{Sagrado Santuário 2} Capitulo 5 - Espelho Quebrado


[::P.O.V. HYUKJAE::]

Depois desse pesadelo, que nem se pode chamar de sonho, acordei com uma vontade imensa de quebrar a cara daquela besta. Levantei-me indo em direção ao lago, pensei em algo que me fizesse ter ‘’contato’’ com eles.

- O que aconteceu Hyukjae? – Perguntou Ryeowook.

- AQUELA BESTA LAMBEU O DONGHAE!!!, RYEOWOOK ME DÊ UM SOCO.

- Um o quê?

- Aish que gritaria é essa no meio da noite? – Perguntou Heechul.

- ALGUÉM ME DÊ UM SOCO. – Heechul se aproximou de mim, e me deu um tapa na cara. – ESTÁ DE BRINCANDEIRA COMIGO, EU FALEI UM SOCO E NÃO UM TAPA, SUA COISA.

- Que assim seja. – Kangin se aproximou e me deu um soco. Perdi todos os meus sentidos.

Assim caí na escuridão, sempre que ficava desacordado, Donghae aparecia.



O que eu queria. Eu e Donghae juntos, e dessa vez sem besta. Queria abraça-lo, mas meu corpo não reagia. Queria falar com ele, mas minha boca não se mexia, estava inútil, de novo.

Reparei que no lugar estávamos era no próprio acampamento. Via Ryeowook segurando meu corpo, que estava desacordado e com o beiço sangrando. Junyoung e Kangin discutiam, sobre alguma coisa, mas o fato de Donghae se mexer, me tirou a atenção.

Ele foi para a barraca do líder, mexeu em sal bolsa e retirou um cálice de pedra, esse deve ser o vaso de pedra dos deuses que nunca se quebra. Ele olhou para mim, e logo fomos para outro lugar.

O quinto lago era o único que não brilhava. O cálice que estava nas mão de Donghae fora jogado nas águas escuras do quinto lago. Estava esperando ele dizer aquela poesia, mas quem disse fui eu.

- Eu achei que a taça de pedra estaria iluminada com a virtude de Buda, mas eu nem mesmo vejo lampejo de luz que alguém pode ver na grama cheia de orvalho. O que você realmente procurava no monte Ogura?

Nas mãos de Donghae estava o espelho, que refletia a besta. O espelho se iluminou, logo pétalas, que me lembravam de rosas, porém pretas, saíram do espelho tomando forma da besta. Ele olhava para a lua cheia, que á dias estava ali no céu, de forma sombria.

Seus cabelos loiros dançavam com o vento, seus olhos cinza admiravam a lua, logo um sorriso brotou e seus lábios. 

- O reflexo da lua, nesse lago é excepcional. – A besta se virou para me fitar. – Hyukjae, agradeço que tenha vindo até mim por vontade própria, sei que em breve nos encontraremos. 

Tudo ficou branco, estava recuperando a consciência.

Assim que acordei vi pares de olhos curiosos me olhando, me perguntando o que havia vistos nos sonhos, e do motivo de ter pedido um soco. Não demorei e expliquei, mas quem disse que eles ficariam calados escutando tudo?

- VOCÊ ESTÁ LOUCO, VOCÊ AJUDOU O INIMIGO SEU IDIOTA.

- Faço tudo para ter quem eu amo de volta.

- Bom nós combinamos, que deixaria a besta tomar forma, mas pensávamos que seria mais tarde e não agora, acabou de escurecer.

Ficamos em silêncio, ninguém se atrevia a ir dormir, o fato de a besta ter falado que nos visitaria em breve, não era daqui a alguns dias, mas sim horas. E precisávamos estar atentos a qualquer movimento. A fogueira esquentava os corpos que estavam agrupados.

Sunny brincava com meus dedos, sentada em meu colo, enquanto eu tentava esquenta-la sem deixa-la preocupada com a nossa atual situação.

- Fico me perguntando se a Tenyo realmente queria voltar a lua.- Resmungou Sungmin.

- É isso, tanto a Kaguya quanto a besta não querem ficar presos, eles querem a liberdade de ficar no lugar que querem, no caso da Tenyo, ela queria ficar perto dos pais. – Exclamou Shindong

- Pois eles criaram ela. – Agora fora Ryeowook

- A besta quer ficar perto de Hyukjae, por que o corpo dele estaria nas proporções certas, como uma casa. – O pequeno Minwoo se fez presente novamente.

- Garoto, eu estou falando sério, você está me dando medo. – Se encolheu o Heechul.

- Não culpe o Minwoo de ter a inteligência que você não têm. – Esbravejou Kyuhyun enquanto abraçava o filho e o esposo.

Uma voz se fizera presente, era muito bem conhecia essa voz, só podia ser ele. Me levantei olhando ao redor á sua procura.

- Agora que chegou a hora para mim me vestir o meu manto emplumados dos céus e mandar despedidas para o mundo terreno, eu espero pela sua presença e sofro.

Donghae aparecera, saí correndo em direção ao inicio do lago, onde o moreno se encontrava. Assim que senti que não era sonho, mas era verdade ele estar ali na minha frente eu o abracei. Senti suas mãos circundarem minha cintura. Mas eu precisava mais do que aquilo, queria sentir seu gosto. Procurei por seus lábios, mas me surpreendi ao ver que ele também procurava pelos meus. Um beijo doce e inocente, de pura saudade era isso que eu sentia, além do medo que ele deve ter sentido ao estar longe de tudo e todos. 

- Você está bem? – Perguntei olhando em seus olhos.

- Eunhyuk, eu senti muito medo, por que você o ajudou, não deveria.

- Digo de novo, faço tudo para ter o que é meu de volta.

- Bobo.

Peguei-o em meus braços, e o levei para o acampamento, onde todos já tinham preparado os primeiros socorros para atender, caso tivesse alguma feria.

- Gente eu estou bem, calma.

- E você sabe o que aconteceu? Fiquei com uma vontade louca de bate no teu marido.

- Estou bem, se acalmem.

Mas nem tudo estava bem, uma risada, que eu chamaria de maléfica, soara pelo acampamento. Na beira do lago a besta estava lá, parada com um sorriso nos lábios.

- É muita gentileza da sua parte, aparecer para apanhar.

- Senti sua falta também Hyukjae, e espero que esteja preparado, pois vim te buscar.

Junyoung se pos na minha frente para nos proteger, me virei para abraçar Donghae mas ele não estava mais lá. Olhei para frente e o vi correndo em direção da besta com uma foice na mão, agora eu entendi do por que Leeteuk ter trazido ela.

Donghae foi para atacar a besta pela direita, mas a besta foi mais rápida, segurou o pescoço do menor, empurrando-o contra o tronco de uma arvore, que tinha por perto. Assim peguei um arco e uma flecha e mirei na besta, mas antes de acerta-lo, que iria no rosto, ele a pegou surpreendendo a todos. 

A besta se afastou de Donghae, que estava sentado no chão, recuperando o ar que havia quase perdido. A besta mirou nele e a lançou. Corri o mais rápido que pude, ao alcançar Donghae o abracei, sentindo a flecha acertar em cheio as minhas costas.

- HYUKJAE!!!!! – Escutara Donghae gritar por meu nome, com a pouca voz que tinha perguntei a ele.

- Você está bem? 

- Eu estou mas e você...

Perdi a consciência antes de escutar o resto da frase de Donghae.


[::P.O.V. DONGHAE::]

Ver Hyukjae me protegendo contra uma flecha poderia ser considerado cavalheirismo, mas para mim era como arrancar uma parte, grande por sinal, de meu peito. Durante todo o tempo em que estive com besta, eu não me lembrara de nada, apenas as partes em que Hyukjae estava ao meu lado. Seus olhos eram como os de sempre, porém suas atitudes mostravam que suas ações não eram de vontade própria. 

Sempre tentava impedir de fazer o ritual, sempre tentara gritar para que parasse, mas nada surtia efeito. Quando via seu corpo, era um choque para mim, pois cada vez parecia mais cansado. E agora ele estava no chão, com uma flecha em suas costas, e eu não conseguira me mexer. Estava chocado.

Gritar seu nome não surtira efeito, ele não atendia, onde estavam os outros, que não poderiam vir ajudar? Tudo estava dando errado, onde estava meu final feliz? Besta se aproximou de Hyukjae o pegando no colo, dando uma risada vitoriosa.

- SEU IDIOTA, DEVOLVA O MEU HYUKJAE, SE ELE MORRER...

- Ele não irá morrer, ah não, menti de novo. – Estava com raiva, mas não tinha força o suficiente para me levantar e ir de encontro com a besta, eu estava fraco, indefeso e mesmo que eu fosse provavelmente machucaria Hyukjae, o que eu deveria fazer nessas horas?

A besta foi andando em direção ao castelo horripilante. 

- SEU MALDITO, VOCÊ NÃO VAI ESCAPAR!

- Já escapou – esbravejou Heechul.

- Onde vocês estavam?

- Você não sabe de nosso plano Hae-ah, então siga o que dissermos.

Logo o líder contara todo o plano, todos os resultados de pesquisas, escutei tudo depois de ficar calmo, abraçando a minha pequena Sunny que chorava com medo de perder um dos pais.

- Eu vou entrar no castelo, e ninguém irá me impedir.

- Que ironia, já escutei isso em algum lugar. – Disse Heechul revirando os olhos, eu tinha entendido que ele falava de Eunhyuk.

- Donghae, como se entra no castelo?

- Não sei, eu apenas me lembro quando o Eunhyuk estava perto, tirando isso era como se eu estivesse dormindo.

- Isso dificulta para o nosso lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário