mas o silêncio reinava, então rasguei o plástico e me sentei, estava em um tipo de sitio a grama, ou pelo menos os resto mortais da grama, estava lotada de sacor azuis, então era aqui que eles jogavam os corpos. 


Peguei minha mochila e rumei para fora daquele lugar, entrei dentro da floresta e andei para o lado oposto de onde a neblina ia, ela estava indo para sul, então eu tinha que ir para o norte. Caminhei e começei a sentir um cheiro estranho, continuei caminhan do e uma luz forte me fez recuar dois passos para tras. Acostumei a minha visão no lugar, e me deparei com um vilarejo. Continuei andando em linha reta observando tudo, coloquei meu capuz, e arrumei a minha mochila nas costas, e rumei até algum lugar. Estava a procura de um lougar onde pudesse me esonder, e tivesse livre acesso a água e comida. 

Assim que escutei alguns xingões e gritos vindos de algumas tendas, reparei em um grupo de 5 homens, com roupas indênticas as do Redentores….Mas não seria possivel, eles já estavam a minha procura???? Virei para o sul e começei a correr, já escutando eles me chamarem, pulei algumas carroças, passei em frnete a uma loja de armas, e peguei o que pude, que era um arco com sete flechas, e voltei a correr. Fui em direção ao fim da aldeia e inicio da floresta, era alí que eu me deixaria levar. 

Virei para tras, joguei minha mochila para o alto da arvore, onde ela ficou presa, e me preparei para lutar. O primeiro veio com um lança, apontei a flecha e mirei em seu peito, por sorte acertei antes de ser apanhado, mas sabia que aquilo não daria certo, demoraria muito para que eu pudesse mirar e acertar. Me concentrei em apenas lutar, usei todas as tecnicas de luta livre que o Redentor Zhoumi me ensinara. Mas aqueles cara eram fortes, levei um soco na boca, um nop braço, aquilo já estva me irritando, não deixaria ninguém me bater, não quando agora estava finalmente livre. 

Senti a raiva que me tomara na noite anterior, me possuir novamente, e não deixei baixo, assim aquela festa acabaria de uma vez. Tudo o que encontrava ao meu redor usava como arma, e assim de cinco homens reduziu-se para dois, pois pos outros três já estavam mortos. Enquanto cuidava de um senti algo penetra meu ombro, era uma flecha, mas não dei importancia, cuidei do redentor que estava nas minhas mão, e usei uma flecha panhando-o pelas costas. Olhei para trás e avistei aquele que me acertara no chão, olhei para frente outros cinco homens me olhavam um pouco espantado, mas não me imporetei, tirei a flecha sem demonstrar nenhuma dor, até porque nçao havia doído mesmo sabendo que a flecha foi fundo em meu ombro direito. 

Pulei na arvore peguei minha mochila, e esperei os cinco homens sairem, mas eles pareciam estar a minha procura, fiquei fitando o cara de cabelos acobreados, ele parecia ser umtanto musculoso, sua feição me lembrava a de um peixe, ele corria e me procurava, deixei um suspiro sair, e fui pulando de galho em galhos, até dar o topo da arvore e assim ´pulando de galho de uma arvore para o galho de outra. Fiquei pulando até perceber que ninguém me seguia, então desci da arvore e fui andando em direção ao rio. Na margem do rio me sentei, tirei a capa e baixei a alça da regata, a que ótim o o corte era muito fundo. Peguei dentro da mochila o pó de Arbell, peguei um pouco do pó e colooquei na atadura, pinguei algumas gotas de água, fazenod o pó se dissolver, e assim cobrindo a ferida. Enrolei a atadura, ergui a arlça, e botei a minha capa. me levantei lavei minhas mãos. Tinha alguém me observando, eu sentia isso, um olhar em mim. 

-Pode sair detrás da árvore, sei que está aí. - Dito isso o homem com cara de peixe, saiu de um das arvores. Terminei de lavar o rosto, me levantei e o encarei, sua feição era, de precoupação, mas não sabia exatamente do que, seus olhos eram negro parecia um longo mar. - Quem é você? 

-Você não se lembra? - Perguntou o rapaz,sua voz era totalmente doce e aveludada, cerrei o cenho, cemicerrei os olhos - Você realmente não se lembra?? 

-Se eu soubesse eu não te perguntaria. - Dei as costas para o rapaz e pulei dentro do rio atravessando-o, e caminhei em direção ao lado oposto do vilarejo. 

Sabia que continuava a ser seguido, e aquilo estava começando a me irritar, fingi olhar algumas bugigangas, assim okhei rabo de olho e ví o rapaz destraído, então me pus a correr, corri em direção a um beco, e pulei me prendendo em uma grande arvore. Não fiquei por muito tempo, meu sexto sentido estava começando a ficar inquieto,a lguma acontecia, algo dentro da floresta me chamava com urgência. Desci da arvore sem me importa com o rapaz, e corri em direção da floresta, alguns metro a minha frente ví Ryewook totalmente machucado, aumentei a velocidade, e fui em sua direção., Ele estava com o rosto com alguns arranhões, e tinha um pouco se sangue em sua camisa branca. 

- Consegui te seguir, Hyukjae! - Disse ele antes de perder a consciencia. 

Virei para trás e ví o cara de peixe me encanrando, não sei porque mas seus olhos me diziam para confiar nele. 

-O moleque cara de peixe, você quer me levar á algum lugar não é? - Aquilo era apenas um palpite, mais fiquei perplexo pela meu chute, pois o garoto assentiu - Então me leve para que eu possa cuidar de meu amigo. 

Ele se virou e eu o segui, o caminho não foi tão longo mas foi silêncioso. Enquanto caminhavamos tentei prestar atenção no que mer cercava, se pelo que eu saiva a direção que estavamos era a cinquenta de dois quilometro do rio onde eu havia parado. Assim que passamos alguns arbustos, um pequeno acampamento estava montado, e na frente dele os quatro homens que estavam me seguindo, eperavam o cara de peixe. O que parecia ser o lider deles, pegou Ryewook de meus braços e me lançou um olhar acolhedor 

- Vamos cuidar de seu amigo, aproveite e descanse. 

- Quem são vocês?? 

- Sou Leeteuk, esses são Heechul, Kangin, Henry, o que vai cuidar de seu amigo é o Siwon, e você deve se lembra de Donghae - O recem nomeado Leeteuk apontou o ultimo para o cara de peixe, olhei para ele, e fechei a cara, realmente esse nome me é familiar. 

- Você está bem? - Perguntou ele se referindo ao meu machucado, ele ja ia tocar na feira mas segurei seu pulso. 

- Não toque coloquei veneno aqui. - Os outros homens começaram a dar risda, não sei porque mas já não gostei muito daquilo, virei os olhos e prestei atenção no local. 

- Até parece que você colocaria um veneno em uma ferida, só se fosse um suicida - Exclamou umcara com olhos grandes, acho que seu nome era Heechul 

- Até parece que eu ligo para o que você acha - Respondi rispido, o riso cesou na hora, quem eles pensam que eram, eu não vou ficar aqui por muito tempo, tempo ahhh quase esqueci do veneno. Eu tinha que tirar antes que eu pegasse alguma bacteria que comesse a carne, o veneno que eu usara era muito provocativo a esse tipo de bacteria. 

Peguei minha mochila, sentei em uma pedra, peguei um algodão molhei o suco de cenoura, e misturei com um um pouco do pó de Abell. Tirei a capa baixei a alça da regata tirei o curativo, ah como era de se esperar, o ferimento já estava com uma leve casca agora era só colocar essa mistura e dentro de 10 horas viraria cicatriz. Fiz todo o procedimento sendo observado pelos rapazes. 

- Você é um acólito? - Perguntou um cara com o corpo grande e forte, deve ser o tal Kangin 

- Siim - Respondi olhando seus rostos de espanto - Por que? 

- Você conseguiu fugir daquele lugar? 

Quando eu ia dar um resposta mal criada o lider deles aparece novamente, com uma expressão séria em seu rosto. 

- Acredito que você tenha muitas perguntas meu jovem - Disse ele em um tom sério 

- Se você sabe, então pode desembuchar 

- Nós eramos Redentores, mas fomos expulsos por quebrar varias regras, alguns de nossos amigos estão lá dentro - Ah eu me lembrava agora, eles eram o bando de malfeitores. 

- Redentor Yesung Kibum, acredito eu - Eles me olharam estupefatos - Com certeza são eles, toda vez que eu tocava no assunto eu apanhava, humpf eu ainda me vingo deles. 

- Você disse Kibum? - Perguntou o tal Heechul, assenti e ele puxou o ar novamente - Como ele está? 

- Não sei com certeza deve estar batendo em alguém - Heechul me olhou com incredulidade em seus olhos - Me lrmbro da história de vocês, e também eu sei o que você significa para o Redentor, afinal toda vez que o provocava, eu sentia a dor e a rigidez nas chicotadas. 

- Você apanhou do Kibum? - Disse Donghae com se estivesse preocupado 

-Quem não apanha lá é Santo, todos os acólito apanham naquele lugar 

-Yesung - Disse o lider querendo cortar a conversa - Me pediu para que te ajudasse, mas não me disse o motivo, você poderia explicar? 

- Redentor Yesung? Ahh estou sendo caçado pelo redentores - disse dando de ombros, enquanto eles ficaram com uma expressão de curiosidade. 

- Por que? 

- Por que eu matei o Padre Tae Hwa

Nenhum comentário:

Postar um comentário