{Baby You Are...} Capitulo 17 - Smile


[::P.O.V. DONGHAE::]

Ficar um tempo sem vê-lo, foi uma coisa torturante, mas reencontrar seu olhar fora algo que não se pode explicar com palavras. Não faço a mínima ideia de quanto tempo fiquei inconsciente, mas sei que fora tempo suficiente para deixa-lo preocupado comigo. Sei o que se passa em seu coração, ou pelo menos tento entender. Sei que Hyukjae se preocupa comigo porque me ama, assim como, eu me preocupo com ele também. E essa saudade que eu senti durante esse tempo indeterminado, fez com que nosso reencontro fosse o mais emocionante de minha vida.

Vê-lo se reconciliar com o pai fora uma das cenas que sempre levarei comigo, pois sinto que fiz algo bom para aquele que eu amo, sem machucar quem ele ama. Mas para ver essa cena, gastei de minhas energias, fiquei fraco a ponto de quase perder a pouca vida que me restava. Esse tempo em que fiquei em coma, internado ou seja lá qual for o termo médico adequado, foi como um tempo para descansar, dormir para ter energia o suficiente para poder continuar a viver a vida que me fora proposta pela segunda vez.

Ao abrir meus olhos vejo uma das cenas mais belas, os médicos sorrindo, meu ‘’sogro’’ dando graças aos céus por eu estar vivo, e me pedindo desculpas por ter duvidado de meu amor para com seu filho. Meus amigos me deram apoio e dividiram suas lagrimas emocionais, minha pequena July, da qual sentira saudade de sentir seus pequenos braços ao redor de meu pescoço, também se emocionara. Mas meus olhos procuravam por alguém que demorou em chegar, iria brigar fazer birra, mas ele me surpreendera como sempre.

O pedido de casamento de Hyukjae me deixara afoito, surpreso, emocionado e querido. Nunca pensei em casamento, tá bom não devo mentir, pensei quando tinha cinco anos de idade, mas pensava em casar com uma mulher. Depois que descobri sobre minha sexualidade essa etapa deixou de existir em minha vida. Mas agora, um ser que veio do nada e me conquistara desse jeito, trouxera o item para a minha lista de etapas da vida de um jeito só dele. 

Gosto de vê-lo sem jeito, fazendo de tudo para poder me surpreender, porém tudo de seu jeito. Quando ele me dera o buquê de flores rosa brancas, me emocionei. Nunca pensei que ele faria alguma coisa dessas, mas o pedido fora além. Apesar de nossas brigas e discussões, pensei que ele me largaria, me deixando na profunda solidão por não entendê-lo, por não fazer nada que lhe fosse de seu agrado. Mas ao acordar do coma, ele vem com esse pedido, do seu jeito tímido e elegante de ser, mostrando que meu pensamento estava errado, que ele me ama do mesmo jeito que eu o amo. E com isso, eu prometo que irei retribuir cada amor que ele me dá, cada segundo de sua atenção, eu irei retribuir.

Outra coisa que me deixara surpreso é o fato de ele ter adotado a pequena July. Nunca ouvi histórias de homem ficar grávido, isso não existe, pois o homem não tem uma estrutural corporal para tal feito. Mesmo quando descobri que sou homossexual, não desisti da ideia de ter uma filha, e eis que me aparece a pequena July. Em uma noite de chuva forte, ela estava sozinha e suja. A levei para minha casa, dei banho á ela, dei o de comer, brinquei fiquei com ela durante uma semana, e depois tive que leva-la ao orfanato. Mesmo assim não paramos de nos ver, eu fiquei com vontade de adota-la, comecei a trabalhar a finco para ganhar um dinheiro e arrumar meu apartamento para recebê-la.

Mas alguém passou na frente. Durante o tempo em que fiquei no hospital, Hyukjae se mudara para meu apartamento, arrumara o quarto para nossa filha, deixando tudo com um ambiente familiar para me receber. Com apenas 19 anos, irei me casar, tenho uma filha de 5 anos. Mas o que me importa é que eu seja feliz ao lado de quem me ame, e não abrirei mão disso.

Cá estou, seis messes se passaram desde a proposta de casamento que Hyukjae fizera. Já levei alta do hospital, mas meu noivo me proibiu de entrar em meu apartamento, pois ele fizera algumas mudanças para poder deixar mais á nossa cara. Enquanto isso dormi na casa de Sungmin, o coitado do Kyuhyun ficara sem sexo por algum tempo, ele realmente me odeia por causa disso. Mesmo assim ele me ajudou.

Estou nervoso, daqui á dez minutos estarei andando pelo tapete verde musgo, que estará estendido no jardim da casa de Hyukjae. A cerimônia será apenas para os íntimos, ou seja, meus amigos e meus sogros. O padre fora fácil, pois Siwon o namorado de meu gerente, Heechul, fizera questão de nos abençoar.

A porta fora aberta mostrando o sorriso lindo de minha pequena garota, que usava um belo vestido branco com um lacinho com uma flor, preso em seus cabelos lisos e negros.

- Appa, está pronto? 

- Estou sim, e o Hyukie?

- Está te esperando no altar, você fará o papel da noiva.

Dei uma risada, me imaginando usar um vestido de noiva, que visão horrorosa. Peguei a mão da pequena e caminhei pelos corredores da casa, indo até o jardim onde tudo começaria. Sentindo a luz do sol iluminar meu rosto, pude sentir a brisa gelada e gostosa me trazendo o doce perfume de Hyukjae.

Olhei para os bancos que estavam á minha direita, encontrando meus sogros e minha mãe, que á anos não a vira. Sai de casa depois de descobrir minha opção sexual, ela me expulsara, pois achara que eu não tive respeito pelo meu pai, que morrera alguns anos atrás. Desde então nunca a visitei por achar que ela tem raiva e repulsa em me ver. Mas agora ela estava ali, sentada olhando para mim enquanto sorria, ao seu lado estava meu irmão mais velho com sua esposa grávida, ela deve estar com sete messes de gestação.

Á minha esquerda estava meus amigos, todos me olhavam com um brilho no olhar, algo que se admirasse. Sorri á eles, sentindo a ansiedade me tomar conta. Á minha frente estava ele, que usava seu terno preto. Seus cabelos loiros estavam perfeitos, seus olhos negros que aspiravam determinismo e felicidade. Seus lábios estavam com um belo sorriso que me roubara meu ar de forma maldosa e viciante. 

Caminhei pelo tapete, tendo a sensação de ser a noiva. July ficou ao nosso lado segurando ambas as mãos, ela queria ter certeza de que ninguém fugisse. O padre começou a cerimônia e logo nossos votos se iniciaram.

- Eu Lee Hyukjae, prometo cuidar de Lee Donghae, de ama-lo e respeita-lo, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza até que a morte nos separe. – Hyukjae, colocou a aliança em meu dedo anelar esquerdo, dando assim um grande sorriso. Segurei suas mãos respirei fundo tendo a minha vez.

- Eu Lee Donghae, prometo cuidar de Lee Hyukjae, de ama-lo e respeita-lo, na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, até que a morte nos separe.

Coloquei a aliança em seu dedo, assim terminando nossos votos, assim recebendo aquele famoso ‘’VOS DECLARO CASADOS’’. Hyukjae segurou meu rosto, me dando um beijo delicado e gostoso, com direito á assovios e gritos vindo de meus amigos, que só pensam em festa. Logo depois, fomos fazer a festa, o som estava alto, a comida deliciosa, mas eu precisava conversa com ela.

- Oi mãe.

- Meu filho, tenho tanto orgulho de você.

- Não está brava comigo?

- Donghae, apenas fiquei com raiva por ter falado logo após a morte de seu pai, eu estava abalada, mas depois me arrependi, nunca o procurei por achar que tivesse raiva de mim.

- E você Donghwa?

- Meu irmão, eu te amo e sua sexualidade não se intromete no meu amor por você.

Ficamos naquele momento família, sentindo o grande peso de minhas costas, sair. O sorriso grande e belo de meus familiares era algo que eu não via á mais de quatro anos. Saí novo de casa, foi tudo graças á Heechul, que me dera trabalho e um kit net. Depois disso, tudo o que tenho agora é fruto de meus esforços.


- Vai demorar muito, Eunhyuk?

- Calma aí, só mais um pouquinho e cuidado com o degrau.

Seria agora que eu iria ver o nosso apartamento, Hyukie fizera questão de tampar meus olhos e me fazer uma surpresa. Caminhamos por mais um tempo, e logo senti sua mão sair de meu rosto, assim podendo abrir meus olhos e enxergar a beleza que estava o apartamento.

As paredes que antes eram brancas, agora eram verde claro com alguns quadros pendurados. Os moveis ele não mexeu, caminhamos pelos quartos, vendo que o meu quarto, agora tinha uma cama de casal maior, e no guarda roupa , as roupas de Hyukjae. No quarto de nossa pequena, tinha desenho pintado na parede, deve ter sido feita por eles mesmos. O desenho era dois homens e uma menina, as outras paredes estavam pintadas de roxo com detalhes em rosa, tudo perfeito.

Estava maravilhado com o pequeno trabalho que eles fizeram. Foram poucas as coisas que eles modificaram, mas de grande significado. Abracei Hyukjae pousando meus lábios nos seus.

- Vocês são perfeitos.

- Eu sei que sou.

Agora nada mais me abalaria. Tenho a melhor família, os melhores amigos, o melhor marido de todos os tempos. Nunca irei me afastar deles, assim como espero que eles nunca se afastem de mim.

4 ANOS DEPOIS

[:: P.O.V. HYUKJAE::]

Como posso dizer que o tempo se passara rapidamente. Nessa data, completo quatro anos de casado, anos vividos da melhor maneira possível. Minha filha de 9 anos de idade, agora que frequenta a escola, ela é perfeita, seu conhecimento é dos melhores, graças á sua grande curiosidade em querer conhecer o mundo.

Meus pais vivem da melhor maneira possível, minha irmã está grávida de um homem cujo nome é Park Jung Soo, acho que já o vi de algum lugar. Mesmo assim, eles se casaram dois anos depois de mim, e agora esperam o primeiro filho.

O casal Kyumin, casaram três dias atrás, eles estão em lua de mel. Os pais do Kyunnie deram permissão para o filho ir morar com o namorado, e acredite, a mãe do Kyuhyun passa o dia inteiro no telefone com o Sungmin, só pra ensinar ele como preparar pratos preferidos do Kyu. O gamer sempre reclama das contas de telefone, mas não adianta.

Yewook são dois que estamos esperando o casamento, mas nenhum se mexe, pois ambos estão ocupados com o trabalho. Mesmo assim eles dão um jeito de ter um tempo só pra eles. Claro que no meio disso teve algumas crises de ciúmes, mas nada que pudesse ser tão perfeito.

Minha sogra, agora visita Donghae a cada final de semana, e nos feriado sempre vamos para Mokpo, sempre nos divertimos.

Donghae e eu, estamos mais felizes do que nunca. Donghae abriu um estúdio de fotografia, e faz bastante sucesso, principalmente entre as mulheres. Eu trabalho como enfermeiro no hospital de meu pai. Posso dizer que nós dois tivemos nossas briguinhas, mas nunca aguentamos mais do que cinco minutos longe um do outro.

Como posso dizer, não me arrependo das minhas ações de quatro anos atrás. Eu mergulhei de cabeça na minha primeira paixão gay e me dei bem. De vez em quando sempre tem alguém com um olhar torto para nós, mas mesmo assim não deixamos de ser felizes.

Gostaria de dizer que amo minha vida, amo meus amigos, amo minha família, amo meu emprego, amo meu marido. E somente á ele, e a mais ninguém.

Donghae é meu, só meu e de mais ninguém. Para todo o sempre ele estará amarrado ao meu lado e não terá nada que irá nos separar. Nem que seja a morte, pois já passamos por ela uma vez, podemos passar mais uma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário